Os projetos de vida de filhos das extrativistas de Babaçu no Maranhão, entre continuidades e rupturas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/eccos.n67.23602

Palavras-chave:

Adolescentes rurais, Coco babaçu, Projeto de vida

Resumo

Este trabalho é parte de uma tese de doutorado, que objetivou conhecer os projetos de vida de adolescentes, filhos das quebradeiras de coco babaçu no leste do Maranhão, na tentativa de entender se em seus projetos está a continuidade das atividades que suas famílias realizam ou se direcionam para outras atividades profissionais. A pesquisa, recorte de uma tese de doutorado, teve a participação de treze adolescentes que cursavam o 8º e 9º ano do Ensino Fundamental em uma escola pública na zona rural maranhense, filhos das extrativistas de coco babaçu, bem como de outros colaboradores que trabalham na educação. Neste artigo serão mencionados apenas os adolescentes. A pesquisa revelou que a escola em que eles estudam, ainda não trabalha com o eixo curricular “projeto de vida”, porém, a partir das falas dos adolescentes, compreendeu-se que trabalhar com esse eixo curricular, primando fortalecer seus projetos de vida, encontra respaldo teórico na perspectiva de ensino freiriana. Vale ressaltar que a escola interfere em seus projetos de vida, pois tanto os alunos quanto os pais, veem nela uma alternativa de melhores condições econômicas e sociais. Portanto, a partir deste estudo, evidenciou-se também que esses adolescentes têm como objetivo conseguir uma formação acadêmica de nível superior para ter uma profissão, que não se relaciona com as atividades do coco babaçu.

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria de Fátima Sousa Silva, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)

Doutora em Educação – UNESP/Campus Rio Claro SP, integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em "Políticas e Gestão da Educação Superior" - GEPES/UNESP

 

José Euzébio de Oliveira Souza Aragão, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)

Doutor em Educação (UFSCar), professor do departamento de educação e do PPGE/UNESP/Campus Rio Claro SP

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

CANDAU, V.M.F. Cotidiano escolar e práticas interculturais. Cadernos de Pesquisa v.46 n.161 p.802-820 jul./set. 2016. https://doi.org/10.1590/198053143455.

DAMON, W. O que o jovem quer da vida? Como pais e professores podem orientar e motivar os adolescentes. Tradução Jaqueline Valpassos. São Paulo: Summus, 2009.

FRANCO, M.L.P.B. Análise de conteúdo. 3. ed. Brasília: Liber Livro Editora, 2008.

FRANCO, M.L.P.B. Análise de conteúdo. Brasília: Liber Livro Editora, 2018.

FREIRE, P. Educação e mudança. 1. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra. (Recurso digital), 2013.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GOMES, R. et al. Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 29. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

LIMA, J.R de. O indivíduo na sociedade líquido-moderna e a identidade nacional. Caderno Zygmunt Bauman, v. 9, n. 18, 2019. ISSN2236-4099.

MARANHÃO. Lei estadual nº 4734 de 18 de junho de 1986. Proíbe a derrubada de palmeiras de babaçu e dá outras providências. São Luís, 18 jun. 1986

MENDES, A.C.M. Reflexões e contribuições para a etnografia das práticas cotidianas de resistência das quebradeiras de coco babaçu de Codó. 2016 - Dissertação (Pós-graduação stricto sensu) Mestrado em Cartografia Social e Política da Amazônia da Universidade Estadual do Maranhão UEMA, São Luís - MA, 2016.

MIQCB. Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu. Disponível em: https://www.miqcb.org/sobre-nos. Link: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/588. Acesso em: 12 fev. 2021.

PARDO, M.B.L. A arte de realizar pesquisa: um exercício de imaginação e criatividade. São Paulo – São Cristóvão: Editora UFS; Aracaju: Fundação Oviêdo Teixeira, 2006.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 34 jan./abr. 2007. https://doi.org/10.1590/S1413-24782007000100012.

SEVERINO, A.P. et al. Educação para a vida: manual do professor. Organizador CENPEC – Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária; editora responsável Anna Helena Altenfelder. 1. ed. São Paulo: Moderna, 2020.

SILVA, A.F. G; SOUZA, A.I (Org.). A busca do tema gerador na práxis da educação popular. Curitiba: Editora Gráfica Popular, 2007.

SILVA, V. Jovens de um rural brasileiro: socialização, educação e assistência. Cad. Cedes, Campinas, v. 22, n. 57, p. 97-115, ago. 2002. https://doi.org/10.1590/S0101-32622002000200007.

Downloads

Publicado

18.12.2023

Como Citar

SILVA, Maria de Fátima Sousa; ARAGÃO, José Euzébio de Oliveira Souza. Os projetos de vida de filhos das extrativistas de Babaçu no Maranhão, entre continuidades e rupturas. EccoS – Revista Científica, [S. l.], n. 67, p. e23602, 2023. DOI: 10.5585/eccos.n67.23602. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/23602. Acesso em: 24 fev. 2024.