Neoliberalismo em questão: influências no campo educacional brasileiro e na produção do conhecimento

Nádia da Silva Tessaro, Maria Luisa Furlan Costa, Vânia de Fátima Matias de Souza

Resumo


Este artigo objetiva discorrer sobre o percurso histórico da perspectiva econômica liberal e neoliberal, bem como sobre as possíveis influências na educação brasileira e a escassez da produção acadêmica nessa área. Tendo o materialismo histórico dialético como referencial adotado, o percurso metodológico utilizado foi: a) revisão sistemática de bases teóricas; b) busca de estudos publicados na base de dados “Scielo” entre 2007-2017, com os descritores: “trabalho docente”, “precarização”, “professor”, “políticas educacionais” e “neoliberalismo”. Foram encontrados 358 estudos, 157 relacionados ao “professor”, 10 com foco na “precarização”, e 37 relacionados ao “neoliberalismo”.  Verificou-se que as pesquisas educacionais, que relacionam a perspectiva neoliberal com a educação, carecem de mais publicações, visto que os princípios neoliberais estão atrelados historicamente à formulação e execução de políticas públicas reformistas. Estas afetam o sistema educacional brasileiro, pois focalizam seus esforços na educação básica, em detrimento ao Ensino Superior, atendendo às demandas de mercado e acirrando ainda mais as desigualdades sociais.

 

 


Palavras-chave


Educação; Liberalismo; Neoliberalismo; Políticas educacionais

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Ricardo. “A era da informatização e a época da informalização: riqueza e miséria do trabalho no Brasil”. In: Ricardo Antunes (org). Riqueza e Miséria do Trabalho no Brasil. São Paulo, SP. Boitempo, 2006.

BANCO MUNDIAL. Prioridade y estrategias para la educación.1996.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 1996.

BOITO JR., Armando. As relações de classe na nova fase do neoliberalismo no Brasil. In: Sujetos sociales y nuevas formas de protesta en la historia reciente de América Latina. CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales. Buenos Aires, 2006.

BOURDIEU, Pierre. Contrafogos: táticas para enfrentar a invasão neoliberal. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

CORDEIRO, Alexander Magno ; OLIVEIRA, Glória Maria de; RENTERÍA, Juan Miguel; GUIMARÃES, Carlos Alberto. Revisão Sistemática: Uma Revisão Narrativa. Rev. Col. Bras. Cir. Vol. 34 - Nº 6, Nov. / Dez. 2007.

FILGUEIRAS, Luiz. O neoliberalismo no Brasil: estrutura, dinâmica e ajuste do modelo econômico. In: Neoliberalismo y sectores dominantes. Tendencias globales y experiencias nacionales. Basualdo, Eduardo M.; Arceo, Enrique. CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, Buenos Aires. Agosto 2006. ISBN: 987-1183-56-9.

HYPOLITO. Alvaro Moreira; VIEIRA, Jarbas Santos; PIZZI, Laura Cristina Vieira. Reestruturação curricular e autointensificação do trabalho docente. Currículo sem Fronteiras, v.9, n.2, pp.100-112, Jul/Dez 2009.

JIMENEZ, Susana Vasconcelos; MENDES SEGUNDO, Maria das Dores Mendes. Erradicar a pobreza e reproduzir o capital: Notas críticas sobre as diretrizes para a educação do novo milênio. Pelotas, Editora da UFPEL, Ano 16, N. 28, Jan-Jun 2007, p. 119 – 138.

MASSINO, Lucas. Como Se Explica O Neoliberalismo No Brasil? Uma Análise Crítica Dos Artigos Publicados Na Revista Dados. Revista de Sociologia e Política. v. 21, Nº 47: 133-153 Set. 2013.

MENDONÇA, Camila Tecla Mortean. O estado do Conhecimento na educação superior a distancia e a intervenção dos organismos internacionais nas políticas públicas (2001-2014). 137 f. Dissertação (Mestrado Educação) – Universidade Estadual de Maringá. Orientadora: Profa. Dra. Maria Luisa Furlan Costa. Maringá, 2016.

MORAES, R.C. Liberalismo e Neoliberalismo - uma introdução comparativa. Campinas, São Paulo: IFCH/UNICAMP: Primeira Versão, nº 73, novembro/1997.

MORAES, R.C. Neoliberalismo: de onde vem, para onde vai? São Paulo: SENAC, 2001.

MORAES, R.C. Reformas neoliberais e políticas públicas: hegemonia ideológica e redefinição das relações Estado-sociedade. Educ. Soc., Campinas, vol. 23, n. 80, setembro/2002, p. 13-24.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. A Reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educação e Sociedade, V. 25, N° 89, 2004.

ROMANOWSKI, Joana Paulin; ENS, Romilda Teodora. As Pesquisas Denominadas Do Tipo “Estado Da Arte” Em Educação. Diálogo Educ., Curitiba, v. 6, n.19, p.37-50, set./dez. 2006.

SANTOS, Boaventura de S. A Globalização e as Ciências Sociais. São Paulo : Cortez Editora, 2002.

SMITH, Adam. A riqueza das nações – investigação sobre sua natureza e causas. São Paulo: Abril Cultural, v. II, 1983.

VIANA, Nildo. Breve história do neoliberalismo. Revista Enfrentamento, n. 05, jul./dez. 2008.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n56.10727

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional