Pandemia Covid-19, e agora? desafios e estratégias de residentes no ensino remoto de Química

Danielly de Souza Nóbrega, João Predo Crevonis Galego, Letícia Rinaldi de Caires

Resumo


Os conceitos da Química têm vasta importância no desenvolvimento do cidadão e da sociedade em razão da sua aplicabilidade ou da sua existência em todos os setores e processos. Entretanto, quando é uma disciplina da Educação Básica, torna-se vilã e temida por uma parcela de estudantes. Com a mudança imprevista do processo de ensino e aprendizagem em tempos de pandemia, migrou-se para o ambiente virtual, onde esta falta de compreensão e outros problemas relacionados com a Ciência se agravaram. Nesse contexto, o presente trabalho tem como objetivo avaliar qualitativamente esse processo de ensino, usando como tema para ensino a teoria ácido-base. Tal análise foi realizada por meio da aplicação e observação das regências vinculadas ao Estágio em consonância com as atividades da Residência Pedagógica (RP) do curso de Licenciatura em Química. Constatou-se que há possibilidades de se adotar ferramentas para o ensino, capazes de motivar a aprendizagem em período pandêmico.


Palavras-chave


educação; química; estratégia

Texto completo:

PDF

Referências


ALVEZ, L. R. G.; MINHO, M. R. S.; DINIZ, M. V. C. Gamificação: diálogos com a educação. São Paulo: Pimenta Cultural, 2014. Disponível em: https://www.pimentacultural.com/gamificacao-na-educacao. Acesso em: 15 fev. 2021.

ALVES, F. Gamification: como criar experiências de aprendizagem engajadoras. Ed. rev. e ampl. São Paulo: DVS Editora, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Cur-ricular. Brasília, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br. Acesso em: 15 fev. 2021.

CARDOSO, S. P.; COLINVAUX, D. Explorando a motivação para estudar química. Química Nova, v. 23, n. 3, p. 401-404. 2000. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-40422000000300018. Acesso em: 10 fev. 2021.

CARMO, U. T; TINOCCO, A.; RIBEIRO, T.; ANDREATTA, L.; ANTONIO, A.; GERVÁ-SIO, M.; GENOVESE, L. G. R. Avaliação diagnóstica: uma ferramenta de compreensão social. Universidade Federal de Goiás – UFG. 2016. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/897/o/CO-008-SEPEF-2016.pdf. Acesso em: 11 fev. 2021.

CARVALHO, A. M. P. Os estágios nos cursos de licenciatura. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

COSTA, V. C. I. Aprendizagem baseada em problemas (PBL). Revista Távola Online, n. 5-3. 2011. Disponível em: http://files.profernanda.webnode.com/200000204-02efb03ea9/aprendizagem-baseada-em-problemas-pbl.pdf. Acesso em: 11 fev. 2021.

FADEL, Luciane Maria; ULBRICHT, Vania Ribas; TARCÍSIO, Claudia Vanzin. Gamifica-ção na educação. São Paulo: Pimenta Cultural, 2014. 302p.

JOHNSTONE, A. H. The Development of Chemistry Teaching, The Forum, v. 70, n. 9, 1993.

JOHNSTONE, A. H. The Future Chape of Chemistry Education, Chemistry Education: Research and Practice, v. 5, n. 3, 2004.

LIMA, J. O. G. de. Perspectivas de novas metodologias no Ensino de Química. Revista Espaço Acadêmico, v. 12, n. 136, p. 95-101. 2012. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/15092. Acesso em: 23 mar. 2021.

MARTINS, L. B.; ZERBINI, T. Escala de estratégias de aprendizagem: evidências de validade em contexto universitário híbrido. Psico-USF, v. 19, n. 2, p. 317-328. 2014.

Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-82712014019002007 . Aceso em: 11 fev. 2021.

MEDEIROS, F.; CRUZ, D. M. Narrativa e gamificação, ou com quantos pontos se faz uma boa histó-ria. Gamificação em debate. São Paulo: Blucher, 2018. p. 67-82.

MELO, R. C. de. Estratégias de ensino e aprendizagem baseadas em problemas (PBL) no ensi-no tecnológico. Tekhne e Logos, v. 5, n. 1, p. 69-84. 2014. Disponível em: http://revista.fatecbt.edu.br/index.php/tl/article/view/277. Aceso em: 11 fev. 2021.

PASINI, C. G. D.; CARVALHO, E.; ALMEIDA, L. H. C. A educação híbrida em tempos de pan-demia: algumas considerações. FAPERGS. Ministério da Educação. Universidade Federal de Santa Maria. 2020. Disponível em: https://www.ufsm.br/app/uploads/sites/820/2020/06/Textos-para-Discussao-09-Educacao-Hibrida-em-Tempos-de-Pandemia.pdf. Acesso em: 16 mar. 2021.

PESSOA, W. R.; ALVES, J. M. Motivação para aprender química: configurações subjetivas de estudantes do ensino médio. Interacções, v. 11, n. 39. 2015. Disponível em: https://doi.org/10.25755/int.8761. Acesso em: 23 mar. 2021.

ROCHA, J. S.; VASCONCELOS, T. C. Dificuldades de aprendizagem no ensino de química: algumas reflexões. XVIII Encontro Nacional de Ensino de Química (XVIII ENEQ), p. 1-10. 2016. Dis-ponível em: http://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R0145-2.pdf. Acesso em: 11 fev. 2021.

SÁ, M. B. Z.; FILHO, O. S. Alguns aspectos da obra de Piaget e sua contribuição para o Ensi-no de Química. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, p. 190-204. 2017. Disponível: https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n1.8180. Acesso: 11 fev. 2021.

SANTOS, P. N. dos. A relação entre as discussões de gênero e o ensino de ciências: a criação de um gru-po de pesquisa no ensino médio. Portal de Conferências do Laboratório de Tecnologias Intelec-tuais-Mulher e Relações de Gênero. 2012. Disponível em: fi-le:///C:/Users/USER/Downloads/384-1306-1-PB.pdf. Acesso em: 30 abr. 2021.

SCHNETZLER, R. P.; ROSA, M. Sobre a importância do conceito transformação química no processo de aquisição do conhecimento químico. Química Nova na Escola, v. 8, p. 31, 1998. Dis-ponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc08/pesquisa.pdf. Acesso: 11 fev. 2021.

SILVA, F. C. V. da; AMARAL, E. Articulando conhecimentos científicos e práticos sobre áci-dos/bases: uma análise de formas de falar e modos de pensar de Licenciados em Química e Cabeleireiras. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 22, 2020.

Disponível em: https://doi.org/10.1590/21172020210124. Acesso em: 10 fev. 2021.

WARTHA, E. J.; REZENDE, D. B. Os níveis de representação no ensino de química e as ca-tegorias da semiótica de Peirce. Investigações em Ensino de Ciências, v. 16, n. 2, p. 275-290. 2016. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/230. Acesso em: 10 fev. 2021.

WARTHA, E. J.; SILVA, E. L. da; BEJARANO, N. R. R. Cotidiano e contextualização no ensino de Química. Química Nova na Escola, v. 35, n. 2, p. 84-91. 2013. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/278302228_Cotidiano_e_contextualizacao_no_Ensino_de_Quimica. Acesso em: 10 fev. 2021.

ZUCCO, C. Química para o mundo melhor. Química Nova na Escola, v. 34, n. 5, p. 733. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/qn/v34n5/01.pdf. Acesso em: 30 abr. 2021.




DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v21n2.20153

Direitos autorais 2022 Cadernos de Pós-graduação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos de Pós-graduação
e-ISSN: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br

Cadernos de Pós-graduação ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional