Principais tendências das pesquisas sobre desafios relacionados à formação continuada de professores de Biologia no período de 2015 a 2020

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/cpg.v23n1.24417

Palavras-chave:

educação; formação docente; desafios

Resumo

A formação continuada é um processo permeado por desafios. Assim, a presente pesquisa bibliográfica-qualitativa visa mapear tais desafios, descritos nos estudos do Banco Digital das Teses e Dissertações no período de 2015 a 2020. O aporte teórico utilizado foi Bardin (2016) e Bogdan e Bliken (1994). Foram encontrados os seguintes desafios: déficit de formação continuada específica; professores desatualizados; falta de recursos didáticos, estruturais e de transporte docente; formações continuadas excludentes dos professores temporários; além de professores com desejo de participarem de mais formações. Diante dos textos analisados, consideramos que a falta de formação continuada específica acarreta a maioria dos demais problemas, e requerer a adequação da carga horária de trabalho, investimentos em cursos para os formadores, mudanças políticas e investimentos governamentais para uma possível solução.

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lara Cristina Sanca Ferretti de Oliveira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia – IFRO

Licenciada em Ciências Biológicas pelo Instituto Federal de Rondônia

 

Márcia Mendes de Lima, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia – IFRO

Mestre em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários pela Universidade Federal do Pará- UFPA

 

Nilton Alves da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia – IFRO

Doutora em Educação – UNESP/ Marília

 

Referências

ALMEIDA, H. A. de. Planejamento para o uso de analogias no ensino: reflexões de professores de Ciências e Biologia em um contexto de formação continuada colaborativa. 2020. 259f. Tese (Doutorado) – Uni-versidade Estadual Paulista (UNESP), São Paulo. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/192591

AMARAL, A. Estratégias de formação continuada para docentes em Timor-Leste: olhares dos professores. 2016. 100 p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Floria-nópolis, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/167624

ATANAZIO, A. M. C. O ensino de ciências e o uso de tecnologias de informação e comunicação: dos planos de aula às concepções de ensino e aprendizagem dos professores. 2018. 117 p. Dissertação (Mestrado em Formação Científica, Educacional e Tecnológica) – Universidade Tecnológica Federal do Para-ná (UTFPR), Curitiba, 2018. Disponível em: http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/3204

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BOGDAN, R.; BLIKEN, S. K. Investigação qualitativa em educação, uma introdução à teoria e aos métodos. Tradução: Maria João Álvares, Sara Bahia dos Santos, Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Portal da Câmara dos Deputados. Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa diretrizes e bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1970-1979/lei-5692-11-agosto-1971-357752-publicacaooriginal-1-pl.html

BRASIL. Lei nº 9.394 de 20 de Dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

BRASIL. Lei n° 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 25 jun. 2014. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm

DÁVILA, E. da S. As plantas de importância médica na perspectiva dos três momentos pedagógicos: desafi-os e potencialidades para o ensino de Ciências. 2018. 153f. Tese (Doutorado em Educação em Ciên-cias: Química da Vida e Saúde) – Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Santa Maria, 2018. Disponível em: http://repositorio.ufsm.br/handle/1/15175

DUEK, V. P. Formação continuada: análise dos recursos e estratégias de ensino para a educa-ção inclusiva sob a ótica docente. Educação em Revista, v. 30, n. 2, p. 17- 42, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-46982014000200002

FARIA, D. C. de. Desafios e possibilidades da docência na EaD em Arraias e Gurupi da UFT/UAB, 2006-2016. 2016. 157f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC GOIÁS), Goiânia, 2016. Disponível em: https://tede2.pucgoias.edu.br/bitstream/tede/3741/2/DENILDA%20CAETANO%20DE%20FARIA.pdf

FEITOSA, C.; JÚNIOR, J. L. M.; CARVALHO, S. C. S. A formação continuada: por que pro-fessores da rede pública não participam de formação continuada? Algumas reflexões sobre a práxis docente. Itinerarius Reflectionis: Jataí, n. 9, 2010. Disponível em: https://revistas.ufj.edu.br/rir/article/download/20366/19213

LACERDA, C. C. Currículo integrado e formação continuada de professores: a abordagem CTS como arti-culadora do processo. 2018. 257f. Tese (Doutorado em Educação em Ciência) – Universidade Fe-deral de Santa Maria (UFSM). Santa Maria, 2018. Disponível em: http://repositorio.ufsm.br/handle/1/13668

LIMA, K. E. C.; VASCONCELOS, S. D. O professor de Ciências das Escolas Municipais de Recife e suas perspectivas de educação permanente. Ciência & Educação (Bauru), v. 14, n. Ciênc. educ. (Bauru), 2008 14(2), p. 347–364, 2008. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1516-73132008000200012

MARQUES, K. C. D. Formação continuada para professores de Biologia: avanços e desafios de um curso EaD. 2016. 203 p. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências: Química da Vida e Saú-de) – Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/handle/1/6708

MORESCO, T. R. O potencial da experimentação no desenvolvimento de habilidades cognitivas e na quali-ficação do ensino sobre microrganismos na Educação Básica. 2017. 236f. Tese (Doutorado em Educa-ção em Ciências: Química da Vida e Saúde) – Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/handle/1/12165

NOVAES, L. C. A formação des(continuada) dos professores temporários: provisoriedade e qualidade de ensino. Revista Diálogo Educacional, v. 10, n. 30, p. 247-265, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.7213/rde.v10i30.2392

OCAMPO, D. M. A resolução de problemas como uma interface interdisciplinar entre a matemática e o ensino de Ciências. 2015. 73 p. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde) – Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria. Disponível em: http://repositorio.ufsm.br/handle/1/6693

PES, C. D. S. Conhecimento pedagógico do conteúdo em Botânica: desafios para a formação na Educação Básica. 2019. 208f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Franciscana (UFN), Santa Maria, 2019. Disponível em: http://www.tede.universidadefranciscana.edu.br:8080/handle/UFN-BDTD/851

RODRIGUES, L. B. A deficiência visual e o ensino de Ciências Biológicas: uma investigação da Educação Básica ao Ensino Superior. 2018. 106 p. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Universidade Fe-deral de Pelotas (UFP), Pelotas. 2018. Disponível em: http://guaiaca.ufpel.edu.br/handle/prefix/4452

RODRIGUES, P. M. L.; LIMA, W. S. R.; VIANA, M. A. P. A importância da formação conti-nuada de professores da educação básica: a arte de ensinar e o fazer cotidiano. Saberes docentes em ação, v.03, n° 1, 2017, p 28-47. Disponível em: https://maceio.al.gov.br/uploads/documentos/3-A-IMPORTANCIA-DA-FORMACAO-CONTINUADA-DE-PROFESSORES-DA-EDUCACAO-BASICA-A-ARTE-DE-ENSINAR-E-O-FAZER-COTIDIANO-ID.pdf

ROSA JUNIOR, G. F. Desafios didático-pedagógicos dos professores de Biologia da Rede Estadual de Ensino de Nova Viçosa e Mucuri, extremo sul da Bahia. 2018. 134 p. Dissertação (Mestrado em En-sino na Educação Básica) – Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), São Mateus. Dis-ponível em: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8393

SCHNETZLER, R. P. O professor de Ciências: problemas e tendências de sua formação. In: SCHNETZLER, R. P.; ARAGÃO, R. M. R. (Orgs.). Ensino de Ciências: fundamentos e aborda-gens. CAPES/PROIN/UNIMEP, Piracicaba, 2000, p.12-42.

SOUZA, D. T. R. de. Formação continuada de professores e fracasso escolar: problematizando o argumento da incompetência. Educação e Pesquisa, v. 32, n. 3, p. 477-492, 2006. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1517-97022006000300004.

Downloads

Publicado

28.06.2024

Como Citar

OLIVEIRA, Lara Cristina Sanca Ferretti de; LIMA, Márcia Mendes de; SILVA, Nilton Alves da. Principais tendências das pesquisas sobre desafios relacionados à formação continuada de professores de Biologia no período de 2015 a 2020. Cadernos de Pós-graduação, [S. l.], v. 23, n. 1, p. 70–82, 2024. DOI: 10.5585/cpg.v23n1.24417. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/cadernosdepos/article/view/24417. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos