Art(e)biologia na natureza e outras maneiras de pensar a educação

Carlos Augusto Silva e Silva, Maria Remédios de Brito

Resumo


O texto provoca um entre art(e)biologia na tentativa de atritar a ciência como um modo de conhecimento fincado em normas específicas, assim como na educação, com o intuito de pensar em conjunto, entre.  Para a produção da pesquisa se utilizou de ligações por entre imagens, escritas e experimentações performáticas do corpo na natureza. Percurso que instiga um biólogo, que também está como artista, professor, aluno, pesquisador, entre outros, que atravessa sua(s) vida(s) e se envereda por entre cachoeiras e cavernas. O esforço teórico percorreu por inspirações da filosofia de Gilles Deleuze e Félix Guattari, bem como artistas e biólogos da educação e do ensino de ciências que vagueiam e pensam por entre essas conexões. Para efeitos didáticos o corpo textual foi organizado em aberturas, além de introduzir a problemática em questão, que são, no entanto, transponíveis e de livre deslocamento entre elas: a descrição, bem como, percurso metodológico utilizado para a produção das imagens na natureza, em sequência as experimentações que produziram, além das imagens, uma escrita sensível e conceitual a partir das inspirações no percurso da investigação em questão, por fim, ousamos argumentar, a partir das experimentações em criação, sobre uma educação alegre que faça a biologia sorrir a partir da arte sem a necessidade de substituir saberes, mas, quem sabe, compor junto por uma art(e)biologia que possibilite biólogos, artistas, professores, alunos e pesquisadores rirem na educação.


Palavras-chave


Ciências; Educação; Arte; Filosofia da Diferença

Texto completo:

PDF

Referências


CAMPOS, R. A. Arteciência: afluência de signos co-moventes. São Paulo: Perspectiva, 2003.

CASTRO, E. B. V. Os deuses canibais: a morte e o destino da alma entre os Arawete. Revista de Antropologia, v. 27, n.3, 1984.

DE AMORIM, A. C. R.; GONÇALVES, M. L. C. M. R. Naturezas artificiais e a diferença paradoxal entre ciências e culturas. Interacções, v. 10, n. 31, 2015.

DELEUZE, G. A literatura e a vida. In: Crítica e clínica. São Paulo: Editora 34, 1997.

DELEUZE, G. Conversações. São Paulo: Editora, 34, 2013.

DELEUZE, G. Diferença e repetição. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

DELEUZE, G. A imagem-tempo. São Paulo: Brasiliense, 2007.

DELEUZE, G. O ato de criação. Folha de São Paulo, 1999.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. Mil Platôs. Vol. 1. São Paulo: Editora 34, 2012.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. Mil Platôs. Vol. 3. São Paulo: Editora 34, 2012.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. Mil platôs. vol. 4. São Paulo: Editora 34, 2012.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. Mil Platôs. Vol. 5. São Paulo: Editora 34, 2012.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. O que é a filosofia. São Paulo: Editora 34, 2013.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. Kafka: por una literatura menor. São Paulo: Imago Editora, 1977.

DELEUZE, G; PARNET, C. O abecedário de Gilles Deleuze: transcrição integral do vídeo, para fins exclusivamente didáticos. São Paulo: Éditions Montparnasse, 1988.

DELEUZE, G; PARNET, C. Diálogos. São Paulo: Editora Escuta, 1998.

DIAS, S. O; ANDRADE, E. C. P; DE AMORIM, A. C. R. (Org.). MultiTÃO: experimentações, limites, disjunções, artes e ciências. 1. ed. Feira de Santana, Brasília. Editora da UEFS, CNPq/MCTI e ALB, 2012.

DIAS, S; RODRIGUES, C. Transes. E se artes e ciências? E se …e …? Leitura: teoria & prática, v. 1, n. 59, 2012.

ESPINOSA, B. Ética. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

GROSZ, E. A arte e o animal. In: Susana Oliveira Dias; Davina Marques; Antonio Carlos Amorim. (Org.). Conexões: Deleuze e Arte e Ciência e Acontecimento.... 1ªed. Rio de Janeiro: De Petrus, 2012.

HISSA, C. E. V. Conversações de artes e de ciências. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

LATOUR, B. Bruno Latour, antropólogo e escritor: “Temos que reconstruir nossa sensibilidade” (Entrevista concedida a Luiz Felipe Reis). O Globo, Rio de Janeiro, 29 set. 2014b.

LEITE, A. Manipularte. Revista ExperimentArt, v.1, n. 1, 2017.

MACHADO, R. Deleuze, a arte e a filosofia. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

MASNY, D. Cartographies of becoming in education: a Deleuze-Guattari perspective. Qualitative Research in Educacion, v. 1, n. 3, 2013.

PELBART, Peter Pál. Por uma arte de instaurar modos de existência que “não existem”. Como falar de coisas que não existem. 1ed. São Paulo: Bienal de São Paulo, v. 1, p. 250-265, 2014.

RANCIÉRE, J. O destino das imagens. Lisboa: Orfeu Negro, 2012.

RANCIÉRE, J. Política da arte. São Paulo: Sesc-SP, 2005.

ROLNIK, S. Esquizoanálise e Antropofagia. Cadernos de Subjetividade, v. 4, n. 1, 1996.

SILVA, A Laboratórios dos Despropósitos: vestígios ecológicos entre arte e ciência. 2018. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP, 2018.

STENGERS, I. A invenção das ciências modernas. Editora 34, 2002




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n54.17751

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2020 Todos os direitos reservados.