Cooperativas como forma gestora de cursos menos onerosos no ensino superior privado

Sérgio Macedo Oliveira

Resumo


A partir de 1990, no mundo do trabalho, a implantação de cooperativas resultou em precarização dos trabalhadores. Na Educação Superior não foi diferente, com a ampliação do setor privado, no qual as instituições de ensino se voltam para o lucro. A pressão trazida pela concorrência induziu a adoção de formas diferenciadas de atividade laboral. As cooperativas de trabalho de professores do ensino superior foram, assim, criadas com o claro objetivo de manter e ampliar as margens de lucro. A precarização do trabalho é demonstrada na intensificação, na redução de custos e salários, nas perdas de direitos trabalhistas consagrados, inclusive na desmoralização da profissão do professor. A resultante de todas essas modificações foi direcionada aos professores, que foram precarizados em sua forma de ser e de trabalhar.

Palavras-chave


Precarização. Cooperativas de trabalho. Educação superior. Trabalho

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v8n0.2099

Direitos autorais



Cadernos de Pós-graduação
e-ISSN: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br

Cadernos de Pós-graduação ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional