Efeito de diferentes protocolos de hidratação em militares

Ricardo Freitas-Dias, Rodrigo Cappato de Araújo, Samara Barreto Cunha, Gabriely Feitosa Freire de Souza, Marco Aurélio de Valois Correia Júnior

Resumo


Introdução: O estresse térmico resulta em queda no desempenho das operações militares e aumento de distúrbios relacionados ao calor. Para minimizar estes efeitos recomenda-se a reposição adequada de fluidos. Objetivos: Avaliar o conhecimento de hidratação e comparar o estado de hidratação após diferentes protocolos de hidratação seguidos de uma corrida. Métodos: 46 militares foram alocados em três grupos: privação da ingestão de líquidos (GA), ingestão recomendada pelo Colégio Americano de Medicina do Esporte (ACSM) (GB) e ingestão ad libitum (GC). Resultados: A taxa de sudorese de GA e GC foi superior à GB (26,81 ± 5,5 ml.min-1, 15,92 ± 10,69 ml.min-1 vs 4,47 ± 6,5 ml. min-1). Em relação à ingestão, GB apresentou valor superior a GA e GC (453,0 ± 91,0 vs 0,0 ml ± 0,0 ml, 165,0 ± 136,0 ml). Conclusão: As recomendações do ACSM foram adequadas para manterem os militares hidratados, no entanto, os militares apresentaram um baixo nível de conhecimento e hábitos de hidratação inadequados.

Palavras-chave


Hidratação; Sudorese; Militares.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v15n4.6670

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.