Estudo histológico da cicatrização de feridas cutâneas utilizando a banha de bacuri (Platonia insignis Mart.)

Reginaldo Queiroz dos Santos Júnior, Lícia Candido Soares, Antonio Luís Martins Maia filho, Karinne Araujo de Sousa, Ísidra Manoela Sousa Portela Santos, Joaquim Soares da Costa Júnior, Jenifer Saffi

Resumo


Introdução: O processo de cicatrização é uma sequência de reações para reconstituir o tecido. O bacurizeiro (Platonia insignis Mart.) é nativo da Amazônia e é usado como cicatrizante e antibiótico. Objetivo: Analisar a cicatrização de feridas cutâneas tratadas com a banha de bacuri. Metodologia: Utilizaram-se 46 ratos Wistar, machos. Confeccionou-se uma ferida de 2 cm de diâmetro no dorso dos animais e em seguida foram distribuídos em dois grupos: controle e tratado com banha de bacuri. Foram avaliados no 4º, 7º e 14º dias do pós-operatório. Resultados: A inflamação aguda reduziu a partir do sétimo dia nos dois grupos, sendo mais evidente no grupo experimental.  No quarto dia, ambos os grupos não mostraram reepitelização, já no sétimo, os animais tratados com a banha demonstraram reepitelização considerável. Conclusão: A banha de bacuri foi eficiente no sétimo dia de tratamento. Os ácidos graxos presentes nessa substância favorecem o processo cicatricial.

Palavras-chave


Cicatrização de feridas; Fitoterapia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v9i4.2357

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2010 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.