Efeito agudo do alongamento estático sobre a potência muscular em atletas de futebol feminino sub-17

Luí Toledo, Claúdio Melibeu Bentes, Humberto Miranda, Alexandre Palma, Victor Gonçalves Corrêa Neto

Resumo


Introdução: Pouco se sabe sobre os efeitos agudos do alongamento estático sobre a potência muscular em esportistas. Objetivo: Analisar o efeito agudo do alongamento estático sobre a produção de potência muscular em atletas de futebol feminino sub-17. Métodos: Onze jogadoras foram divididas em dois grupos. No grupo S0, as jogadoras executaram um salto para mensurar a potência muscular após o alongamento, já no S10, saltaram dez minutos após o alongamento. Para medida de potência, foi utilizada uma plataforma de salto. Resultados: O alongamento exerceu efeito deletério quando realizado imediatamente após o alongamento estático (P < 0,05), mas dez minutos após o alongamento não foi observado tal efeito (P > 0,05). Conclusão: O alongamento estático exerce efeito negativo sobre a potência muscular solicitada imediatamente após o alongamento, contudo, um intervalo de dez minutos entre o alongamento e a solicitação de potência é suficiente para que não ocorra efeito deletério significativo.

Palavras-chave


Fisiologia; Flexibilidade; Treinamento; Treinamento de resistência

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v13n2.4922

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.