Validação brasileira da Escala de Atitudes frente a AIDS: modelo de Rasch

Samuel Spiegelberg Zuge, Crhis Netto de Brum, Wendel Mombaque dos Santos

Resumo


Introdução: A análise de Rasch permite estimar o nível de dificuldade das questões e o de habilidade dos participantes de forma separada e independente. Objetivo: Testar a validade da versão brasileira da Escala de Atitudes frente ao HIV/AIDS, segundo o modelo de Rasch. Método: Realizou-se um estudo transversal, com discentes de um curso de formação de professores, utilizando-se a Escala de Atitudes. A análise de dados foi efetuada mediante a análise psicométrica, pelo método de Rasch, usando-se o software estatístico Big Steps. Resultados: Verificou-se que 23% das questões não se encaixaram no preconizado pelo modelo. Contudo, o instrumento apresentou confiabilidade de 92%, índice de separação dos itens de 4,76 logits, boa consistência interna e externa. Conclusões: A escala demonstrou boa confiabilidade e correlação entre as questões, podendo contribuir para o aprofundamento de discussões e avaliações sobre as medidas de prevenção ao HIV/AIDS.

Palavras-chave


Síndrome da imunodeficiência adquirida; HIV; Conhecimento; Atitude frente à saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v14n3.5656

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.