Pensar bem através da assimilação e contextualização de conceitos: uma proposta para o ensino de história na atualidade

André Wagner Rodrigues

Resumo


Esse texto traz para o debate acadêmico algumas preocupações e indagações de historiadores que percebem nos últimos tempos os efeitos negativos da influência dos meios-de-comunicação na formação das novas gerações. O tempo presente é explicado por ele mesmo, sendo o futuro um tempo “incerto” e o passado “desconectado” da realidade, ou seja, um “reducionismo da História” enquanto disciplina escolar e campo de conhecimento. Diante desse quadro, pretende-se oferecer sugestões e possíveis orientações metodológicas para uma renovação da disciplina História por intermédio da elaboração e estruturação de conceitos históricos em sala de aula, analisando a contribuição de dois filósofos contemporâneos que elaboraram categorias de análise para uma possível reversão dos efeitos negativos no processo educacional: o norte americano Mathew Lipman e o que classifica como “Pensamento Excelente” e o francês Edgar Morin e o que denomina de “Pensamento Complexo”.

Palavras-chave


Metodologia de História. Reducionismo da memória. Conceitos históricos. Pensamento complexo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v8n0.2086

Direitos autorais



Cadernos de Pós-graduação
e-ISSN: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br

Cadernos de Pós-graduação ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional