Risco de quedas e qualidade de vida no distúrbio mineral e ósseo da doença renal: estudo transversal

Shirley Dias Bezerra, Priscila Santos Alves, Tuíra Oliveira Maia, Lívia Gomes da Rocha, Camila Carolina Alves de Andrade, Helga Cecília Muniz de Souza, Patrícia Érika de Melo Marinho

Resumo


Introdução: As anormalidades ósseas em doentes renais crônicos tornam-nos mais propensos a fraturas que a população geral, além da exposição a eventos clínicos relacionados à queda, que podem interferir na qualidade de vida. Objetivo: Avaliar o risco de quedas e qualidade de vida em doentes renais crônicos com distúrbio mineral e ósseo. Métodos: Estudo transversal, envolvendo 50 pacientes classificados em dois grupos: baixa remodelação (n=20) e alta remodelação (n=30). Foram registrados dados sociodemográficos e clínicos, avaliado o risco de quedas (Escala Internacional de Eficácia de Quedas) e a qualidade de vida (Medical Outcomes Study SF-36). Resultados: A prevalência de risco de quedas entre os pacientes de baixa e de alta remodelação foi 65% e 50% respectivamente, além de um maior comprometimento do estado geral de saúde, avaliado pelo SF-36, nos dois grupos. Conclusão: Foi observado risco elevado de quedas com maior comprometimento dos aspectos físicos relacionados à qualidade de vida.


Palavras-chave


Insuficiência Renal Crônica; Distúrbio Mineral e Ósseo na Doença Renal Crônica; Hiperparatireoidismo Secundário.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v17n2.8209

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.