Equilíbrio, mobilidade funcional e nível de atividade física de idosos institucionalizados que realizam e não realizam fisioterapia

Sara Maria Soffiatti Dias, Rubia Jaqueline Magueroski da Silva, Lisiane Piazza

Resumo


Objetivo: Comparar o equilíbrio, mobilidade funcional e nível de atividade física de idosos institucionalizados que realizam e não realizam fisioterapia. Métodos: Participaram 60 idosos institucionalizados, 30 que realizavam fisioterapia (GF) e 30 que não realizavam (GNF). Os instrumentos utilizados foram: Escala de Equilíbrio de Berg (EEB), Testes de Tinetti, Timed Up and Go (TUG) e de Alcance Funcional Anterior (TAF), e Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ). Resultados: Foi observada diferença no TUG (p=0,01), sendo que o GF levou mais tempo para realizar o teste (19,5±6,1 segundos) que o GNF (16,4±7,3 segundos). Também foi observada diferença no TAF (p=0,003), com melhor desempenho durante o teste no GNF (27,6±6,2cm) que no GF (22,4±5,1cm). Quanto ao NAF, 43,4% dos idosos do GF eram inativos e 43,3% do GNF ativos (p=0,015). Conclusões: Os idosos que realizavam fisioterapia apresentaram menor mobilidade funcional, menor alcance funcional anterior e menores níveis de atividade física.

Palavras-chave


Equilíbrio Postural; Idoso; Institucionalização; Fisioterapia; Atividade Motora.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v15n2.6253

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.