As origens das Diretrizes Curriculares propostas pela Comissão de Especialistas em Psicologia: um breve histórico

Yara Nico, Roberta Kovac

Resumo


O presente artigo propõe-se a analisar as origens das diretrizes curriculares propostas pela comissão de especialistas em Psicologia. Para tanto, apresenta-se um breve histórico da inserção da Psicologia no país e seu desenvolvimento com relação às questões da formação abordadas pelas diretrizes curriculares desta área. Tal histórico inicia-se nos tempos coloniais e passa pelo período em que se origina a formação de um saber psicológico acadêmico e pela formação em nível superior. Deste último momento, destacam-se as disposições existentes no currículo mínimo, cuja vigência é inaugurada em 1963. Os currículos propostos pelas instituições de ensino superior, bem como o profissional que começou a ser formado a partir de então, passaram a ser objetos de análise e debates de diversas pesquisas e encontros na área da Psicologia. Em dezembro de 1999, a Comissão de Especialistas divulgou a versão final das Diretrizes Curriculares da Psicologia, que aqui são analisadas tendo em vista os problemas na formação profissional levantados pela produção da área e o compromisso cada vez maior da Psicologia no Brasil com uma atuação genuinamente crítica.

Palavras-chave


formação em Psicologia; diretrizes curriculares; ensino superior.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v2i0.196

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2003 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional