Análise das variáveis de distância da marcha de pacientes com acidente vascular encefálico

Vanessa Mello Romero, Paulo Tarso Camillo de Carvalho, Erica Martinho Salvador Laraia, Naila de Campos Soares

Resumo


Neste estudo, o objetivo foi analisar, do ponto de vista quantitativo, as possíveis alterações da marcha de 11 pacientes (oito do sexo masculino e três do sexo feminino), idade média de 61,7±16,4 anos, com diagnóstico clínico de AVE. Foram investigadas as seguintes variáveis: base de suporte, comprimento do passo e comprimento da passada, por meio do método de impressão plantar, em uma distância de 5 metros. Houve ausência de significância entre idade e base de suporte, idade e comprimento do passo e base de suporte e comprimento do passo. Os resultados da análise comparativa entre o comprimento da passada do pé esquerdo e pé direito não evidenciou diferença significante (p = 0,338), e a base de suporte encontrou-se aumentada na maioria dos sujeitos, havendo redução do comprimento do passo e da passada.

Palavras-chave


Acidente Vascular Encefálico; Hemiplegia; Marcha.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v7i3.1279

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2008 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional