A constituição histórico-institucional da consolidação dos Institutos Federais de Educação no Brasil

Francislene Rosas da Silva, Arminda Rachel Botelho Mourão, José Júlio César do Nascimento Araújo

Resumo


O artigo discute a expansão da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (EPCT), a partir da nova institucionalidade, com a implementação dos Institutos Federais (IFs) no âmbito das políticas públicas e educacionais no Brasil, no governo Lula, destacando os movimentos sociopolíticos envolvidos em sua constituição. A análise metodológica centra-se em um estudo bibliográfico e documental com consulta à legislação e aos documentos normativos do Ministério da Educação (MEC), ancorada no método histórico-dialético. A discussão nos permitiu uma análise dos movimentos históricos, socioeconômicos e políticos que marcaram a consolidação dos Institutos Federais (IFs). Em síntese, a nova institucionalidade caracteriza-se pela transformação das finalidades e do tipo de trabalho desenvolvidos, e pela mudança no público que acessa à nova instituição através da política de expansão. Tal fato trouxe avanços educacionais significativos em termos de desenvolvimento regional e inserção social, embora existam limitações e desafios para a materialização das ações políticas-educacionais que atendam às finalidades de sua criação.


Palavras-chave


políticas educacionais; institutos federais; nova institucionalidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Adilson Cesar; SILVA, Cláudio Nei Nascimento da. (Org.). Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Editora IFB, 2017.

ARAÚJO, José Júlio César et al. A educação Profissional e Tecnológica no Brasil: anotações a partir dos governos de Collor, Fernando Cardoso e Lula. Educação, v. 10, n. 3, p. 275-291, 2021.

ARAÚJO, José Júlio César do N.; MOURÃO, Arminda R. B. O Trabalho Precário nos Institutos Federais: uma análise dos processos de intensificação do trabalho verticalizado. Educação e Pesquisa, v. 47, 2021.

ARAÚJO, José Júlio César do N.; MOURÃO, Arminda R. B. Análise das teses e dissertações sobre a formação de professores para a Educação Básica em Institutos Federais. Revista Atlante: Cuadernos de Educación y Desarrollo 2017. Disponível em: http://www.eumed.net/rev/atlante/2017/11/formacao-professores-basica.html. Acesso em: 25 fev. 2022.

ARAÚJO, José Júlio César do N.; MOURÃO, Arminda R. B. A hibridização institucional da rede federal de educação técnica e tecnológica do Brasil. Revista portuguesa de investigação educacional. n. 15, p. 139-157, 1 jan. 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.34632/investigacaoeducacional.2015.3414. Acesso em: 28 fev. 2022.

BRASIL. Decreto n° 5.225 de 1 de outubro de 2004. Altera dispositivos do Decreto no 3.860, de 9 de julho de 2001, que dispõe sobre a organização do ensino superior e a avaliação de cursos e instituições, e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1. Brasília, DF, 04 de out. 2004, p. 5.

BRASIL. Decreto n° 6.095 de 24 de abril de 2007. Estabelece diretrizes para o processo de integração de instituições federais de educação tecnológica, para fins de constituição dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia - IFET, no âmbito da Rede Federal de Educação Tecnológica. Diário Oficial da União: seção 1. Brasília, DF, 24 de abril, 2007, p.1.

BRASIL. Decreto nº 7.566 de 23 de setembro 1909. Cria nas capitais dos Estados da Republica Escola de Aprendizes e Artífices, para o ensino profissional primário e gratuito. Diário Oficial da União: seção 1. Rio de Janeiro, RJ, 26 set.1909, p.6975.

BRASIL. Lei n° 5.154 de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 23 de jul. 2004, p.1- 3.

BRASIL. Lei n° 11.195 de 18 de novembro de 2005. Dá nova redação ao § 5° do art. 3° da Lei no 8.948, de 8 de dezembro de 1994. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 18 de nov. 2005, p.91.

BRASIL. Lei nº 11. 892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Brasília, DF: Governo Federal, 2008a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ ato2007-2010/2008/lei/l11892.html. Acesso em: 29 set. 2014.

BRASIL. Lei n° 12.513 de 26 de outubro de 2011. Institui o Pronatec. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12513.htm.

Acesso em: 27 fev. 2022.

BRASIL. Lei nº 9.649/1998, de 27 de maio de 1998. Dispõe sobre a organização da presidência da república e dos ministérios, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9649cons.htm. Acesso em: 25 fev. 2022.

BRASIL. MEC/SETEC. Plano de expansão da Rede Federal de Educação Tecnológica Fase III. MEC, 2009.

BRASIL. MEC/SETEC. Chamada Pública MEC/SETEC nº 001/2007. Chamada pública de propostas para apoio ao Plano de Expansão da Rede Federal de Educação Tecnológica – Fase II. MEC, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/edital_chamadapublica.pdf. Acesso em: 27 fev. 2022.

BRASIL. MEC/SETEC. Expansão da Rede Federal. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/rede-federal-inicial/ 2019. Acesso: 10 de fev. de 2022.

BRASIL. MEC/SETEC. Um novo modelo em Educação Profissional e Tecnológica: Concepções e Diretrizes. Brasília, DF, Ministério da Educação, 2010, p.1-44.

NOGUEIRA, Silvia Conde; ARAÚJO, José Júlio César do N. SOUZA, José Eurico Ramos;

MOURÃO, Arminda R.B. Os Institutos Federais em três dimensões de análise. Anais do III Colóquio Nacional | Eixo Temático I – Políticas em educação profissional, 2016.

Disponível em: https://ead.ifrn.edu.br/portal/wp-content/uploads/2016/01/Artigo-20.pdf. Acesso em: 26 fev. 2022.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Juventude, trabalho e educação no Brasil. In: NOVAES, Regina; VANNUCHI, Paulo. (Org.). Juventude e sociedade: trabalho, educação, cultura e participação. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA Maria; RAMOS, Marise. A política de Educação Profissional no governo Lula: um percurso histórico controvertido. Educ. Soc., Campinas, v. 26, n. 92, p. 1087-1113, Especial, out. 2005.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura. 4 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982.

HELDER, R. R. Como fazer análise documental. Porto: Universidade de Algarve, 2006.

LIMA, Marcelo. O tempo social e a história do tempo da formação profissional: pesquisa na Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. Boletim Técnico do Senac, v. 43, n. 2, 2017.

MARX, K. Contribuição para a crítica da economia política. Lisboa: Estampa, 1983.

MARX, K. O capital: crítica da economia política: Livro1. Tradução de Rubens Enderle, 2. Ed. São Paulo: Boitempo, 2017.

MOURA, D. H. et al. Politecnia e formação integrada: confrontos conceituais, projetos políticos e contradições históricas da educação brasileira. Revista Brasileira de Educação, v. 20, p. 1057-1080, 2015.

MOURÃO, Arminda Rachel Botelho. A fábrica como espaço educativo. São Paulo: Scortecci, 2006.

MOURÃO, A. R. B.; NOGUEIRA, S. C. C.; ARAÚJO, J. J. C. DO N.; SOUZA, J. E. R. DE. Governança, território e desenvolvimento: uma leitura das finalidades dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia na Amazônia brasileira. Revista Portuguesa de Investigação Educacional, n. 15, p. 53-69, 1 jan. 2015.

NOGUEIRA, Silvia Cristina Conde et al. II Fase da política de expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica no Amazonas: acesso ampliado e precarizado à educação pública. 2016. 210f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Amazonas, Manaus 2016.

OLIVEIRA, V.S de; SILVA, R. de F. Ser bacharel e professor: dilemas na formação de docentes para a educação profissional e ensino superior. Holos, v. 2, p. 193-205, 2012.

PACHECO, Eliezer Moreira. Os Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Natal: Editora IFRN, 2010.

PACHECO, Eliezer Moreira. Desvendando os Institutos Federais: identidade e objetivos. Educação Profissional e Tecnológica em Revista, v. 4, n. 1, p. 4-22, 2020.

RAMOS, M. N. História e Política da Educação Profissional. Coleção Formação Pedagógica. Curitiba: Instituto Federal do Paraná. 2014.

ROTHER, Edna Terezinha. Revisão sistemática X revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem [online]. 2007, v. 20, n. 2, pp. v-vi. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-21002007000200001. Acesso em: 28 fev. 2022.

SILVA, A. R.; TERRA, D. C. T. A expansão dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia e os desafios na contribuição para o desenvolvimento local e regional. In: I Seminário Nacional de Planejamento e Desenvolvimento, Curitiba, 2013.

SOUZA, Eda Castro Lucas; CASTIONI Remi. Os Institutos Federais: os desafios da institucionalização. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2012.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n62.21772

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional