O livro digital interativo e a subjetividade infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/cpg.v22n2.22592

Palavras-chave:

livro digital; literatura infantil; multiletramentos; subjetividade; escrita

Resumo

O presente artigo apresenta um estudo sobre os livros digitais interativos infantis ou livros app. O objetivo é analisar as relações da leitura digital interativa com a subjetividade infantil. Este artigo é uma revisão bibliográfica e para o debate foram analisadas as propostas dos seguintes autores: Lev Semenovich Vigotsky, Roger Chartier e Roxane Rojo. Vigotsky pondera sobre a relação da subjetividade e o pensamento infantil, Chartier apresenta a história do livro e a relação da leitura com a sociedade ocidental e Rojo discorre sobre a leitura nas telas e propõe uma pedagogia dos multiletramentos. Os resultados obtidos demonstram que a criança interage de diferentes maneiras com o livro app que vai além da leitura e da escrita, sendo um recurso possível de ser utilizado na escola no processo de alfabetização e letramento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Necochea, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo – FEUSP

Mestranda em Educação

 

Referências

BARBIER, Frédéric. História do livro. São Paulo: Paulistana, 2008. 474 p.

BELINTANE, Claudemir. Oralidade e alfabetização: uma nova abordagem da alfabetização e do letra-mento. São Paulo: Cortez, 2013.223p.

BOTO, Carlota. A liturgia escolar na idade moderna. Campinas, Papirus, 2017. 319 p.

CARRASCO, Bruno. O que é subjetividade? Ex-isto. 8 fev. 2021. Disponível em: https://www.ex-isto.com/2021/02/subjetividade.html. Acesso em 19 jul. 2021.

CARRIÉRE, Jean-Claude; ECO, Umberto. Não contem com o fim do livro. Rio de Janeiro, Record, 2010. 269 p.

CAVALLO, Guglielmo; CHARTIER, Roger (orgs.). História da leitura no mundo ocidental. volume I. São Paulo: Ática, 1998. 232 p.

CAVALLO, Guglielmo; CHARTIER, Roger (orgs.). História da leitura no mundo ocidental. volume II. São Paulo: Ática, 1999. 248 p.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP, 1998. 160 p.

EXPLOT. APPS for kids wellness and education. Histórias infantis Truth and Tales. Disponível em: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.explot.gouda&hl=pt_BR&gl=US. Data de acesso: 01.jul.2022.

FERRACIOLI, Laercio. Aprendizagem, desenvolvimento e conhecimento na obra de Jean Piaget: uma análise do processo de ensino-aprendizagem em Ciências. RBEP. v. 80 n. 194, 1999. Disponível em: https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.80i194.1001. Acesso em 01 jul 2022.

FLATSCHART, Fábio. 2014. Livro Digital etc. [Digital Kobo]. Rio de Janeiro: Brasport. Não pag.

FREITAS, Maria Teresa. Letramento digital e formação de professores. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.26, n.03, p.335-352, dez. 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-46982010000300017. Acesso em 18 jul. 2022.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 7 ed. Barueri: Atlas. 186 p.

LACAN, J. (1976 a). Joyce, o Sintoma. In: Outros Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2003. 608 p.

LEMKE, Jay L. Letramento metamidiático: transformando significados e mídias. Trab.Ling.Aplic., Cam-pinas, 49(2), Jul./Dez. 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-18132010000200009. Acesso em 18 jul. 2022.

LORENZI, Gislaine C. Correr; PÁDUA, Tainá – Rekã W. de. In: ALMEIDA, Eduardo; RO-JO, Roxane (orgs). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012. Cap. 2, p. 35-53.

LUKIANCHUKI, Cláudia. Dialogismo: a linguagem verbal como exercício do social. In: RI

OLFI, Claudia Rosa. Linguagem e Pensamento. Curitiba, PR: IESDE Brasil, 2006.p.71-72. 132 p.

RIOLFI, Claudia Rosa. Linguagem e Pensamento. Curitiba, PR: IESDE Brasil, 2006.132p.

ROJO, Roxane. Pedagogia dos multiletramentos. In: ALMEIDA, Eduardo; ROJO, Roxane (orgs). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012. Cap. 1, p.11-31.

SANTOS, Gislene A Silva. O livro: a solução do problema. Cadernos de Pós-Graduação – Educa-ção, São Paulo, v. 7, p. 133-138, 2008. Disponível em: https://doi.org/10.5585/cpg.v7n0.1917. Acesso em 01 jul. 2022.

SOARES, M. Alfaletrar: toda criança pode aprender a ler e a escrever. São Paulo: Contexto, 2020. 352 p.

SOARES, Magda. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educ. Soc., Campi-nas, vol. 23, n. 81, p. 143-160, dez. 2002. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0101-73302002008100008. Acesso em 02 jul. 2022.

TRUTH AND TALES - Sabedoria Real no mundo digital. Disponível em: https://truthandtales.app/pt/ acesso em 11 de julho de 2022.

VIGOTSKY, Lev Semenovich. As raízes genéticas do pensamento e da linguagem. In: A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo, Martins Fontes, 2000. 496 p.

WEIL, Pierre; TOMPAKOW, Roland. O corpo fala: a linguagem silenciosa da comunicação não verbal. 74. ed. Petrópolis: Vozes, 2015. 288 p.

Downloads

Publicado

26.12.2023

Como Citar

NECOCHEA, Débora. O livro digital interativo e a subjetividade infantil. Cadernos de Pós-graduação, [S. l.], v. 22, n. 2, p. 285–298, 2023. DOI: 10.5585/cpg.v22n2.22592. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/cadernosdepos/article/view/22592. Acesso em: 25 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos