Paulo Freire: contrapontos ao discurso neoconservador

José Nogueira da Silva, Adriana Cavalcanti dos Santos, Inalda Maria dos Santos

Resumo


O artigo se constrói no entrelaçamento dos contrapontos entre o discurso neoconservador e os princípios defendidos por Freire (2018) sobre liberdade e de formação humana. Os resultados mostram que ambos os discursos possuem finalidades distintas, principalmente na concepção de liberdade, uma vez que a liberdade de concorrência econômica e para consumo foi preponderante na teoria e nos governos declaradamente neoliberais, enquanto a liberdade na educação freiriana defende a consciência de si no mundo para permitir uma constante busca por ser mais. Nesses termos, é necessária a consciência dos entraves do capitalismo e suas ações neoliberais que, contraditoriamente, impedem as ações do sujeito como agente livre.


Palavras-chave


capitalismo; liberdade; neoliberalismo

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. As origens do totalitarismo. São Paulo. Companhia das Letras, 1989.

CELESTINO JÚNIOR. "A ideologia da incompetência do outro e outras ideologias de conveniência na relação neoliberalismo e educação". In: GHIRALDELLI JUNIOR, Paulo (Org.). Infância, Educação e Neoliberalismo. São Paulo: Cortez, 1996 (Coleção questões da nossa época, v. 61)

CERQUEIRA, Jackson B. A. de. Uma visão do neoliberalismo: surgimento, atuação e perspectivas. In: Sitientibus, Feira de Santana, n.39, p. 169-189, jul./dez. 2008.

CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano: artes de fazer. 3º ed. Petrópolis. Editora Vozes, 1998.

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade. 5º ed. Rio de Janeiro. Paz e Terra, 1981.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 12º ed. Rio de Janeiro. Paz e Terra, 1979.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 65º ed. Rio de Janeiro/São Paulo. Paz e Terra, 2018.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Crise do capital e metamorfose conceitual no campo educacional. In: GENTILI, Pablo. Pedagogia da exclusão: crítica ao neoliberalismo em educação. Petrópolis. Editora Vozes, 2002.

GENTILI, Pablo. A Falsificação do Consenso – simulacro e imposição na reforma educacional do neoliberalismo. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1998.

HARVEY, David. O neoliberalismo: história e implicações. Tradução: Adail Sobral/ Maria Stela Gonçalves. São Paulo. Edições Loyola, 2008.

HAYEK, Friedrich August Von. O caminho da servidão. São Paulo. Instituto Ludwing von Mises Brasil, 2010.

LAGOA, Maria Izabel. A ofensiva neoliberal e o pensamento reacionário-conservador na política educacional brasileira. Rev. HISTERBR On line. Campinas-SP, v. 19, p. 1-14, 2019.

MATOS, Sidney Tanaka S. Conceitos primeiros de neoliberalismo. In: Mediações. v. 13, n. 1-2, p. 192-213, Jan/Jun e Jul/Dez. 2008.

MISES, Ludwig von. Liberalismo – segundo a tradição clássica. São Paulo. Instituto Ludwig von Mises Brasil, 2010.

RODNEY, Walter. Como a Europa subdesenvolveu a África. Lisboa. Seara Nova, 1975.

STRECK, Danilo Romeu. Da pedagogia do oprimido às pedagogias da exclusão: um breve balanço crítico. Educ. Soc., Campinas, vol. 30, n. 107, p. 539-560, maio/ago. 2009.

TORRES, Carlos Alberto. Estado, Privatização e Política educacional - elementos para uma crítica do neoliberalismo. In: GENTILI, Pablo (Org.). Pedagogia da exclusão - crítica ao neoliberalismo em educação. Petrópolis: Vozes, 1995.

VILLARREAL, Rene. A contra-revolução monetarista: Teoria política e ideologia do neoliberalismo. Rio de Janeiro: Record, 1984.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n59.15807

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional