Política e formação continuada de educadores: um olhar para a docência universitária a partir da decolonialidade da educação

Júlia Figueredo Benzaquen, Bruna Tarcilia Ferraz

Resumo


O artigo objetiva analisar a percepção de docentes universitários sobre práticas de formação continuada de professores da educação básica. Refletindo a respeito das suas ações enquanto formadores nestes cursos, os docentes do ensino superior revelam que os cursos de formação de professores da educação básica são espaços privilegiados para se pensar formas de decolonizar o ensino. Realizamos entrevistas com coordenadores (as) de curso e formadores (as) universitários que atuaram em cursos de especialização ofertados pela Rede Nacional de Formação Inicial e Continuada de Profissionais da Educação Básica (RENAFORM), em 2014 na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) no Brasil. As políticas e propostas dos cursos eram de uma formação decolonial, no sentido que visavam a valorização de outros saberes, bem como dos sujeitos do campo, indígenas, negros, crianças, etc. As conclusões são que há limites no processo de implementação da referida política e fica claro que não basta um currículo decolonial, é preciso também uma prática. A universidade se enriquece com a possibilidade de compreender as demandas do chão da escola, bem como os professores do ensino básico são estimulados a prosseguirem no aprimoramento da sua formação, a nível de pós-graduação. Essa troca favorece a decolonialidade, constituindo-se em processo de construção que prevê redefinições tanto na configuração da profissionalidade docente como na produção do conhecimento nos cursos de formação continuada.

Palavras-chave


Decolonialidade da educação; Docência universitária; Formação continuada.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases. Lei n. 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Portaria N. 1.328, de 23 de setembro de 2011. Institui a Rede Nacional de Formação Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica Pública.

BRASIL. Portaria MEC n. 1.087, de 10 de agosto de 2011. Institui a Política Nacional de Formação Inicial e Continuada de Profissionais da Educação Básica.

COSTA, Sérgio. (Re)Encontrando-se nas redes? As ciências humanas e a nova geopolítica do conhecimento. In: ALMEIDA, J.; MIGLIEVICH-RIBEIRO, A. e GOMES, H. T. Crítica pós-colonial – panorama de leituras contemporâneas. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2013.

DESLANDES, S. F. A construção do projeto de pesquisa. In: MINAYO, M. C. de S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 23ª. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

DUSSEL, Enrique. Filosofía de Liberación. México: Edicol, 1977.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 32ª. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GATTI, B. A. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação. V. 13, n. 37, jan./abr, 2008.

GROSFOGUEL, Ramón. From Postcolonial Studies to Decolonial Studies: Decolonizing Postcolonial Studies: A Preface, Review, 29(2), 2006.

KONTOPOULOS, Kyriakos. The Logic of Social Structures. Cambridge: Cambridge University Press, 1993.

MIGNOLO, Walter. Local Histories/Global Designs: Essays on the Coloniality of Power, Subaltern Knowledges and Border Thinking. Princeton: Princeton University Press, 2000.

MINAYO, M. C. de S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29ª. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

MORGADO, J. C. Currículo e Profissionalidade Docente. Porto: Porto Editora LDA, 2005.

QUIJANO, Aníbal. Coloniality of power, Eurocentrism and Latin America. Neplanta: Views from South. 1 (3), pp. 533-580, 2002.

RAMOS, K. M. da C. Reconfigurar a profissionalidade docente universitária: um olhar sobre ações de atualização pedagógica-didática. Porto: U.Porto Editoral, 2010.

ROLDÃO, M. do C. N. Nuances: estudos sobre educação. Ano XI, v. 12, n. 13, jan./dez, 2005.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Por uma pedagogia do conflito. In: FREITAS, A. L. S. de; MORAES, S. C. de (orgs.). Contra o desperdício da experiência: a pedagogia do conflito revisitada. Porto Alegre: Rede Editora, 2009.

ZABALZA, M. A. O ensino universitário: seu cenário e seus protagonistas. Porto Alegre: Artmed, 2004.

WALLERSTEIN, Immanuel. The Modern World-System. New York: Academic Press, 1974.

WALSH, Catherine. Interculturalidad, estado, sociedade: luchas (de)coloniales de nuestra época. Quito-Equador: Universidade Andina Simón Bolívar/Ediciones Abya-Yala, 2009.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n54.17351

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2020 Todos os direitos reservados.