Impactos da pandemia de COVID-19 nas práticas de avaliação da aprendizagem na graduação

Joe Garcia, Nicolas Fish Garcia

Resumo


Este artigo apresenta um estudo sobre o impacto da pandemia de COVID-19, ocorrida no primeiro semestre de 2020, sobre a avaliação da aprendizagem de estudantes de graduação. Questionamos um conjunto de professores, de diferentes universidades brasileiras, sobre mudanças nas suas práticas de avaliação, introduzidas no contexto do ensino remoto e das adaptações pedagógicas necessárias frente à pandemia. A pesquisa, de natureza qualitativa e exploratória, foi realizada por meio de entrevistas realizadas on-line. Os dados obtidos foram submetidos a uma abordagem de análise de conteúdo e interpretação teórica. A pesquisa identificou mudanças nas estratégias didáticas, nos critérios avaliativos e nos significados das práticas de avaliação.

 

 


Palavras-chave


Educação superior; Avaliação; Aprendizagem; Pandemia; COVID-19

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Parecer CNE/CP 5/2020. Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. Brasília: CNE, 2020.

BRASIL. Censo da educação superior. Brasília: INEP, 2019.

BRISCOE, G., SADEDIN, S.; DE WILDE, P. Digital ecosystems: ecosystem-oriented architectures. Natural Computing, Basel, v. 10, n. 3, p. 1143–1194, 2011.

CHAUI, M. Escritos sobre a universidade. São Paulo: EDUNESP, 2001.

CARDOZIER, V. R. Colleges and universities in World War II. Westport: Praeger, 1993.

CRODA, J. et al. COVID-19 in Brazil: advantages of a socialized unified health system and preparation to contain cases. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Brasília, v. 53, p. 1-6, 2020.

DARIAN-SMITH, K.; WAGHORNE, J. The First World War, the universities and the professions in Australia 1914-1939. Melbourne: MUP, 2019.

DIAS SOBRINHO, J. Avaliação educativa: produção de sentidos com valor de formação. Avaliação, v. 13, n. 1, p. 193-207, 2008.

EISNER, E. The enlightened eye: qualitative inquiry and the enhancement of educational practice. New York: Teachers College Press, 2017.

HADJI, C. Avaliação desmistificada. Porto Alegre: Artmed, 2001.

HADJI, C. Avaliação, as regras do jogo: das intenções aos instrumentos. Porto: Porto, 1997.

HADJI, C. L’évaluation des actions éducatives. Paris : PUF, 1992.

HODGES, C. et al. The difference between emergency remote teaching and online learning. EDUCAUSE Review, Louisville, v. 55, n. 2, p. 1-8, March 2020.

KERR, C. Higher education cannot escape history. New Directions for Higher Education, San Francisco, v. 70, p. 5–17, 1990.

LAANPERE, M. et al. Pedagogy-driven design of digital learning ecosystems. Computer Science and Information Systems, Novi Sad, v. 11, n. 1, p. 419–442, 2012.

LINCOLN, R. College adopts grading policy changes for spring term. The Harvard Gazette, Cambridge, March 2020. Disponível em: https://news.harvard.edu/gazette/story/2020/3/. Acesso em: 10 abr. 2020.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 22. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LUZ, A. A. A avaliação no ensino superior. Educar em Revista, Curitiba, v. 13, p. 55-66, 1997.

MAFFESOLI, M. Net-activisme: du mythe traditionnel à la cyberculture postmoderne. Sociétés, Paris, v. 124, n. 2, p. 7-19, 2014.

MAFFESOLI, M. O futuro da universidade. São Paulo: USP, 2012. Palestra. Disponível em: http://iptv.usp.br/portal/video.action?Iditem=10288. Acesso em: 10.mar.2020.

MEANS, B.; BAKIA, M.; MURPHY, R. Learning online: what research tells us about whether, when and how. New York: Routledge, 2014.

MEIRIEU, P. Postuler la compétence. In: UBALDI, J-L. (ed.). Les compétences. Paris: Editions Revue EPS, 2005. P. 11-26.

MEIRIEU, P. A pedagogia entre o dizer e o fazer. Porto Alegre: Artmed, 2002.

MESSICK, S. Meaning and values in test validation: the science and ethics of assessment. Educational Researcher, v. 18, n. 2, p. 5–11, 1989.

MEZIROW, J. Transformative dimensions of adult learning. San Francisco: Jossey-Bass, 1991.

PATTON, M. Q. Qualitative evaluation and research methods. 2. ed. Newbury Park: Sage, 1991.

ROESE, N.; SHERMAN, J. Expectancy. In: KRUGLANSKI, A.; HIGGINS, E. (ed.). Social psychology: handbook of basic principles. 2. ed. New York: Guilford Press, 1997. p. 91-115.

ROMÃO, J. E. Avaliação dialógica: desafios e perspectivas. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

RUDY, W. Total war and twentieth-century higher learning: universities of the western world in the First and Second World Wars. Rutherford: Fairleigh Dickinson University Press, 1991.

TITTLE, C.; HECHT, D.; MOORE, P. Assessment theory and research for classrooms: from taxonomies to constructing meaning in context. Educational Measurement: Issues and Practice, Mount Royal, v, 12, n. 4, p. 13–19, 2005.

TAYLOR, J. The impact of the First World War on British Universities. London: Palgrave Macmillan, 2018.

UNESCO. COVID-19 impact on education. Montreal: UNESCO Institute for Statistics, 2020.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n55.18870

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional