Contornos das políticas sociais (assistência-educação) à infância desvalida portuguesa (séculos XIX e XX)

Ernesto Candeias Martins

Resumo


A problemática da assistência e educação às crianças pobres, abandonadas ou desvalidas, designadas por ‘Outra infância’, apresentou diferentes enfoques de análise e diferentes discursos, que tiveram respostas sociais (políticas), segundo o período histórico abordado (século XIX e parte do século XX). O propósito historiográfico norteia-se pela assistência educativa e protetiva àquele tipo de infância. Recorremos a fontes documentais, à imprensa, a legislação, a teses e monografias de instituições, etc., que permitiram elaborar a argumentação, de índole hermenêutica, que é um método cujo campo de atuação envolve a compreensão e a profundidade dos aspetos subjetivos e objetivos de pesquisa. O quadro teórico-conceptual assenta numa base ampla de referências à proteção e assistência social, à economia social, aos dispositivos jurídicos, ao papel das instituições asilares de internamento, etc. A estrutura do estudo divide-se em 3 pontos: a representação social da infância e respetivas construções sociais; a assistência social regulada pelos dispositivos administrativos locais e a perspetiva das instituições de internação à infância desvalida.


Palavras-chave


Infância desvalida; Assistência educativa; Políticas sociais; Instituições de internação; Criança abandonada.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA, A. Pesquisa em representações sociais: a produção em 2003. In: MENIN, M. M. S.S. & SHIMIZU, A. M. (orgs.), Experiência e representação social. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2005, p. 59-92.

BEC, C. (dir.) et al. Philanthropies et politiques sociales en Europe (XVIIIe-XXe) siècles). Paris: Anthropos, 1994.

CALDEIRA, M.ª de Fátima C.G.E.S. De meninos se fazem homens: Assistência infantil e juvenil na cidade de Lisboa durante a 1.ª República. Tese (Mestrado em Ciências Sociais e Humanas) Fac. Ciências Sociais e Humanas – Univ. Nova de Lisboa, Lisboa, 1993.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: Artes de fazer. Vol.1. Petrópolis: Vozes, 1994.

COSTA, Alfredo Bruto da et al. A pobreza em Portugal. Lisboa: Caritas, 1985.

COSTA, Alfredo Bruto da. Exclusões sociais. Lisboa: Gradiva, 1998.

FONTE, T. Afonso da. No limiar da honra e da pobreza: a infância desvalida e abandonada no Alto Minho (1698-1924). Tese (Doutoramento em Ciências Sociais) –Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, Braga, 2004.

FOUCAULT, M. História da loucura na idade clássica. São Paulo: Perspetiva, 1978.

GOFFMAN, E. Manicómios, Prisões e Conventos. São Paulo: Perspectiva, 1974.

GUESLIN, A. L’Invention de l’économie sociale : Le XIXe siècle français. Paris: Economica, 1987.

HEYWOOD, Colin. Uma história da Infância: Da idade Média à época contemporânea no Ocidente. Porto Alegre: Artmed, 2004.

LOPES, M.ª Antónia. Proteção social em Portugal na Idade Moderna: Guia de estudo e investigação. Coimbra: Imprensa da Univ. de Coimbra, 2010.

LOPES, M.ª A.; SÁ, Isabel dos Guimarães. História breve das misericórdias portuguesas. Coimbra: Imprensa da Univ. de Coimbra, 2008.

LOPES, M.ª Antónia; PAIVA, J. Pedro (dirs.). Portugaliae Monumenta Misericordiarum. - Vol. 8 – Tradição e modernidade: O período da Monarquia Constitucional -1834-1910. Lisboa: União das Misericórdias Portuguesas, 2010 p. 7-30.

MARQUES, A.H. de Oliveira; RODRIGUES, L. N. A sociedade e as instituições sociais. In: MARQUES, A.H.O.; SERRÃO, J. (dirs.) – Nova História de Portugal (Vol. XI). Lisboa: Presença, 1991, p. 187-239.

MARTINS, A. M.ª de Castro. Génese, emergência e institucionalização do serviço social português. Lisboa: FCG – Fundação para a Ciência e Tecnologia, 1999.

MARTINS, E. C. A infância desprotegida portuguesa na primeira metade do século XX. Revista Infância e Juventude, nº 4, outubro/dezembro, 2006, p. 93-130.

MARTINS, E. C. Infância Marginalizada e Delinquente na 1ª República (1910-1926). De Perdidos a Protegidos...e Educados. Lisboa: Palimage, 2015.

OLIVEIRA, Pe. A. d’. Deixemos os pais e cuidemos dos filhos. Lisboa: Ed. do Autor, 1923

PEREIRA, D. O. R. As políticas sociais em Portugal (1910-1926). Lisboa: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – Univ. Nova de Lisboa, 2012.

RAMOS, R. ; CARVALHO, J.M.; SILVA, I. C. A Monarquia Constitucional dos Braganças em Portugal e no Brasil (1822-1910). Lisboa: Publ. Dom Quixote, 2018.

SARMENTO, M.J. A Infância: Paradigmas, Correntes e Perspetivas. Braga: Instituto de Estudos da Criança – Universidade do Minho, 2000.

SERRA, J. B. As reformas da administração local de 1872 a 1910. Análise Social, vol. XXIV (103-104), 1988 (4°, 5°), p. 1037-1066.

THOMPSON, J. B. Ideologia e Cultura Moderna. Teoria Social Crítica na Era dos meios de comunicação de massa (9ª ed.). Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

THUILLIER, G. Principes de l’histoire de la protection sociale. Paris: Comité d’Histoire de la Sécurité Sociale, 2003.




DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v19n2.16823

Direitos autorais 2020 Cadernos de Pós-graduação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos de Pós-graduação
e-ISSN: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br

Cadernos de Pós-graduação ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional