Comparação dos conceitos e práticas de humanização entre profissionais de saúde submetidos ou não à internação hospitalar

Tamara Bicudo Arseniadis Mendes, Juliana Paula Venites, Luciana Escanoela Zanato

Resumo


Introdução: Ações humanizantes são hoje fator de melhora para a qualidade de vida do paciente. Objetivo: Comparar conceitos e práticas de humanização entre dois profissionais de saúde submetidos ou não à internação hospitalar e compreender o seu entendimento sobre o assunto, os significados dos valores e princípios que norteiam sua prática, as vivências experimentadas e as modificações de conduta, visando alcançar as percepções que balizam a humanização. Método: Utilizou-se um protocolo com questões objetivas e abertas baseadas na literatura da área, aplicado a 36 profissionais da Santa Casa de Vinhedo, em julho de 2008. Resultados: Verificou-se em ambos os grupos o predomínio de condutas humanizantes, com uma porcentagem menor dessas atitudes no grupo sem vivência como paciente. Conclusão: Evidenciou-se que a vivência experimentada pelos profissionais de saúde como pacientes os tornam mais humanos e sensíveis às necessidades dos doentes pela modificação de conceitos e práticas de humanização.

Palavras-chave


Hospitalização; Humanização da assistência; Profissional de saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v10i4.2384

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.