Influência da institucionalização e da prática de atividade física no equilíbrio e na mobilidade funcional de idosos

Juliana Broering, Tamara Ferreira Rachadel, Marcelo Luza, Lisiane Piazza

Resumo


Objetivo: Analisar a influência da institucionalização e da prática de atividade física no equilíbrio e na mobilidade funcional de idosos. Métodos: Participaram 61 idosos, divididos em três grupos: 21 institucionalizados (GIN), 20 não institucionalizados ativos (GAT) e 20 não institucionalizados não ativos (GNAT). O equilíbrio e a mobilidade funcional foram avaliados pela Escala de Equilíbrio de Berg (EEB) e pelo teste Timed Up and Go (TUG), respectivamente. Analisaram-se os dados pela estatística descritiva e inferencial (Anova One Way, testes de Kruskall-Wallis e U de Mann-Whitney) com nível de significância de p≤0,05. Resultados: Observou-se diferença entre os grupos na EEB (p=0,001) e no TUG (p=0,001), com GAT apresentando melhor equilíbrio (55±1,4 pontos) e mobilidade funcional (8,4±2,03 segundos) em relação ao GNAT (48,6±8,8 pontos; 16,1±12,9 segundos) e GIN (34,3±15,1 pontos; 29,6±18,6 segundos). Conclusões: Idosos ativos apresentaram melhor equilíbrio, mobilidade funcional e menor risco de quedas. Já os institucionalizados apresentaram menor equilíbrio, mobilidade funcional reduzida e maior risco de quedas.

Palavras-chave


Equilíbrio postural; Idoso; Institucionalização.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v14n3.5453

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.