Epidemiologia dos acidentes ofídicos no Estado do Rio Grande do Norte

Amauri Cassiano de Brito, Isabelle Ribeiro Barbosa

Resumo


Introdução: O ofidismo representa significativo problema de saúde pública no Brasil pela morbimortalidade que ocasionam. Objetivo: Descrever a epidemiologia dos acidentes ofídicos no RN. Métodos: Foram coletadas informações do Sinan dos acidentes ofídicos ocorridos no estado do RN no período de 2007 a 2011. Resultados: Registraram-se 2.106 casos de acidentes por serpentes, sendo os meses de maior ocorrência junho, julho e agosto. A maioria dos acidentes foi provocada pelo gênero Bothrops; o sexo masculino e os indivíduos de 20 a 34 anos de idade foram os mais acometidos; 52,85% dos acidentados foram atendidos em até três horas após a picada; 83,47% dos acidentes foram classificados clinicamente como leve ou moderado. Os municípios com maior número de registros de acidentes foram Natal e Mossoró. Onze óbitos foram registrados. Conclusão: O Estado do RN apresentou elevado número de acidentes e óbitos por serpentes, quando comparado a outros estados e regiões brasileiras.

Palavras-chave


Acidentes; Animais peçonhentos; Epidemiologia; Serpentes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v11n4.3967

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2012 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.