O que entender por formação quando se trata da educação dos estudantes no ensino médio?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/eccos.n67.25529

Palavras-chave:

contenidos cognitivos formativos, escuela secundaria, formación humana

Resumo

Busca-se, aqui, alguma resposta à pergunta colocada no título que indica tratar-se da formação, ou de elementos possivelmente formativos, no âmbito da educação escolar e no Ensino Médio. Indica-se que há uma contribuição possível para a formação dos jovens do Ensino Médio que se dá na oferta de conteúdos formativos que os ajudem no desenvolvimento de sua dimensão subjetiva o que exige o desenvolvimento de sensibilidades que a constituem, como as indicadas no texto. através da oferta de conteúdos cognitivos capazes de auxiliá-los no desenvolvimento dessas sensibilidades as quais, por sua vez, são necessárias para o desenvolvimento de suas subjetividades. Por ser oferecida no âmbito da educação escolar, envolve diversos aspectos, mas tem nos aspectos cognitivos uma ênfase especial. Daí a chamada de atenção sobre eles e a reiterada insistência sobre não se tratar apenas de oferecer informes, também necessários, mas de, ao mesmo tempo, oferecer ajuda educacional para que os alunos elaborem pessoalmente, com elas seus conhecimentos, esses sim, parte importante, não suficiente, dos conteúdos formativos de que necessitam. Formação esta, merecedora dos maiores cuidados possíveis, aliados aos necessários novos cuidados com a formação dos educadores que se propõem a oferecer ajuda educacional e estes jovens.

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Antônio Lorieri, Universidade Nove de Julho - UNINOVE

Licenciatura em Filosofia (USP), Doutorado em Filosofia da Educação (PUCSP). Professor e Pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNINOVE. Tem publicações diversas na área. 

Referências

CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. 13 ed. São Paulo: Ed. Ática, 2003

DAMÁSIO, Antônio. O mistério da consciência. (2000). São Paulo: Companhia das Letras, 2000

FREIRE, Paulo. Educação com prática da liberdade. São Paulo: Paz e Terra, 1975,

FREIRE, Paulo, FAUNDEZ, Antonio. Por uma Pedagogia da Pergunta. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 39ª ed. São Paulo, Paz e Terra, 2009 (Edição especial 1.000.000 de exemplares).

KANT, Immanuel. Sobre a pedagogia. Trad. Francisco Cock Fontanella. Piracicaba, SP: Editora Unimep, 1996.

KANT, Immanuel O que é a ilustração? In: KANT, Immanuel. Textos Seletos, Petrópolis: Vozes, p.63 ss.

MARX, K. e ENGELS, F. A ideologia alemã. [I- Feurbach]. 2ª ed. Trad. José Carlos Bruni e Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, 1979.

SAVATER, Fernando. O valor de educar. Trad. Mônica Stahel. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

SEVERINO, Antônio Joaquim. A contribuição da Filosofia para a Educação. Em Aberto. Brasília, ano 9, n. 45, p. 19-25, jan. mar. 1990.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Educação, sujeito e história. São Paulo: Olho d’Água, 2001.

SEVERINO, Antônio Joaquim. A filosofia na formação do jovem e a ressignificação de sua experiência existencial. In: KHOAN, W. Ensino de filosofia: perspectivas. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

SEVERINO, Antônio Joaquim Filosofia no Ensino Médio. São Paulo: Cortez, 2014.

Downloads

Publicado

18.12.2023

Como Citar

LORIERI, Marcos Antônio. O que entender por formação quando se trata da educação dos estudantes no ensino médio?. EccoS – Revista Científica, [S. l.], n. 67, p. e25529, 2023. DOI: 10.5585/eccos.n67.25529. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/25529. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê 67 - Formação no Ensino Médio: Contribuições da Filosofia