Análise da produção científica sobre a autorregulação da aprendizagem acadêmica no contexto educativo

Carmem Silvia Lima Fluminhan, Camélia Santina Murgo

Resumo


O objetivo desta pesquisa é de apresentar e discutir como a autorregulação da aprendizagem tem sido investigada no âmbito educacional a partir do levantamento de publicações científicas produzidas até junho de 2016 e disponíveis em bases de dados online. A análise das 20 publicações obtidas permitiu identificar que a autorregulação da aprendizagem tem sido estudada predominantemente à luz da Teoria Social Cognitiva. Os estudos empíricos, de abordagem qualitativa, em nível de ensino superior, com objetivo avaliativo, e no formato de artigo foram prevalentes. Além disso, os estudos relatados convergem para o entendimento de que os alunos autorregulados demonstram ter mais do que estratégias cognitivas, são alunos com habilidades motivacionais. Considerando os resultados obtidos, sugere-se que a autorregulação da aprendizagem seja um tema de estudo contínuo, apoiado pelas instituições de ensino e por professores, com vistas a desenvolver e fortalecer as três dimensões autorregutórias nos alunos: metacognitiva, motivacional e comportamental.

 


Palavras-chave


Autorregulação da aprendizagem; Educação; Ensino e aprendizagem; Publicação científica; Teoria social cognitiva

Texto completo:

PDF

Referências


AVILA, Luciana Toaldo.; FRISON, Lourdes Maria Bragagnolo A autorregulação da aprendizagem e a formação de professoras do campo na modalidade de ensino a distância. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, Madrid, v. 19, n. 1, p. 271-286, 2016.

AZZI, Roberta Gurgel. Introdução à teoria social cognitiva. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2014.

AZZI, Roberta Gurgel; POLYDORO, Soely Aparecida Jorge Auto-eficácia proposta por Albert Bandura: algumas discussões. In: Soely Aparecida Jorge. (Orgs.) Auto-eficácia em diferentes contextos. Campinas: Alínea Editora, 2006.

BANDURA, Albert. Social Foundations of Thought and Action. Englewood Cliffs, New

Jersey: Prentice Hall, Inc., 1986.

BANDURA, Albert. Social cognitive theory of self-regulation. Organizational Behavior and Human Decision Processes, v. 50, p. 248-287, 1991.

BANDURA, Albert. (ed.). Self-efficacy in changing societies. New York: Cambridge University Press, 1995.

BANDURA, Albert. Self Efficacy – The Exercise of Control. New York: Freeman and Company, 1997.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. 1. ed. São Paulo: Almedina Brasil, 2012.

BORUCHOVITCH, Evely. Autorregulação da Aprendizagem: contribuições da psicologia educacional para a formação de professores. Psicologia Escolar e Educacional, Maringá, v. 18, n. 3, p. 40-409, set./dez. 2014.

FERNANDES, Verônica Rodrigues. Prática reflexiva realizada no ensino superior: estratégias de aprendizagem propulsoras para a formação de alunos autorregulados. 2013. 143 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2013.

FRISON, Lourdes Maria Bragagnolo; VEIGA SIMÃO, Ana Margarida. Abordagem (auto)biográfica – narrativas de formação e de autorregulação da aprendizagem reveladas em portifólios reflexivos. Educação, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 198-206, mai./ago. 2011.

GANDA, Danielle Ribeiro. Atribuições de causalidade e estratégias autoprejudiciais de alunos de curso de formação de professores. 2011. 104 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

JACOBS, Klaus Johann. Prefácio Self-efficacy in changing societies, p. vii., 1995. In: BANDURA, Albert (ed.). (1995). Self-efficacy in changing societies. New York: Cambridge University Press.

JOLY, Maria Cristina Rodrigues Azevedo et al. Competência de estudo para uma amostra universitária da área de exatas. Psicologia Escolar e Educacional, Maringá, v. 19, n. 1, p. 23-29, jan./abr. 2015.

JOLY, Maria Cristina Rodrigues Azevedo et al. Autoeficáficia acadêmica e autorregulação da aprendizagem: rede de relacionamento em bases online. Avaliação Psicológica, Itatiba, v. 15, n. 2, p.73-82, abr. 2016.

LOPES DA SILVA, Adelina; VEIGA SIMÃO, Ana Maria; SÁ, Isabel. Autorregulação da aprendizagem: estudos teóricos e empíricos. InterMeio, Campo Grande, v. 10, n. 19, p. 58-74, jan./jun., 2004.

MACIEL, Ana Cecília Medeiros. Autoeficácia e autorregulação em estudos sobre a aprendizagem de língua estrangeira por estudantes de ensino superior. 2010. 126 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

MARINI, Janete Aparecida da Silva; BORUCHOVITCH, Evely. Self-regulated learning in students of Pedagogy. Paidéia, Ribeirão Preto, v. 24, n. 59, p. 323-330, set./dez. 2014.

PAIVA, Maria Olímpia Almeida; LOURENÇO, Abílio Afonso. A influência da aprendizagem autorregulada na maestria escolar. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2., p. 501-520, mai./ago. 2012.

PAULINO, Paula; SÁ, Isabel; LOPES DA SILVA, Adelina. Autorregulação da motivação: crenças e estratégias de alunos portugueses do 7º ao 9º ano de escolaridade. Psicologia Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 28, n. 3, p. 574-582, jul./set. 2015.

PISCALHO, Isabel; VEIGA SIMÃO, Ana Margarida. Promover competências autorregulatórias da aprendizagem nas crianças dos 5 aos 7 anos – perspectivas de investigadores e docentes. Revista Interacções, v. 10, n. 30, p. 72-109, 2014a.

PISCALHO, Isabel; VEIGA SIMÃO, Ana Margarida. Promoção da autorregulação da aprendizagem das crianças: proposta de instrumento de apoio à prática pedagógica. Nuances: estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 25, n. 3, p. 170-190, set./dez. 2014b.

POLYDORO, Soely Aparecida Jorge; AZZI Roberta Gurgel. Auto-regulação: aspectos introdutórios. In: BANDURA, Albert; AZZI, Roberta Gurgel; POLYDORO, Soely Aparecida Jorge e cols. Teoria Social Cognitiva – Conceitos básicos. Porto Alegre: Artmed, 2008. p. 149-164.

POLYDORO, Soely Aparecida Jorge; AZZI Roberta Gurgel. Autorregulação da aprendizagem na perspectiva da teoria sócio-cognitiva: introduzindo modelos de investigação e intervenção. Psicologia da Educação, São Paulo, v. 29, p. 75-94. jul./dez. 2009.

ROSÁRIO, Pedro. Diferenças processuais na aprendizagem: avaliação alternativa das estratégias de autorregulação da aprendizagem. Psicologia Educação e Cultura, Porto, v. 5, n. 1, p. 87-102, maio 2001.

ROSÁRIO, Pedro. Testas, o Lusitano. Porto: Porto Editora, 2004.

ROSÁRIO, Pedro et al. Processos de conhecer, meta-conhecer, resolver e aprender: comunalidade e desafios. In: VEIGA, F. (Org.). Manual de Psicologia da Educação. Lisboa: Mac-Graw Hill, 2010.

ROSÁRIO, Pedro; POLYDORO, Soely Aparecida Jorge. Capitanear o aprender: promoção da autorregulação da aprendizagem no contexto educativo. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2014.

ROSÁRIO, Pedro Sales Luís; TRIGO, João; GUIMARÃES, Carina. Estórias para estudar, histórias sobre o estudar: narrativas auto-regulatórias na sala de aula. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 16, n. 2, p. 117-133, jul./dez. 2003.

SCHUNK, Dale. Teoria social cognitiva na educação: contribuições e direções futuras. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL TEORIA SOCIAL COGNITIVA.

EM DEBATE, 1., 2015, Campinas. Anais... Campinas, SP: FE/UNICAMP, 2015. p. 61-76. Disponível em: https://www.fe.unicamp.br/teoriacognitiva/. Acesso em: 01 fev. 2017.

SCHUNK, Dale; ZIMMERMAN, Barry. (Eds.). Motivation and self-regulated learning: Theory, research, and applications. New York, NY: Routledge, 2012.

VEIGA SIMÃO, Ana Margarida. O conhecimento estratégico e a autorregulação da aprendizagem. In: VEIGA SIMÃO, Ana Maragarida; DUARTE, António Manuel; LOPES da SILVA, Adelina; SÁ, Isabel Antunes; SÁ, Isabel. A aprendizagem autorregulada pelo estudante: perspectivas psicológicas e educacionais. Porto: Porto Editora, 2004. p. 77-94.

ZIMMERMAN, Barry. Self-Regulated Learning and Academic Achievement: An Overview. Educational Psychologist, v. 25, n. 1, 1990. p. 3-17.

ZIMMERMAN, Barry. Attaining Self-Regulation: a social cognitive perspective. In: BOEKAERTS, M.; PINTRINCH, P. R.; ZEIDNER, M. (Eds.). Handbook of Self-Regulation. New York: Academic Press, 2000. p. 13-39.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n55.8210

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2020 Todos os direitos reservados.