Cicatrização de feridas com a utilização do extrato de Chenopodium ambrosioides (mastruz) e cobertura secundária estéril de gaze em ratos

Elisgardênia Maria Lima Sérvio, Karinne Sousa de Araújo, Lyon Richardson da Silva Nascimento, Charllyton Luis Sena da Costa, Liana Martha Soares Mendes, Antônio Luis Martins Maia Filho, Ísidra Manoela Sousa Portela Santos

Resumo


Introdução: O mastruz (Chenopodium ambrosioides) é considerado uma das plantas mais utilizada na medicina popular. Objetivos: Verificar a cicatrização de feridas cutâneas tratadas com o mastruz com e sem cobertura. Métodos: Foram utilizados 45 ratos Wistar, divididos em três grupos. As feridas dos animais foram tratadas, como segue: no grupo 1, com solução salina 0,9%; no grupo 2, com o extrato do mastruz, e no 3, com o extrato do mastruz e recobertas com curativo. As lesões foram avaliadas no 4º, 7º e 14º dia pós-operatório. Resultados: Houve maior contração da ferida nos animais tratados com mastruz sem cobertura no 4º e 7º dia. No 14º dia, não houve diferença significativa da contração das áreas lesionadas e os achados histológicos exibiram moderada inflamação, maior organização da matriz e reepitelização parcial das lesões de todos os grupos. Conclusão: O extrato aquoso da planta Chenopodium ambrosioides (mastruz) favoreceu a cicatrização de feridas cutâneas abertas em ratos.

Palavras-chave


Cicatrização; Chenopodium ambrosioides; Pele.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v10i3.2664

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.