Cidadania infantil: questões contemporâneas e implicações para a participação da criança

Marta Regina Brostolin

Resumo


Este texto se propõe a tecer algumas reflexões sobre a cidadania infantil na sociedade contemporânea a partir do construto teórico da Sociologia da Infância que compreende a criança como ator social, ser do presente, participativo e produtor de culturas e a infância como categoria geracional sócio-historicamente construída. A reflexão sustenta-se na constituição da criança cidadã. Parte dos caminhos percorridos entre a ideia da incapacidade e incompetência da criança numa visão perspectivada na modernidade, revisa o conceito de cidadania perpassando pela discussão proposta por Roger Hart (1992) denominada Escada de Participação Infantil,  para chegar ao estatuto de cidadania participativa que concebe a criança como sujeito social, implicando não só no reconhecimento formal de seus direitos, mas também nas condições do seu exercício de participação. A atualidade da temática volta-se para o imperativo da cidadania da infância, seu protagonismo e o potencial emancipador das experiências de participação das crianças nas pesquisas, nas escolas e nos espaços públicos frente aos desafios impostos pela sociedade contemporânea.

 

 


Palavras-chave


Criança; Cidadania; Participação; Sociologia da infância

Texto completo:

PDF

Referências


FERNANDES, N. Infância, direitos e participação, representações, práticas e poderes Braga: Edições Afrontamento, 2009.

MARQUES, C.R.S. Participação infantil, jogos e valores sociais em jardim de infância. Dissertação de Mestrado. Aveiro. Universidade de Aveiro, 2013.

MARCHI, R.C.; SARMENTO, M.J. Infância, normatividade e direito das crianças: transições contemporâneas. Educação e Sociedade. v.38 n.141, p.1-14, 2017. doi: 10.1590ES0101-73302017175137 .

MARCHI, R. C. A criança como ator social – críticas e desafios teóricos e empíricos. Praxis Educativa. Ponta Grossa, v. 12, n.2, p.617-637, maio ago. 2017.

OLIVEIRA, F. Reflexões a respeito de uma experiência de participação infantil no Brasil envolvendo os espaços urbanos e a perspectiva das crianças. Revista Portuguesa de Educação. v.30, n.1,p.157-179, 2017.

SARMENTO, M. J. Crianças: educação, culturas e cidadania activa refletindo em torno de uma proposta de trabalho. Perspectiva, Florianópolis, n.23, v.1, p.17-40, 2005.

SARMENTO, M. J; FERNANDES, N; TOMÁS, C. Políticas públicas e participação infantil. Educação, Sociedade e Culturas. v.25, p.183-206, 2007.

SARMENTO, M.J. Infância, exclusão e educação para a cidadania activa. Movimento (Revista da Faculdade de Educação da Universidade Fluminense, Rio de Janeiro, Brasil) n.3, p.53-74, 2001. 02014

TOMÁS, C. Participação não tem idade: participação das crianças e cidadania na infância. Contexto e Educação. n. 22, v.78, p.45-68, 2007.

TOMÁS, C. Há muitos mundos no mundo: cosmopolitismo, participação e direitos da criança. Porto: Edições Afrontamento, 2011.

TREVISAN, G. “Somos as pessoas que temos que escolher, não são os outros que escolhem por nós”. Infância e cenários de participação pública:uma análise sociológica dos modos de codecisão das crianças na escola e na cidade. Tese de Doutoramento em Estudos da Criança, Especialidade em Sociologia da Infância. Braga, Universidade do Minho, 2014.

VEIGA, R; FERREIRA, M. Entre as práticas pedagógicas e as culturas infantis: contributo para a compreensão da participação das crianças em um jardim da infância. Cadernos de Estudos Sociais. v.32, n.2, p.1-29, 2017.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n56.13186

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional