Análise eletromiográfica de músculos da coluna vertebral durante a marcha em diferentes formas de carregar o bebê

Felipe Ribeiro Cabral Fagundes, Francine Mendonça de Luna Teixeira, Lerrine Fernanda Camargo, Luís Mochizuki, César Ferreira Amorim, Renato José Soares

Resumo


Introdução: A forma de carregar o bebê pode causar desequilíbrios em músculos relacionados à coluna vertebral.
Objetivos: Investigar a atividade elétrica dos músculos trapézio fibras descendentes e eretores lombares durante a marcha na simulação de carregar um bebê.
Métodos: 20 voluntárias, destras e saudáveis participaram das coletas durante a marcha em esteira na simulação do ato de carregar o bebê em diferentes formas: 1) posição horizontal; 2) posição vertical; 3) suporte tipo “canguru” e 4) suporte tipo “sling”. Os resultados eletromiográficos foram analisados pela análise da intensidade do sinal eletromiográfico dos músculos trapézio fibras descendentes e eretores espinhais lombares bilateralmente.
Resultados: A ANOVA de dois fatores indicou que a forma de carregar (F(4, 59)=17,1 p<0,001) e lado (F(1, 59)=89,6 p<0,001) afetaram a intensidade da atividade do músculo eretor espinhal e também a forma de carregar (F(4, 59)=6,4 p<0,001) e lado (F(1, 59)=59,9 p<0,001) do músculo trapézio fibras descendentes.
Conclusões: O suporte canguru gerou menor ativação em músculos espinhais durante a quando comparado a outras situações.

Palavras-chave


Coluna Vertebral; Gravidez; Eletromiografia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5585/conssaude.v15n2.6395

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 ConScientiae Saúde

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Conscientiae Saúde
ISSN: 1677-1028
e-ISSN: 1983-9324
www.conscientiaesaude.org.br

Conscientiae Saúde ©2020 Todos os direitos reservados.