Políticas de ações afirmativas: uma questão de reparação histórica e justiça social

Evangelita Carvalho Nóbrega

Resumo


O presente artigo apresenta um breve contexto histórico das ações afirmativas, da sua origem nos Estados Unidos da América, na Índia e em outros países; o percurso histórico de implantação no Brasil; os caminhos de reconhecimento e implementação de medidas de ação afirmativa na educação; e as cotas nas universidades públicas brasileiras. Descreve alguns conceitos, e posteriormente aponta aspectos de construção dos marcos regulatórios. Desse modo, a efetivação de políticas de ações afirmativas visa oferecer mecanismos de promoção de justiça social, principalmente à população negra, um grupo social vulnerável e historicamente injustiçado. As ações afirmativas na educação superior é instrumento de reparação e justiça social, que conduz à redistribuição das condições e oportunidades sociais; nesse sentido, revela o projeto em construção de uma nova sociedade em torno do direito fundamental à educação. Assim, o estudo é uma contribuição para trazer o tema ao debate.


Palavras-chave


Ações Afirmativas; Políticas Públicas; Cotas; Universidade



DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v15n0.6831

Direitos autorais



Cadernos de Pós-graduação
e-ISSN: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br

Cadernos de Pós-graduação ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional