Efeito agudo do alongamento estático sobre a força muscular isométrica

Gabriel Vasconcellos de Lima Costa Silva, Anderson Luiz Bezerra da Silveira, Fabrízio Di Masi, Cláudio Melibeu Bentes, Humberto Lameira Miranda, Jefferson da Silva Novaes

Resumo


Objetivo: Verificar o efeito agudo do alongamento estático sobre a força muscular estática. Métodos: Participaram 25 sujeitos saudáveis, com experiência em treinamento de força, divididos aleatoriamente. Um grupo realizou dois testes de preensão manual precedido de alongamento dos músculos flexores do punho com amplitude articular até o ponto de desconforto, com sustentação do movimento por 30 segundos. O outro grupo realizou os mesmos testes sem ser precedido por nenhum tipo de exercício. Após 48 horas, os grupos inverteram o protocolo de treinamento. Para comparação entre as médias nos diferentes testes a análise estatística utilizada foi teste “t” para amostras não pareadas. Resultados: Foi verificada uma tendência de redução de força (p=0,06) em homens; e reduções estatisticamente significativas (p≤0,05), nas mulheres, ambos com melhor desempenho, quando apenas o teste de preensão manual foi executado. Conclusão: O protocolo de alongamento adotado neste estudo, causa de forma aguda, efeito negativo na produção de força isométrica.

Palavras-chave


Exercício; Exercício de alongamento muscular; Força muscular; Treinamento de resistência.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v11n2.3124

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2012 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.