Intervenções educacionais e subjetividade: o desafio da ação concreta em investigações científicas

Leila Maria Vieira Kim, Elaine Teresinha Dal Mas Dias

Resumo


Este artigo mapeia o lugar ocupado pelas intervenções educacionais no conhecimento científico na contemporaneidade. O objetivo é democratizar informações básicas sobre intervenção social, para nela incluir novos pesquisadores que atuam na área educacional. Para isso, sintetizamos questões teóricas e práticas que permeiam a construção do conhecimento em ciências de fronteira e de vanguarda, bem como a ruptura causada pelas intervenções, enquanto ciência aplicada na área socioeducacional. Consideramos a importância desta técnica científica de pesquisa em situações de turbulência decorrentes de crises, que demandam soluções mais adequadas ao momento sociocultural, econômico e político em que vivemos. Exemplificamos sua aplicação em projetos de pesquisa-ação instrumentalizados pelo psicodrama pedagógico articulado à psicanálise, em programas participativos da sociedade civil e do Estado; na inter-relação professor-aluno para a aquisição da leitura e escrita; em grupo de idosos e em sala de aula de curso de pós-graduação, em uma universidade portuguesa.

 

 


Palavras-chave


Ciência; Intervenção educacional; Pesquisa-ação; Cultura

Texto completo:

PDF

Referências


ANZIEU, D. O grupo e o inconsciente: o imaginário grupal. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1993.

ANZIEU, D.; MARTIN, J. Y. La dinâmica de los grupos pequeños. Buenos Aires: Kapelusz, 1992.

BAPTISTA, M. M. Ócio, temporalidade e existência: uma leitura à luz da fenomenologia e hermenêutica heideggereanas. Revista Lusófona de Estudos Culturais, Braga, v. 1, n. 2, p. 173-182, 2013.

BAPTISTA, M. M. Ócio. A questão do Outro na Europa da cultura. In: CUNHA, N. (Coord.). Europa: globalização e multiculturalismo: actas dos Encontros de Outono, 19-20 nov. 2004. Vila Nova de Famalicão: Câmara Municipal: Ausência: Museu Bernardino Machado, 2006. p. 165-179.

BION, W. R. Dinâmica de grupo: uma revisão. In: KLEIN, M.; HEIMANN, P.; KIRLE, R. E. (Org.). Temas de psicanálise aplicada. Rio de Janeiro: Zahar, 1969. p. 166-206.

BION, W. R.Os elementos da psicanálise (inclui o aprender com a experiência). Rio de Janeiro: Zahar, 1966.

BION, W. R. Tradução: duas conferências de W. R. Bion. Turbulência emocional. Revista Brasileira de Psicanálise, São Paulo, v. 21, n. 121, p. 121-133, 1987.

BRANDÃO, C. R. Pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 1982.

CABEZA, M. C; AMIGO, M. C. O encontro entre o ócio e a cultura: reflexões sobre o ócio criativo desde a investigação empírica. In: BAPITSTA, M. M.; VENTURA, A. (Org.). Do ócio: debates no contexto cultural contemporâneo. Coimbra: Grácio, 2014. p. 11-32.

CASTELO FILHO, C. O processo criativo: transformação e ruptura. São Paulo: Blucher, 2015.

FLEURY, H. J.; ABDO, C. H. N. Uma proposta psicoterápica para a mulher climatérica. In: FLEURY, H. J. (Org.). Intervenções grupais na saúde. São Paulo: Ágora, 2005. p. 52-71.

FLEURY, H. J.; MARRA, M. M. Introdução. In: MARRA, M. M. (org.). Grupos: intervenção socioeducativa e método sociodramático. São Paulo: Ágora, 2008. p. 13-21.

FREUD, S. O estranho. In: FREUD, S. Obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Edição standard brasileira. Comentários e notas de James Strachey. Rio de Janeiro: Imago, 1976a. v. 18, p. 13.

FREUD, S. Fragmentos da análise de um caso de histeria. In: FREUD, S. Obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Edição standard brasileira. Comentários e notas de James Strachey. Rio de Janeiro: Imago, 1976b. v. 7, p. 113.

FREUD, S. Inibições, sintomas e ansiedade. In: FREUD, S. Obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Edição standard brasileira. Comentários e notas de James Strachey. Rio de Janeiro: Imago, 1976c. v. 20, p. 107-180.

FOUCAULT, M. Nietzche, a genealogia e a história. In: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Organização, introdução e revisão técnica de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1979. p. 12-23.

HABERMAS, J. Tecnologia e ciência como “ideologia”. Lisboa: Edições 70, 1994.

KAUFFMANN, A. L. Sobre a contemplação reflexiva estética na sessão psicanalítica. Revista Brasileira de Psicanálise, São Paulo, v. 42, n. 4, p. 29-39, 2008.

KIM, L. M. V. Estudo da contratransferência do professor na inter-relação com o grupo de alunos. 2008. Tese (Doutorado em Psicologia Clínica)  Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

KIM, L. M. V. Intervenção sociopsicodramática: forma particular de exercício do poder político. Revista Brasileira de Psicodrama, São Paulo, v. 21, n. 1, p. 25-38, 2013.

KIM, L. M. V. Pensamento e relações amorosas: uma experiência com grupo de idosas. In: FREITAS, D. C. (Org.). Por trás dos fatos: a psicanálise pode explicar! São Paulo: Vetor, 2017. p. 22- 40.

KIM, L. M. V. Psicodrama e intervenção social. Revista Brasileira de Psicodrama, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 25-32, 2009.

KIM, L. M. V. Tempo do ócio: espaço do pensamento para a construção da espontaneidade, em uma intervenção grupal com idosas. Revista Brasileira de Psicodrama, São Paulo, v. 24, n. 1, p. 76-82, 2016.

KIM, L. M. V.; DIAS, E. T. M. Angústia de separação e capacidade de simbolizar na inter-relação entre o professor e a turma de alunos. In: KIM, L. M. V.; BAPTISTA, M. M.; DIAS, E. T. M. (Org.). Polifonias psicológicas e educacionais: olhares direcionados para a escola e a cultura. São Paulo: Paidos, 2017. No prelo. ISBN 978-85-462-1100-5.

KLEIN, M. Notas sobre alguns mecanismos esquizóides. In: KLEIN, M. Inveja e gratidão e outros trabalhos. Rio de Janeiro: Imago, 1991. p. 17-43.

MORENO, J. L. Psicodrama. São Paulo: Cultrix, 1993.

MORIN, E. Educação e complexidade: os sete saberes e outros ensaios. Organização de M. da C. Almeida e E. de A. Carvalho. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Tradução de E. Lisboa. 5. ed. Porto Alegre: Sulina, 2015.

MORIN, E. O paradigma perdido: a natureza humana. Sintra: Europa-América, 1973.

NAFFAH NETO, A. Psicodrama: descolonizando o imaginário. São Paulo: Brasiliense, 1979.

RIBEIRO, R. W. Paisagem cultural e patrimônio. Rio de Janeiro: Iphan: Copedoc, 2007.

SANTOS, M. Pensando o espaço do homem. 5. ed. São Paulo: Edusp, 2004.

SEVERINO, A. J. Conhecimento, subjetividade e ideologia. Educação e Subjetividade, São Paulo, ano 1, n. 1, p. 11-36, 2005.

SIMON, R. Impotência contratransferencial: esboço de compreensão metapsicológica. Revista Brasileira de Psicanálise, São Paulo, v. 26, n. 1-2, p. 15-26, 1991.

SIMON, R. Psicoterapia breve operacionalizada. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2005.

TASSARA, E. T. de O. Análise de um programa de intervenção sobre o sistema educacional: da premissa à possibilidade. 1982. Tese (Doutorado em Psicologia Clínica)  Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1982.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n56.8585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional