Esclerose múltipla: aspectos nutricionais e o papel dos nutrientes específicos

Alessandra Imaizumi Grisante, Patrícia Stanich

Resumo


A esclerose múltipla (EM) é a mais comum das doenças neurológicas desmielinizantes do sistema nervoso central (SNC), de origem auto-imune e sem cura. É tratada com drogas imunossupressoras e imunomoduladoras, que interferem na evolução da doença. Na há dietoterapia específica, tampouco dados estatísticos sobre a prevalência do estado nutricional ou padrões alimentares desses pacientes, mas apenas condutas nutricionais baseadas nas recomendações vigentes e adaptadas às necessidades individuais. Esta revisão de literatura apresenta pesquisas que discutem o papel desempenhado pelos nutrientes específicos (vitaminas A, C, D, E, B12, ácidos graxos: ômega-3 e ômega-6 e zinco) sobre a etiologia ou os sintomas da doença

Palavras-chave


Dietoterapia. Esclerose múltipla. Nutrientes específicos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v5i1.432

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2006 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional