Efeito agudo dos exercícios resistidos sobre o desempenho da amplitude articular

Lennart da Silva Novaes Neto, Claudio Melibeu Bentes, Humberto Lameira Miranda, Rodolfo de Alkmim Moreira Nunes, Thiago Matassoli Gomes, Jefferson da Silva Novaes

Resumo


Objetivo: Comparar o efeito de diferentes intensidades de exercícios resistidos sobre o desempenho da amplitude articular de jovens treinados. Métodos: Após a realização dos testes iniciais (força e flexibilidade), os voluntários foram divididos aleatoriamente nas seguintes condições experimentais: (a) protocolo de força com 100% 1RM + teste de flexibilidade (G100); (b) protocolo de força com 80% 1RM + teste de flexibilidade (G80); (c) protocolo de força com 60% 1RM + teste de flexibilidade (G60) e (d) protocolo de força com 40% 1RM + teste de flexibilidade (G40). Para determinar os efeitos das quatro condições experimentais sobre a variável dependente (amplitude articular), foi realizada a análise de variância de um fator (one-way ANOVA). Para determinar as diferenças específicas foi realizado o teste post hoc de Bonferoni. Resultados: Dentre todas as análises, a condição G80 foi a que promoveu maiores alterações significativas sobre o desempenho da amplitude articular. Conclusão: Diferentes intensidades de exercícios resistidos provocam aumentos significativos sobre a resposta da amplitude articular em indivíduos jovens treinados.

Palavras-chave


Amplitude de movimento articular; Flexibilidade; Força muscular; Músculo esquelético.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v12n4.4683

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.