Práticas baseadas em ocupações por terapeutas ocupacionais brasileiros no acidente vascular encefálico: uma revisão sistemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/22.2023.24076

Palavras-chave:

Atividades Diárias, Reabilitação, Acidente Vascular Cerebral, Terapia Ocupacional.

Resumo

Introdução: Ocupações como tratamento, são umas das abordagens mais usadas na reabilitação do Acidente Vascular Encefálico (AVE); no entanto, pouco se sabe do seu impacto comparado a outras estratégias.
Objetivo: Analisar o efeito de práticas baseadas em ocupações na reabilitação do AVE conduzidas por terapeutas ocupacionais brasileiros (TOBs).
Métodos: Revisão sistemática baseada no Checklist PRISMA. A pergunta de pesquisa foi redigida a partir do acrônimo PICO. Termos consultados: Acidente Vascular Cerebral; Reabilitação; e Terapia Ocupacional. Os títulos identificados foram alimentados no Programa Rayyan, nas etapas de seleção e elegibilidade, com aplicação de critérios terminológicos das ocupações. A análise de viés foi feita pela Ferramenta de Colaboração Cochrane. O Teste Kappa calculou o índice de confiabilidade.
Resultados: Confirmou-se que as Atividades de Vida Diária (AVDs) são as estratégias mais comuns também por TOBs. Há crescente interesse pela gameterapia nas intervenções dos TOBs. Foi encontrada consistência na condução terapêutica com desfechos favoráveis à recuperação pós-AVE, a partir das ocupações, mas com enviesamento metodológico.
Conclusão: As evidências não são suficientes para afirmar categoricamente que as práticas baseadas em ocupações são mais relevantes para estabelecer a recuperação pós-AVE que outras abordagens conduzidas por TOBs.
Prospero: CRD42020223565.

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Marques Cardoso, Universidade Federal do Pará

Docente, Faculdade de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (FFTO/ICS/UFPA)/ Doutor em Neurociências e Biologia Celular (UFPA).

Referências

Roth GA, Abate D, Abate KH, Abay SM, Abbafati C, Abbasi N, et al. Global, regional, and national age-sex-specific mortality for 282 causes of death in 195 countries and territories, 1980–2017: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2017. The Lancet. novembro de 2018;392(10159):1736–88.

Martin-Saez MM, James N. The experience of occupational identity disruption post stroke: a systematic review and meta-ethnography. Disability and Rehabilitation. 10 de abril de 2021;43(8):1044–55.

Perin C, Bolis M, Limonta M, Meroni R, Ostasiewicz K, Cornaggia CM, et al. Differences in Rehabilitation Needs after Stroke: A Similarity Analysis on the ICF Core Set for Stroke. IJERPH. 16 de junho de 2020;17(12):4291.

Branco LC, Da Silva AAN, De Souza AA, Borcem Alho AP, Da Paixão GM. Efeitos da Prática baseada em ocupações sobre o desempenho ocupacional e a função motora de sobreviventes de AVE/Effects of occupation-based practice on occupational performance and motor function in survivors of stroke. Rev Interinst Bras Ter Ocup. 2 de agosto de 2021;5(3):306–19.

Soltaninejad H, Alizadeh Zarei M, Akbarfahimi M, Azad A, Miri Lavasani N. A Study on the Factor Structure, Construct Validity and Reliability of the Activities of Daily Living of Iranian Children (ADLIC) Scale. Middle East J Rehabil Health Stud [Internet]. 7 de março de 2021 [citado 28 de setembro de 2023];8(2). Disponível em: https://brieflands.com/articles/mejrh-110946.html

Fagundes TA, Pereira DAG, Bueno KMP, Assis MG. INCAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSOS COM DEMÊNCIA. Cad Ter Ocup UFSCar. 2017;25(1):159–69.

Bittencourt EDS, Moreira PS, Paixão GMD, Cardoso MM. A atuação do terapeuta ocupacional em Unidade de Terapia Intensiva: uma revisão sistemática. Cad Bras Ter Ocup. 2021; 29:e2800.

Pollock A, Farmer SE, Brady MC, Langhorne P, Mead GE, Mehrholz J, et al. Interventions for improving upper limb function after stroke. Cochrane Stroke Group, organizador. Cochrane Database of Systematic Reviews [Internet]. 12 de novembro de 2014 [citado 18 de novembro de 2022]; Disponível em: https://doi.wiley.com/10.1002/14651858.CD010820.pub2.

Ouzzani M, Hammady H, Fedorowicz Z, Elmagarmid A. Rayyan—a web and mobile app for systematic reviews. Syst Rev. dezembro de 2016;5(1):210.

Estrada-Barranco C, Cano-de-la-Cuerda R, Molina-Rueda F. Construct validity of the Wisconsin Gait Scale in acute, subacute and chronic stroke. Gait & Posture. fevereiro de 2019;68:363–8.

. Albuquerque CP, Vitagliano E, Yamada JY, Fagundes C, Garcia RE, Braga R, et al. Grupo de atividades de vida diária: influência do procedimento em pacientes adultos com acidente vascular encefálico isquêmico. Grupo de atividades de vida diária: influência do procedimento em pacientes adultos com acidente vascular encefálico isquêmico [Internet]. 2011;18(2). Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-663356

Almeida LS, Silva AA, Da Paixão GM, Dos Santos TTS. Conceito Bobath e ocupação trabalho na reabilitação do paciente pós-AVE / Bobath concept and occupation work in the rehabilitation of post-stroke patients. Rev Interinst Bras Ter Ocup. 6 de agosto de 2020;4(5):759–73.

Pereira Alves T, Ferraz Jaime G, Damasceno Seabra A, Miranda da Paixão G, Maki Omura K, Augusto de Araujo Costa Folha O, et al. Prática Mental, Terapia Ocupacional e Reabilitação no Acidente Vascular Cerebral. Rev Neurocienc. 30 de dezembro de 2020;28:1–25.

Aramaki AL, Sampaio RF, Cavalcanti A, Dutra FCMS e. Use of client-centered virtual reality in rehabilitation after stroke: a feasibility study. Arq Neuro-Psiquiatr. setembro de 2019;77(9):622–31.

Cardoso MM, Lobo DC, Da Cruz MJ, De Araújo Monteiro RP, Seabra AD, Da Paixão GM, et al. Abordagens específicas da Terapia Ocupacional na Reabilitação após acidente vascular encefálico/Specifc approaches of Occupational Therapy in the rehabilitation after Stroke. Rev Interinst Bras Ter Ocup. 30 de abril de 2019;3(2):191–209.

Cardoso JS, Miranda IC da C, Da Paixão GM. Efeitos da terapia baseada no conceito Bobath e da Terapia por Contensão Induzida na capacidade funcional de indivíduos sobreviventes de acidente vascular encefálico/Effects of therapy based on the Bobath concept and the Induced Contraction Therapy on the functional capacity of individuals who survived stroke. Rev Interinst Bras Ter Ocup. 30 de abril de 2020;4(2):178–91.

Coutinho NB, Mendes PVB, Sime MM. A influência do uso do Nintendo WII na reabilitação de um paciente com sequelas de acidente vascular cerebral: um estudo de caso. A influência do uso do Nintendo WII na reabilitação de um paciente com sequelas de acidente vascular cerebral: um estudo de caso. 2020;4(1):81–9.

Cruz DMC da, Piassi P, Sime MM, Silva NS, Vasconcelos FEO. Efeitos da intervenção em grupo de atividades de vida diária para pessoas com sequelas de acidente vascular encefálico. Efeitos da intervenção em grupo de atividades de vida diária para pessoas com sequelas de acidente vascular encefálico. 2014;18(3):189–201.

Mildner AR, Ponte AS, Delboni MCC, Pommerehn J, Estivalet K, Duarte BSL. Desempenho ocupacional de pessoas hemiplégicas pós-avc a partir do uso de tecnologias assistivas/Post-CVA hemiplegic patients occupational performance fromthe use of assistive technologies. Rev Interinst Bras Ter Ocup. 25 de setembro de 2017;1(4):447–56.

Oshiro SH, Oliveira CL de, Bim AC da S, Oliveira GSR de, Riberto M. Functional electrical stimulation optimized in patients with hemiparesis due to cerebrovascular disease. Acta Fisiátrica. 2012;19(1):46–9.

Rodrigues ACT, Faganello-Navega FR. Avaliação eletromiográfica dos músculos do membro superior de indivíduos hemiparéticos com uso da Terapia do Espelho. Rev Ter Ocup Univ São Paulo (Online). 30 de dezembro de 2016;27(3):278.

Emilyn Borba da S, Tonús D. Bandagem funcional - possível recurso coadjuvante para a reabilitação de pacientes hemiplégicos. CTO. 2014;22(3):543–50.

Thinen NC, Moraes ACF. Manual de orientação de posicionamento e execução de atividades da vida diária para pacientes com acidente vascular cerebral. CTO. 2013;21(1):131–9.

Tonús D, Queiroz LF de. Aplicação da Terapia de Contensão Induzida com protocolo adaptado para atendimento domiciliar e suas contribuições no quadro motor e na reabilitação de paciente pós-acidente vascular encefálico. CTO. 2015;23(3):543–52.

Zanona A de F, de Souza RF, Aidar FJ, de Matos DG, Santos KMB, Paixão M da C, et al. Use of Virtual Rehabilitation to Improve the Symmetry of Body Temperature, Balance, and Functionality of Patients with Stroke Sequelae. Ann Neurosci. 2018;25(3):166–73.

Legg LA, Lewis SR, Schofield-Robinson OJ, Drummond A, Langhorne P. Occupational therapy for adults with problems in activities of daily living after stroke. Cochrane Stroke Group, organizador. Cochrane Database of Systematic Reviews [Internet]. 19 de julho de 2017 [citado 14 de novembro de 2022];2017(7). Disponível em: http://doi.wiley.com/10.1002/14651858.CD003585.pub3

Park M, Ko MH, Oh SW, Lee JY, Ham Y, Yi H, et al. Effects of virtual reality-based planar motion exercises on upper extremity function, range of motion, and health-related quality of life: a multicenter, single-blinded, randomized, controlled pilot study. J NeuroEngineering Rehabil. dezembro de 2019;16(1):122.

Maier M, Rubio Ballester B, Duff A, Duarte Oller E, Verschure PFMJ. Effect of Specific Over Nonspecific VR-Based Rehabilitation on Poststroke Motor Recovery: A Systematic Meta-analysis. Neurorehabil Neural Repair. fevereiro de 2019;33(2):112–29.

Juckett LA, Wengerd LR, Faieta J, Griffin CE. Evidence-Based Practice Implementation in Stroke Rehabilitation: A Scoping Review of Barriers and Facilitators. The American Journal of Occupational Therapy. 1o de janeiro de 2020;74(1):7401205050p1–14.

Ramos MMA, Ramos PL, Louzada Neto F, Barba PC de SD. Utilização do Software R em pesquisas na terapia ocupacional. Cad Bras Ter Ocup. 2019;27(1):217–30.

McGlinchey MP, James J, McKevitt C, Douiri A, Sackley C. The effect of rehabilitation interventions on physical function and immobility-related complications in severe stroke: a systematic review. BMJ Open. fevereiro de 2020;10(2):e033642.

Wattchow KA, McDonnell MN, Hillier SL. Rehabilitation Interventions for Upper Limb Function in the First Four Weeks Following Stroke: A Systematic Review and Meta-Analysis of the Evidence. Archives of Physical Medicine and Rehabilitation. fevereiro de 2018;99(2):367–82.

De Souza Tolentino E, De Castro TF, Michellon FC, Passoni ACC, Ortega LJA, Iwaki LCV, et al. Adjuvant therapies in the management of medication‐related osteonecrosis of the jaws: Systematic review. Head & Neck. dezembro de 2019;41(12):4209–28.

Karges J, Smallfied S. A description of the outcomes, frequency, duration, and intensity of occupational, physical, and speech therapy in inpatient stroke rehabilitation. J Allied Health. 2009;38(1):E1-10.

Castro-Avila AC, Serón P, Fan E, Gaete M, Mickan S. Effect of Early Rehabilitation during Intensive Care Unit Stay on Functional Status: Systematic Review and Meta-Analysis. Copland DA, organizador. PLoS ONE. 1o de julho de 2015;10(7):e0130722.

36. Edwardson MA, Ding L, Park C, Lane CJ, Nelsen MA, Wolf SL, et al. Reduced Upper Limb Recovery in Subcortical Stroke Patients With Small Prior Radiographic Stroke. Front Neurol. 8 de maio de 2019;10:454.

Queiroz Silva Ribeiro KS, Neves RF, Guedes Brito GE, Meneses Sousa KD, Freitas Lucena EMD, Lopes Batista HR. ACESSO À REABILITAÇÃO NO PÓS-AVC NA CIDADE DE JOÃO PESSOA, PARAÍBA. Rev baiana de saúde pública. 7 de maio de 2013;36(3):699.

Oliveira RADD, Duarte CMR, Pavão ALB, Viacava F. Barreiras de acesso aos serviços em cinco Regiões de Saúde do Brasil: percepção de gestores e profissionais do Sistema Único de Saúde. Cad Saúde Pública. 2019;35(11):e00120718.

Schellack N, Smith N, Van Tonder L, Fourie EJ. An updated guide to treating stroke. SAPJ. 2020;97(4):26–34.

Szelenberger R, Kostka J, Saluk-Bijak J, Miller E. Pharmacological Interventions and Rehabilitation Approach for Enhancing Brain Self-repair and Stroke Recovery. CN. 20 de dezembro de 2019;18(1):51–64.

Infarinato F, Romano P, Goffredo M, Ottaviani M, Galafate D, Gison A, et al. Functional Gait Recovery after a Combination of Conventional Therapy and Overground Robot-Assisted Gait Training Is Not Associated with Significant Changes in Muscle Activation Pattern: An EMG Preliminary Study on Subjects Subacute Post Stroke. Brain Sciences. 1o de abril de 2021;11(4):448.

Ghaffari A, Rostami HR, Akbarfahimi M. Predictors of Instrumental Activities of Daily Living Performance in Patients with Stroke. Costi S, organizador. Occupational Therapy International. 27 de fevereiro de 2021;2021:1–7.

Rodríguez-Hernández M, Polonio-López B, Corregidor-Sánchez AI, Martín-Conty JL, Mohedano-Moriano A, Criado-Álvarez JJ. Effects of Specific Virtual Reality-Based Therapy for the Rehabilitation of the Upper Limb Motor Function Post-Ictus: Randomized Controlled Trial. Brain Sciences. 28 de abril de 2021;11(5):555.

Chiang VCL, Lo KH, Choi KS. Rehabilitation of activities of daily living in virtual environments with intuitive user interface and force feedback. Disability and Rehabilitation: Assistive Technology. 3 de outubro de 2017;12(7):672–80.

Ferreira V, Carvas N, Artilheiro MC, Pompeu JE, Hassan SA, Kasawara KT. Interactive Video Gaming Improves Functional Balance in Poststroke Individuals: Meta-Analysis of Randomized Controlled Trials. Eval Health Prof. março de 2020;43(1):23–32.

Miranda CS, Oliveira T de P, Gouvêa JXM, Perez DB, Marques AP, Piemonte MEP. Balance Training in Virtual Reality Promotes Performance Improvement but Not Transfer to Postural Control in People with Chronic Stroke. Games for Health Journal. agosto de 2019;8(4):294–300.

Navarro MD, Llorens R, Borrego A, Alcañiz M, Noé E, Ferri J. Competition Enhances the Effectiveness and Motivation of Attention Rehabilitation After Stroke. A Randomized Controlled Trial. Front Hum Neurosci. 30 de setembro de 2020;14:575403.

Kristensen HK, Persson D, Nygren C, Boll M, Matzen P. Evaluation of evidence within occupational therapy in stroke rehabilitation. Scandinavian Journal of Occupational Therapy. março de 2011;18(1):11–25.

Stewart C, Subbarayan S, Paton P, Gemmell E, Abraha I, Myint PK, et al. Non-pharmacological interventions for the improvement of post-stroke activities of daily living and disability amongst older stroke survivors: A systematic review. Bayer A, organizador. PLoS ONE. 4 de outubro de 2018;13(10):e0204774.

Downloads

Publicado

11.12.2023

Como Citar

1.
Souza AA de, Alho APB, Folha OA de AC, Seabra AD, Paixão GM da, Cardoso MM. Práticas baseadas em ocupações por terapeutas ocupacionais brasileiros no acidente vascular encefálico: uma revisão sistemática. Cons. Saúde [Internet]. 11º de dezembro de 2023 [citado 25º de fevereiro de 2024];22(1):e24076. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/saude/article/view/24076

Edição

Seção

Revisões de literatura