Relação entre força muscular e equilíbrio de idosos no programa de equilíbrio*

Eduardo Hauser, Valéria Feijó Martins, Adriane Ribeiro Teixeira, Ariane Dias Zabaleta, Andréa Kruger Gonçalves

Resumo


Introdução: Diversos fatores podem estar associados ao aumento do risco de quedas com o envelhecimento. A força muscular de membros inferiores (FMI), passível de treinamento, tem demandado a atenção de pesquisadores da área da Educação Física. Objetivo: Verificar a relação entre equilíbrio e FMI de idosos ingressantes em um programa de prevenção de quedas. Métodos: Formou-se a amostra com 32 idosos, com idade média de 76,54(±8,3) anos, participantes de um projeto de extensão. Realizaram-se os testes: sentar e levantar (FMI), apoio unipodal (equilíbrio estático), TUG (equilíbrio dinâmico) e alcance funcional (equilíbrio recuperável). Para análise estatística, usou-se correlação de Spearman (p<0,05) entre FMI e as variáveis AU, TUG, AF, no SPSS 18.0. Resultados: A média dos testes foram: FMI 15,6(±5,86), AU 15,71(±11,82), TUG 6,03(±1,84), AF 32,84(±6,26). A análise indica correlação estatisticamente significante entre FMI com apoio unipodal, alcance funcional e TUG. Conclusão: Trabalho de força muscular para idosos pode melhorar o equilíbrio e favorecer a prevenção de quedas.

Palavras-chave


Equilíbrio postural; Força muscular; Idoso.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v12n4.4392

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.