Perguntas pedagógicas na formação inicial de professores: melhorias na qualidade da educação

Adriele Ribeiro dos Santos Lamim, Manoel de Souza Lamim Netto, Dulcimeire Aparecida Volante Zanon

Resumo


Na contemporaneidade, a preocupação em relação à qualidade da educação tem aumentado consideravelmente nas diferentes dimensões e espaços da sociedade, sendo manifesta por meio de políticas governamentais e de ações sociais e de educadores. Tendo por base o pressuposto de que os professores aprendem com as situações provenientes do ambiente escolar, sendo modificados por elas e as modificando, considera-se relevante discutir as implicações da formação docente na qualidade da educação. Nesse sentido, a proposição de uma formação inicial pautada na reflexão consubstancia-se como uma alternativa para a qualificação e o desenvolvimento profissional docente, pois o professor com o pensamento reflexivo desenvolvido pode apresentar maior repertório de ações em relação ao aluno, contexto escolar, ensino, aprendizado e desenvolvimento profissional, na medida em que ele procura dar respostas às situações que emergem no cotidiano articulando-as com a teoria e as ressignificando. Pretendendo contribuir para esse processo formativo, o artigo apresenta o uso das Perguntas Pedagógicas contidas no Ciclo de Smyth, sendo estas ferramentas relevantes para suscitar reflexões do futuro professor sobre sua atuação na escola, permitindo-lhe analisar, reconstruir e melhorar a qualidade de sua intervenção.

 


Palavras-chave


ciclo de Smyth; educação em química; formação inicial; professor reflexivo; qualidade na educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALARCÃO, Isabel. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. São Paulo: Cortez, 2003.

ALARCÃO, Isabel. Reflexão crítica sobre o pensamento de D. Schön e os programas de formação de professores. In: ALARCÃO, Isabel. Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto: Porto Editora, 2013, p. 9-40.

CAMPOS, Luciana Maria Lunardi; DINIZ, Renato Eugênio da Silva Perguntas aos professores: análise do nível de reflexão de futuros professores. Anais...IV Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, 2003.

CARVALHO, Ana Maria. Metodologia de pesquisa em ensino de física: uma proposta para estudar os processos de ensino e aprendizagem. In: Encontro de Pesquisa em Ensino de Física, 9, 2004, Jaboticatubas, MG. Anais...Jaboticatubas, MG: Sociedade Brasileira de Física, 2004.

CUNHA, Maria Isabel; CHAIGAR, Vania Alves Martins. A dimensão da escrita e da memória na formação reflexiva de professores: dois estudos em diálogo. In: FERREIRA, Maria Ondina Vieira; FISCHER, Beatriz T. Daudt; PERES, Lúcia Maria Vaz. Memórias docentes: abordagens teórico-metodológicas e experiências de investigação. São Leopoldo: Oikos; Brasília: Leber Livros, p. 119-140, 2009.

DAVOK, Delsi Fries. Qualidade em educação. Revista Avaliação, v. 12, n. 3, p. 505-513, 2007.

DAY, Christopher. Desenvolvimento profissional de professores. Os desafios da aprendizagem permanente. Porto: Porto Editora, 2001.

DEWEY, John. How we think: A restatement of the relation of reflective thinking to the educative process. Boston, MA: D.C. Heath & Co Publishers 1933.

DEWEY, John. Logic: the theory of inquiry. New York: Holt, Rinehaart and Winston, 1938.

DINIZ-PEREIRA, Julio Emilio Da racionalidade técnica à racionalidade crítica: formação docente e transformação social. Perspectivas em Diálogo: revista de educação e sociedade, v. 1, n. 1, p. 34-42, 2014.

DOURADO, Luís Fernandes; OLIVEIRA, João Ferreira de; SANTOS, Catarina de Almeida. A qualidade da educação: conceitos e definições. Brasília, DF: Inep, 2007.

ECHEVERRÍA, A. R.; BENITE, A. M. C.; SOARES, M. H. F. B. A pesquisa na formação inicial de professores de química: a experiência do Instituto de Química da Universidade Federal de Goiás. Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química, v. 30, p. 01-19, 2007.

ESTRELA, A. Teoria e prática de observação de classes: uma estratégia de formação de professores. 2. ed., Lisboa: INIC. 1986.

GADOTTI, Moacir. Qualidade na educação: uma nova abordagem. Produção de terceiros sobre Paulo Freire. São Paulo: IPF, 2010.

GALVÃO, Cecília. Narrativas em Educação. Ciência & Educação (Bauru), v. 11, n. 2, p. 327-345, 2005.

GUSKEY, Thomas R. Evaluating professional development. Thousand Oaks, California: Corwin Press, 2000.

HARGREAVES, Andy. Os professores em tempos de mudança: o trabalho e a cultura dos professores na Idade Pós-Moderna. Lisboa: Mc Graw-Hill, 1998.

LEITE, Elvira. et al. Trabalho de projeto: aprender por projectos centrados em problemas. Lisboa: Afrontamento. 1989.

LUDKE, Menga. O professor e a sua formação para pesquisa. EccoS Revista Científica. v. 7, n. 2, p. 333-349, 2005.

MARCELO GARCÍA, Carlos. Desenvolvimento profissional docente: passado e futuro. Revista de ciências da educação. n. 8, p. 7-22, 2009.

MICHAELIS. Moderno dicionário da língua portuguesa online. São Paulo: Melhoramentos, 2015. Dicionários Michaelis. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/. Acesso em 25 fev. 2022.

MORGADO, José Carlos. Avaliação e qualidade do desenvolvimento profissional docente: que relação? Avaliação, Campinas, Sorocaba, SP, v. 19, n. 2, p. 345-361, jul. 2014. https://doi.org/10.1590/S1414-40772014000200004

NÓVOA, António. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, Antônio, Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote; v. 2, p. 15-33, 1992.

OCDE. Teachers Matter: developing and retaining effective teachers. Paris: OCDE, 2005.

PINHEIRO, Eliana Moreira; KAKEHASHI, Tereza Yoshiko.; ANGELO, Margareth. O uso de filmagem em pesquisas qualitativas. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v.13, n. 5, p. 717-722, set-out. 2005.

REALI, Aline Maria de Medeiros Rodrigues; REYES, Cláudia Raimundo. Reflexões sobre o fazer docente. São Carlos: EDUFSCar, 2009. ISBN 978-85-7600-173-7.

SADALLA, Ana Maria Falcão de Aragão; LAROCCA, Priccila. Autoscopia: um procedimento de pesquisa e de formação. Educação e Pesquisa, v. 30, n. 3, p. 419-433, 2004. https://doi.org/10.1590/S1517-97022004000300003

SCHÖN, Donald. A. Educating the reflective practitioner: toward a new design for teaching and learning in the professions. São Francisco: Jossey-Bass, 1987.

SCHÖN, Donald. A. El profesional reflexivo: cómo piensan los profesionales cuando actúan. Barcelona: Paidós, 1998.

SCHÖN, Donald. A. The reflective practitioner: how professionals think in action. New York: Basic Books, 1983. ISBN 0-465-06874-X.

SILVA, C. M. O; MESQUITA, N. A. S. Práxis e Identidade Docente: Entrelaces no Contexto da Formação pela Pesquisa na Licenciatura em Química. Química Nova na Escola, v. 40, n. 1, p. 44-52, 2018. http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160103

SMYTH, J. Una pedagogía crítica de la práctica en el aula. Revista de Educación, v. 294, p. 275-300, 1991.

SOUZA, D. T. R. Formação continuada de professores e fracasso escolar: problematizando o argumento da incompetência. Educação e Pesquisa, v. 32, n. 3, p. 477-492, 2006. https://doi.org/10.1590/S1517-97022006000300004

SOUZA, D. T. R.; SARTI, F. M. Mercado de docente: constituição, funcionamento e dispositivos. Belo Horizonte: Fino Traço. 2014.

TANCREDI, R. M. S. P. Globalização, qualidade de ensino e formação docente. Ciência & Educação (Bauru), v. 5, n. 2, p. 71-79, 1998. https://doi.org/10.1590/S1516-73131998000200007

TUCKER, P. D., STRONGE J. H. A avaliação dos professores e os resultados dos alunos. Porto: ASA, 2007.

UNESCO. Educação de qualidade para todos: um assunto de direitos humanos. 2. ed., Brasília: UNESCO, OREALC, 2008.

UNESCO. Latin American laboratory for assessment if the quality of education: qualitative study of schools with outstanding results in seven latin american countries. Santiago de Chile: UNESCO, 2002.

WOOD, P. The cooperating teacher’s role in nurturing reflective teaching. In: TABACHNICK, R.; ZEICHNER, K. (Eds.). Issues and practices in inquiry-oriented teaching education. London: The Falmer Press. 1991.

ZEICHNER, K. M. A formação reflexiva de professores: ideias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n61.21715

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional