As possíveis contribuições das histórias em quadrinhos na aquisição da língua inglesa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/eccos.n67.24314

Palavras-chave:

Ensino e Aprendizagem, Língua Inglesa, Histórias em Quadrinhos (HQs).

Resumo

Este artigo tem como temática a presença das Histórias em Quadrinhos (HQs) em sala de aula, particularmente nas aulas de Língua Inglesa, a partir do posicionamento de que sua leitura contribui para a qualificação da aprendizagem do idioma, como segunda língua. Para evidenciar isso, versa sobre o conceito de storytelling (XAVIER, 2015) e de teorias da aprendizagem significativa, a partir de Ausubel (1968) e Rogers (1971); o campo teórico relacionado às HQs é construído, em especial, a partir de Eisner (2010), McCloud (1995) e Vergueiro (2012).

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Talize Zillio, Universidade LaSalle

Mestre em Educação pelo PPG em Educação da Universidade LaSalle. Graduada em Letras pela Unisinos

Gelson Weschenfelder, Instituto Federal do Rio Grande do Sul – IFRS

Pos doutorando no PPG de Educação na PUCRS. Doutor e Mestre em Educação. Graduado em Filosofia.

Ernani Mügge, Universidade Feevale – Feevale

Professor titular do PPG em Processos e Manifestações Culturais da Universidade Feevale

Referências

ALMEIDA, Ana Cristina; SANTOS, Eduardo (org.). Brincar: dos conceitos às práticas. Coimbra: Instituto da Psicologia Cognitiva Desenvolvimento Humano e Social da Universidade de Coimbra, 2019.

ALVES, J.M. Histórias em quadrinhos e educação infantil. Psicologia: Ciência e Profissão, v.21, n.3, 2001. Disponível em: http://pepsic.bvs-psi.org.br. Acesso em: 12 abr. 2020.

ANDREOLA, Balduino. WESCHENFELDER, Gelson; Histórias em Quadrinhos e seu Uso como Objeto Pedagógico. 2012. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/23/848. Acesso em: 14 jan. 2020.

AUSUBEL, David Paul. Educational Psychology: a cognitive view. Nova Iorque: Holt, Rinehart and Winston, 1968.

AUSUBEL, David. P. Aquisição e Retenção de Conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano, 2003.

BORIS, Vanessa. What Makes Storytelling so Effective for Learning? 2017. Disponível em: https://www.harvardbusiness.org/what-makes-storytelling-so-effective-for-learning/. Acesso em: 12 mar. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 25 jul. 2019.

CAGNIN, Antônio Luiz. Os Quadrinhos. São Paulo: Ática, 1975.

CALAZANS, Flávio. Histórias em Quadrinhos na Escola. São Paulo: Paulus, 2004.

CALIL, Eduardo DIKSON, Dennys;. Da imagem ao texto: A construção do tópico discursivo em manuscritos escolares de histórias em quadrinhos. Revista Leitura (UFAL) [online], Maceió, v. 47, p. 333-353, jan/jun 2011.

CUSTÓDIO, José de Arimathéia Cordeiro. O superpoder da leitura. In: REZENDE, Lucinea Aparecida de. Leitura e Visão de Mundo: peças de um quebra-cabeça. Londrina: Eduel, 2007.

EISNER, Will. Quadrinhos e Arte Sequencial. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

FAY, David. Student Storytelling through Sequential Art. English Teaching Forum, v. 45, n. 3, p. 2-11, 21-23, 2007. Disponível em: https://eric.ed.gov/?id=EJ1099406. Acesso em: 11 mar. 2020.

FERNANDES, Marilene Alves; FELICETTI, Vera Lucia; SZEZECINSKI, Antonio F. M. Estratégias didáticas para o ensino da língua inglesa na educação básica. Comunicação & Educação, v. 24, n. 1, p. 69-81, 31 maio 2019.

FRANCO, Edgar. As HQtrônicas de terceira geração. In: GERALDO, S. C.; COSTA, L. C. (org.) Anais do Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas. Rio de Janeiro: ANPAP, 2012. p. 232-246.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Cortez Autores Associados, 1988.

(No texto está 2011, 1998 e 1988)

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo, SP: Paz e Terra, 2011.

HAASTRUP, Kirsten. Lexical Inferencing Procedures, or, Talking about Words: receptive procedures in foreign language learning with special reference to English. Tübingen: G. Narr, 1991.

JUSTO, Henrique. Cresça e Faça Crescer: lições de um dos maiores psicólogos – Carl Rogers. 7. ed. Canoas: Editora La Salle, 2002.

KRASHEN S.D.; T.D. TERRELL: The natural approach: language acquisition in the classroom. Oxford: Pergamon, 1983.

LIMA, Cândido Diógenes de (Org.). Ensino e Aprendizagem de Língua Inglesa: conversas com especialistas. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

LUYTEN, Sonia M. Bibe (org.). Histórias em quadrinhos: leitura crítica. 6.ed., São

Paulo: Paulinas, 2003.

MCCLOUD, Scott. Desvendando os Quadrinhos: história, criação, desenho, animação, roteiro. São Paulo: M. Books, 1995.

MOREIRA, Marco Antonio; MASINI, Elcie F. S. Aprendizagem Significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Centauro, 2001.

MURRAY, Janet H. Hamlet no Holodeck: o futuro da narrativa no ciberespaço. São Paulo, Itaú Cultural, UNESP, 2003.

NEVES, Silvia da Conceição. A História em Quadrinhos como Recurso Didático em Sala de Aula. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Trabalho de Conclusão de Curso de Artes Visuais) – Departamento de Artes Visuais, Universidade de Brasília, Palmas, Tocantins, 2012.

PAIVA, V. L. M. O. A LDB e a Legislação Vigente sobre o Ensino e a Formação de Professor de Língua Inglesa. ln: STEVENS, Cristina Maria Teixeira. Caminhos e Colheitas: ensino e pesquisa na área de inglês no Brasil. Brasília: UnB, 2003. p. 53-84.

PARKER, Trent S.; WAMPLER, Karen S. Changing Emotion: the use of therapeutic storytelling. DOI: 10.1111/j.1752-0606.2006.tb01597.x. First Published, p. 155-166, 2006. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/16676893/. Acesso em: 03 mar. 2020.

PIAGET, Jean. O diálogo com a criança e o desenvolvimento do raciocínio. São Paulo: Scipione, 1997.

RAMOS, Paulo. A Leitura dos Quadrinhos. São Paulo: Conte, 2004

ROGERS, Carl R. Liberdade para Aprender. Trad. Edgar de Godói da Mata Machado. Belo Horizonte: Interlivros, 1971.

ROGERS, Carl R. Significant Learning: in therapy and in education. Educational Leadership, n. 14, p. 232-24, jan. 1959. Disponível em: http://www.ascd.org/ASCD/pdf/journals/ed_lead/el_195901_rogers.pdf. Acesso em: 09 mar. 2020.

ROSENTHAL, Sarah. What Scott McCloud Taught us about Internet Storytelling: he had this figured out 25 years ago. 2019. Disponível em: https://lithub.com/what-scott-mccloud-taught-us-about-internet-storytelling/. Acesso em: 14 mar. 2020.

ROSSO, Aline Casagrande. Teaching English through songs. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade do Extremo Sul Catarinense. Criciúma, 2010.

SILVA, Rafael L. A Contribuição das Histórias em Quadrinhos de Super-Heróis para a Formação de Leitores Críticos. Anagrama, v. 5, n.1, p. 1-12. 12 jun. 2011.

SZEZECINSKI, Antonio Filipe Maciel. Estratégias Utilizadas por Adultos na Aprendizagem de Língua Inglesa – Ultrapassando As Barreiras Linguísticas. 2018. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade La Salle, Canoas, 2018. Disponível em: http://dspace.unilasalle.edu.br/bitstream/11690/896/1/afmszezecinski.pdf. Acesso em: 26 abr. 2020.

ZILIO, Talize. Histórias em quadrinhos: um estudo sobre ensino e aprendizagem da língua inglesa [Dissertação] Talize Zilio, 2020.

VERGUEIRO, Waldomiro. A Linguagem dos Quadrinhos: uma “alfabetização” necessária. In: RAMA, Ângela; VERGUEIRO, Waldomiro. (Org.). Como Usar as Histórias em Quadrinhos na Sala de Aula. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2010.

VERGUEIRO, Waldomiro. Uso das HQs no Ensino. In: RAMA, Ângela; VEGUEIRO, Waldomiro (org.). Como Usar as Histórias em Quadrinhos na Sala de Aula. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2012.

WAGLER, M. (1994). Jailbreak! Storytelling in room 103. In National Storytelling Association’s, Tales as Tools: The power of story in the classroom (pp. 21 - 29). Jonesborough, TN: National Storytelling Press.

WESCHENFELDER, Gelson. Homens de Aço? Os super-heróis como tutores de resiliência. Curitiba: Appris, 2020.

WESCHENFELDER, Gelson; KRONBAUER, Luiz G. As HQs e a Formação da Consciência Moral das Crianças. 2010. Disponível em: https://www.ucs.br/ucs/tplcinfe/eventos/cinfe/artigos/artigos/arquivos/eixo_tematico7/As%20HQs%20e%20a%20formacao%20da%20consciencia%20moral%20das%20criancas.pdf. Acesso em: 12 jan. 2020.

WESCHENFELDER, Gelson. Filosofando com os Super-Heróis. 2. ed. Porto Alegre: Mediação, 2013.

XAVIER, Glayci Kelli Reis da Silva. Histórias em Quadrinhos: panorama histórico, características e verbo-visualidade. Darandina Revista Eletrônica, v. 10, n. 2, 2017.

XAVIER, Adilson. Storytelling: histórias que deixam marcas. Rio de Janeiro: Best Business, 2015.

Downloads

Publicado

18.12.2023

Como Citar

ZILLIO, Talize; WESCHENFELDER, Gelson; MÜGGE, Ernani. As possíveis contribuições das histórias em quadrinhos na aquisição da língua inglesa. EccoS – Revista Científica, [S. l.], n. 67, p. e24314, 2023. DOI: 10.5585/eccos.n67.24314. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/24314. Acesso em: 24 fev. 2024.