Relação entre a independência funcional pós-AVE e a sobrecarga do cuidador

Mirella Regina de Oliveira, André de Souza Rocha, Stella Maris Michaelsen

Resumo


Objetivos: Verificar o nível de independência funcional pós-AVE, as principais sobrecargas dos cuidadores e analisar o relacionamento entre estas variáveis. Método: Participaram do estudo 40 indivíduos, 20 sobreviventes de AVE na fase crônica, avaliados pela Medida de Independência Funcional (MIF); e 20 cuidadores, pelo Índice de Sobrecarga do Cuidador Modificado (ISCm). As análises incluíram estatística descritiva e correlação de Spearman. Resultados: Entre os participantes com AVE, 70% foram dependentes para os itens “banho”, “vestir­se” e “escadas”. Em 60% dos cuidadores, houve sobrecarga no item “cuidar é limitante”; e 75% deles mostraram conhecimento “ruim” sobre o AVE. Correlações negativas fortes (p<0,001) ocorreram entre o item sobrecarga física do ISCm e o nível de independência nas transferências para o leito/cadeira (r=­0,79) e marcha (r=-0,72). Conclusão: A dependência funcional dos pacientes pós-AVE pode contribuir para o desgaste físico do cuidador. Programas de apoio e suporte informacional ao cuidador tornam-se necessários.

Palavras-chave


Acidente vascular encefálico; Cuidadores; Saúde da pessoa com deficiência.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v12n2.4048

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.