Formação de professores universitários: novos paradigmas epistemológicos, outras práticas

Autores

  • Evódio Mauricio Oliveira Ramos Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Isabel Maria Sabino de Farias Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.5585/eccos.n47.7873

Palavras-chave:

Docência Universitária. Formação de Professores. Política de Formação.

Resumo

O artigo analisa uma experiência formativa realizada em uma universidade pública baiana, apontando algumas contribuições pedagógicas dessa formação na prática dos docentes participantes. O grupo pesquisado foi constituído por 06 professores da referida universidade que participaram da formação pedagógica e o professor formador. O procedimento de coleta e produção de dados adotado foi a entrevista individual semiestruturada e o método de análise escolhido, a Análise Temática de Bardin (1977), tendo como categorias teóricas: identidade docente, profissionalização e modelos de formação pedagógica. Tomando como referência a abordagem qualitativa de cunho descritivo e com base nos achados da pesquisa, conclui-se que: a formação se constituiu como um fórum de reflexão, espaço dialógico que possibilitou ao docente universitário a ampliação de sua capacidade de ver, sentir, pensar, planejar, agir e avaliar sua ação pedagógica, dado o acesso propiciado a um novo paradigma epistêmico e metodológico, pautado na dialogicidade, criticidade, contextualidade e protagonismo dos sujeitos envolvidos no processo educativo. As ações desenvolvidas na experiência formativa geraram mudanças significativas no uso de estratégias inovadoras de ensino, no processo de aprendizagem e de avaliação e na concepção epistemológica dos participantes, o que denota a relevância da formação pedagógica para a docência universitária, bem como a necessidade urgente de políticas institucionais de formação continuada para docentes que atuam no ensino superior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evódio Mauricio Oliveira Ramos, Universidade Estadual de Feira de Santana

Doutor em Educação pela Universidade Estadual do Ceará. Professor Assistente do Departamento de Saúde da Universidade Estadual de Feira de Santana. Feira de Santana -  BA - Brasil

Isabel Maria Sabino de Farias, Universidade Estadual do Ceará

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará. Docente na Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza - CE – Brasil

Referências

ANASTASIOU, L. das G. C. Desafios da docência universitária em relação a algumas bases teórico-metodológicas do ensino de graduação. In: RIBEIRO Marinalva; SOARES, Sandra R.; MARTINS, Édiva de S.; MAHEU, Cristina d’A. (Org). I Colóquio Internacional sobre Ensino Superior. Ensino Superior: complexidade e desafios na contemporaneidade. Feira de Santana, BA, 2008.

ANASTASIOU, L. das G. C; ALVES, L. P. Estratégias de ensinagem. Joinville: UNIVILLE, 2005.

BECKER, F. A origem do conhecimento e a aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artmed, 2003.

BÉLAIR, L. A formação para a complexidade do ofício de professor. In: PAQUAY, L; PERRENOUD, P; ALTET, M; CHARLIER, E. (Org.). Formando professores profissionais: quais estratégias? quais competências?. 2. ed. Revista. Porto Alegre: Artmed, 1998. p. 54-65.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1997.

CHARLIER, E. Formar professores profissionais para uma formação contínua articulada à prática. In: PAQUAY, L; PERRENOUD, P; ALTET, M; CHARLIER, E. (Org.). Formando professores profissionais: quais estratégias? quais competências?. 2. ed. rev. Porto Alegre: Artmed, 1998. p. 85-102.

CONTRERAS, J. D. Experiencia, escritura y deliberación: explorando caminos de libertad em la formación del profesorado. In: ALLIAUD, A; SUÁREZ, D. H. (Coord.). El saber de la experiência: narrativa, investigación y formación docente. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales – CLACSO, 2011.

CUNHA, A. F. Docência superior em foco: articulações entre formação continuada, saberes e práticas pedagógicas. 2010. 152 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Fundação Universidade Federal do Piauí, Teresina. 2010.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GARCÍA, Carlos Marcelo. Desenvolvimento profissional docente: passado e futuro. Revista de Ciências da Educação Sísifo, n. 08, p. 7-22, jan./abr. 2009.

________. Formação de Professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

HOFFMANN, J. Avaliar para promover: as setas do caminho. 2. ed. Porto Alegre: Mediação, 2001.

IMBERNÓN, Francisco. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

LEITINHO, Meiricele Calíope. A formação pedagógica do professor universitário: dilemas e contradições. Linhas Críticas, Brasília, v. 14, n. 26, p. 79-92, jan./jun. 2008.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem na escola: reelaborando conceitos e recriando a prática. Salvador: L. C. C., 2002.

NÓVOA, Antônio. Os professores e sua formação. 4. ed. Porto, Portugal: Porto Editora, 1999.

POZO, J. I. Aprendizes e mestres: a nova cultura da aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2002.

SAVIANI, D. As concepções pedagógicas na história da educação brasileira. Campinas, 2005. Disponível em: <http://www.histedbr.fae.unicamp.br>. Acesso em: 14 abr. 2013.

SEVERINO, A. J. Preparação técnica e formação ético-política dos professores. In: BARBOSA, R. L. L. (Org.). Formação de educadores: desafios e perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, 2003. p. 71-89.

SHÖN, D. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre, Artes Médicas – Sul, 2000.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

TYLER, R. W. Princípios básicos de currículo e ensino. Porto Alegre: Globo, 1974.

UEFS, Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) - Resolução CONSEPE nº 168/2006, 2006.

VASCONCELOS, C. dos S. Avaliação concepção dialética - libertadora do processo de avaliação escolar. São Paulo: Libertad, 1995.

VEIGA, I. P. A. Universidade e desenvolvimento docente: propostas em debate. – Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2012.

______. Técnicas de ensino: por que não? Campinas: Papirus, 1996.

VIEIRA, F. Em contracorrente: o valor da indagação da pedagogia na universidade. Revista Educação, Sociedade & Culturas, n. 28, p. 107-126, 2009.

ZANELLA, A. V. Atividade, significação e constituição do sujeito: considerações à luz da psicologia histórico-cultural. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 9, n. 1, p. 127-135, 2004.

Downloads

Publicado

27.12.2018

Como Citar

RAMOS, Evódio Mauricio Oliveira; SABINO DE FARIAS, Isabel Maria. Formação de professores universitários: novos paradigmas epistemológicos, outras práticas. EccoS – Revista Científica, [S. l.], n. 47, p. 317–336, 2018. DOI: 10.5585/eccos.n47.7873. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/7873. Acesso em: 29 fev. 2024.