A manutenção de ativos no contexto da Indústria 4.0: uma análise bibliométrica e sistemática

Thays Aparecida Vendramin Delecrodio, Glauber Roger Neves, Wagner Cezar Lucato

Resumo


Este artigo tem como objetivo investigar a produção científica recente sobre a manutenção de ativos no contexto da Indústria 4.0. Para isso foi feita uma revisão sistemática da literatura, mesclando um estudo bibliométrico e a análise de conteúdo dos artigos recentes que tratam sobre o tema de interesse deste trabalho. Como resultado foram identificados 225 artigos dos quais os 7 mais recentemente publicados foram considerados para uma análise mais aprofundada. Como conclusão pôde-se observar que no contexto da manutenção na era da indústria 4.0, ainda há uma carência e necessidade de estudos de aplicações práticas, que proporcionem uma aprendizagem adequada e que ajude no entendimento e melhoria das tecnologias. Este trabalho traz contribuições teóricas na medida que identifica lacunas de pesquisa e sugeriu algumas oportunidades a serem consideradas em estudos futuros sobre o tema. Para a prática, os conhecimentos aqui expostos poderão se tronar um guia aos gestores das áreas de Manutenção sobre os principais tópicos que associam a gestão da manutenção de ativos e os requisitos das tecnologias da I 4.0.,


Palavras-chave


Manutenção de ativos; Indústria 4.0; Bibliometria; Análise sistemática.

Texto completo:

PDF

Referências


Al-Ahmari, A., & Li, Z. (2016). Analysis of a multimachine flexible manufacturing cell using stochastic Petri nets. Advances in Mechanical Engineering, 8(11), 1-9. Retrieved June 10, 2020, from https://doi.org/10.1177/1687814016680168.

Adu-Amankwa, K., Attia, A. K., Janardhanan, M. N., & Patel, I. (2019). A predictive maintenance cost model for CNC SMEs in the era of industry 4.0. The International Journal of Advanced Manufacturing Technology, 104(9-12), 3567-3587. Retrieved June 10, 2020, from https://doi.org/10.1007/s00170-019-04094-2.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. (1994). NBR 5462 - Confiabilidade e mantenabilidade. São Paulo: ABNT.

Babiceanu, R. F., & Seker, R. (2016). Big data and virtualization for manufacturing cyber-physical systems: a survey of the current status and future outlook. Computers in Industry, 81, 128-137.

Bengtsson, M., & Lundström, G. (2018). On the importance of combining “the New” with “the Old”— one important prerequisite for maintenance in Industry 4.0. Procedia Manufacturing, 25, 118-125.

Blanchard, B. (2003). Logistics engineering and management (6a. ed.). Englewwod Cliffs: Prentice Hall.

Bolgenhagen, A., Silva, A. C. T. Da, Neves, L. A. P. & Dias, A. de P. (2011). Gestão da Manutenção de equipamentos em micro e pequenas empresas via web. Revista Qualidade Emergente, 2(1), 30-45.

Branco Filho, Gil. (2008). Organização, o planejamento e o controle da manutenção. Rio de Janeiro: Ciência Moderna.

Brettel, M., Friederichsen, N., Keller, M., & Rosenberg, M. (2014). How virtualization, decentralization and network building change the manufacturing landscape: An Industry 4.0 perspective. International Journal of Mechanical, Industrial Science and Engineering, 8(1), 37-44.

Choi, S. S., Kang, G., Jung, K., Kulvatunyou, B. & Morris, K.C. (2016, September). Applications of the factory design and improvement reference activity model. International Conference on Advances in Production Management Systems (APMS), Iguassu Falls, Brazil. Retrieved June 10, 2020, from https://hal.inria.fr/hal-01615741/document.

Ding, S. H., & Kamaruddin, S. (2015). Maintenance policy optimization - literature review and directions. The International Journal of Advanced Manufacturing Technology, 76(5-8), 1263-1283.

European Parliament. (2015, September). Industry 4.0 Digitalisation for productivity and growth. Retrieved June 10, 2020, from http://www.europarl.europa.eu/RegData/etudes/BRIE/2015/568337/ EPRS_BRI (2015)568337_ EN.pdf.

Gil, A. C. (2010). Métodos e técnicas de pesquisa social. (8a. ed.). São Paulo: Atlas.

Guizzi, G., Falcone, D., & De Felice, F. (2019). An integrated and parametric simulation model to improve production and maintenance processes: towards a digital factory performance. Computers & Industrial Engineering, 137, 106052.

He, Y., Gu, C., Chen, Z., & Han, X. (2017). Integrated predictive maintenance strategy for manufacturing systems by combining quality control and mission reliability analysis. International Journal of Production Research, 55(19), 5841-5862.

He, Y., Han, X., Gu, C., & Chen, Z. (2018). Cost-oriented predictive maintenance based on mission reliability state for cyber manufacturing systems. Advances in Mechanical Engineering, 10(1), 1-15. . Retrieved June 10, 2020, from https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/1687814017751467.

Lee, J., Bagheri, B., & Kao, H. A. (2015). A cyber-physical systems architecture for industry 4.0 - based manufacturing systems. Manufacturing Letters, 3, 18-23.

Madu, C. N. (2000). Competing through maintenance strategies. International Journal of Quality & Reliability Management, 17( 9), 937-949.

Mirshawka, V. e Olmedo, N. L. (1993). Manutenção – combate aos custos da não eficácia – a vez do Brasil. São Paulo: Makron Books.

Mobley, R. K. (2002). An introduction to predictive maintenance. São Paulo: Elsevier.

Mourtzis, D., & Vlachou, E. (2018). A cloud-based cyber-physical system for adaptive shop-floor scheduling and condition-based maintenance. Journal of manufacturing systems, 47, 179-198.

Pinto, J. P. (2013). Manutenção lean. Lisboa: Lidel.

Romero-Torres, S., Moyne, J., & Kidambi, M. (2017). Towards Pharma 4.0; leveraging lessons and innovation from Silicon Valley. American Pharmaceutical Review, 5, 132-141.

Roy, R., Stark, R., Tracht, K., Takata, S., & Mori, M. (2016). Continuous maintenance and the future - foundations and technological challenges. Cirp Annals, 65(2), 667-688.

Slack, N., Chambers, S. e Johnston, R. (2009). Administração da produção. (3a. ed.) São Paulo: Atlas.

Silva, S. (2002). Comunicação organizacional em empresas de construção civil sob a ótica do planejamento estratégico. 157 f. Curitiba, 2002 (Dissertação) (Mestrado em Construção Civil–Programa de Pós-Graduação em Construção Civil, Universidade Federal do Paraná, Curitiba).

Souza, V. C.(2007). Organização e gerência da manutenção: planejamento, programação e controle da manutenção. (2a ed.). São Paulo: All Print.

Stock, T., & Seliger, G. (2016). Opportunities of sustainable manufacturing in industry 4.0. Procedia Cirp, 40, 536-541.

Tedeschi, S., Rodrigues, D., Emmanouilidis, C., Erkoyuncu, J., Roy, R., & Starr, A. (2018). A cost estimation approach for IoT modular architectures implementation in legacy systems. Procedia Manufacturing, 19, 103-110.

Xenos, H. G. (1998). Gerenciando a manutenção preventiva: o caminho para eliminar falhas nos equipamentos e aumentar a produtividade. Belo Horizonte: Desenvolvimento Gerencial.

Wan, J., Tang, S., Li, D., Wang, S., Liu, C., Abbas, H., & Vasilakos, A. V. (2017). A manufacturing big data solution for active preventive maintenance. IEEE Transactions on Industrial Informatics, 13(4), 2039-2047.




DOI: https://doi.org/10.5585/exactaep.2021.17589

Direitos autorais 2021 Exacta

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Tempo médio entre a submissão e primeira resposta de avaliação: 120 dias

Exacta – Engenharia de Produção

e-ISSN: 1983-9308
ISSN: 1678-5428
www.revistaexacta.org.br

Exacta  ©2022 Todos os direitos reservados.

Este obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional