As perspectivas de competências na BNCC: uma análise à luz da pedagogia Freireana

Elis Laura Pinto Rieger Hipler, Lídice Tiede Fraga, Antonio Fernando Gouvêa da Silva

Resumo


Buscou-se analisar, neste trabalho, as competências gerais apresentadas na BNCC para os anos finais do Ensino Fundamental e investigar se a pedagogia freireana apresenta alternativas para a superação e enfrentamento de políticas neoconservadoras, a partir de uma pesquisa documental de cunho qualitativo, que utilizou como principal referencial teórico Paulo Freire e suas contribuições epistemológicas e pedagógicas a respeito das categorias educação crítica, coletividade e conscientização, norteada pela seguinte questão de pesquisa: “a pedagogia freireana pode ser uma fonte de resistência ao instrumentalismo presente no neoconservadorismo proposto na BNCC?”. Dessa forma foi possível identificar que as competências apresentam características avessas a uma compreensão mais ampla e crítica, fundamentada na compreensão de educação crítica e conscientizadora de Freire (1987).


Palavras-chave


Freire; BNCC; Competências.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W. Educação e Emancipação. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2002.

CÓSSIO, M. de F. Agenda Transnacional e governança nacional: as possíveis implicações na formação e no trabalho docente. Revista e-Curriculum, São Paulo, v.13, n.04, p. 616 – 640 out./dez.2015. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum. Acessado em: 21 de ago de 2019.

COLL, C. As competências na educação escolar: pouco mais que uma moda e bem menos que um remédio. Universidade de Barcelona, Espanha, n. 161, (s/f).

DIAS, I. S. Competências em Educação: conceito e significado pedagógico. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, v. 14, n. 1, p. 73-78, 2010.

FRAGA, T. L. Uma análise crítica da BNCC na área de Língua Portuguesa a partir das contribuições de Freire. Dissertação (Mestrado em educação) – Universidade Federal de São Carlos, campus Sorocaba. Sorocaba, p. 89. 2020.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17º ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Extensão ou Comunicação? 8ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

GIROUX, H. A. Os Professores como Intelectuais. Rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Ed. Artmed, 1997.

LAVAL, Christian. A escola não é uma empresa: o neo-liberalismo em ataque ao ensino público. Londrina: Editora Planta, 2004.

LOSURDO, D. Liberalismo: entre civilização e barbárie. São Paulo: Anita Garibaldi, 2006.

MACEDO, E. Base nacional comum para currículos: direitos de aprendizagem e desenvolvimento para quem? Educação & Sociedade, v. 36, n. 133, p. 891-908, dez. 2015.

MOREIRA, A. F. B. A psicologia e o resto: o currículo segundo César Coll. Cadernos de Pesquisa, n. 100, São Paulo, p. 109-120, mar. 1997.

PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artmed Editora, 1999.

PERRENOUD, P. Escola e cidadania. O papel da escola na formação para a democracia. Porto Alegre: Artmed Editora, 2005.

TORRES, J. R. Educação Ambiental Crítico-Transformadora e Abordagem Temática Freireana. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica) – Florianópolis: CFM/CED/CCB/UFSC, 2010




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n61.15798

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional