O papel da brincadeira nas versões da BNCC: discursos constituindo saberes na educação infantil

Luciane Oliveira da Rosa, Valéria Silva Ferreira

Resumo


A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento normativo do currículo das escolas e das práticas pedagógicas. A Base Nacional Comum Curricular abrange a Educação Infantil e teve cinco versões durante o processo de elaboração. Diferentes equipes de governo e elaboradores atuaram em cada versão da Base, disputando, na política curricular, o poder do discurso para a constituição de saberes na educação brasileira. Assim sendo, este artigo visa discutir como o papel da brincadeira enunciado em cada versão do documento busca constituir saberes sobre a criança e a Educação Infantil. A pesquisa fundamenta-se no contexto de produção do texto da abordagem do ciclo de políticas, que serve para a interpretação crítica do processo de formulação de políticas educacionais, baseado na análise do discurso de Foucault. A coleta de dados deu-se no texto das versões da Base Nacional Comum Curricular, especialmente na parte introdutória e no capítulo que aborda a Educação Infantil. A análise mostra o papel da brincadeira dentre as continuidades e as descontinuidades nas versões da Base Nacional Comum Curricular, com enunciados que formaram diferentes discursos sobre a brincadeira e foram proferidos ao longo da construção da Base, com diferentes intenções de fazer existir e circular determinados saberes na Educação Infantil.


Palavras-chave


Base Nacional Comum Curricular; brincadeira; educação infantil.

Texto completo:

PDF

Referências


APPLE, M. W. Aula Magna. Programa de Pós-Graduação da Univali, 2018. Disponível em: https://www.youtube.com/embed/m05uI_ORQcc. Acesso em: 25 jun. 2018.

ARENDT, H. A condição humana. Tradução Roberto Raposo. 13. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2018.

BALL, S. J.; MAGUIRE, M.; BRAUN, A. Como as escolas fazem as políticas: atuação em escolas secundárias. Tradução Janete Bridon. Ponta Grossa: UEPG, 2016.

BARBOSA, M. C. S. Culturas infantis: contribuições e reflexões. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 14, n. 43, p. 645-667, set./dez. 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.7213/rde.v14i43.1870

BENJAMIN, W. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. Tradução Marcus Vinicius Mazzari. 2. ed. São Paulo: 34, 2009.

BRASIL. Resolução Nº 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 242, p. 18-19, 18 dez. 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Por uma política curricular para a educação básica: contribuição ao debate da base nacional comum a partir do direito à aprendizagem e ao desenvolvimento. Brasília: MEC/SEB/DCEI, jul. 2014. Disponível em: https://avaliacaoeducacional.files.wordpress.com/2015/07/direitos-a-aprendizagem-_-versaoseb_03julho.pdf. Acesso em: 12 jun. 2018.

BRASIL. Ministério de Estado da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular: primeira versão. Brasília: MEC, 2015. Disponível em: http://movimentopelabase.org.br/wp-content/uploads/2017/04/BNCC-APRESENTACAO_final_06-10.pdf. Acesso em: 12 mar. 2018.

BRASIL. Ministério de Estado da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular: Proposta preliminar – segunda versão. Brasília: MEC, 2016. Disponível em: http://movimentopelabase.org.br/referencias/segunda-versao-base-curricular/. Acesso em: 12 mar. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017a. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/06/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 10 mar. 2018.

BRASIL. Ministério de Estado da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a Base – Terceira Versão. Brasília: MEC, 2017b. Disponível em: http://movimentopelabase.org.br/biblioteca/. Acesso em: 12 mar. 2018.

BROUGÈRE, G. Brinquedo e cultura. Revisão e adaptação Gisela Wajskop. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

BUJES, M. I. E. Educação de crianças, docência e processos de subjetivação. 2009. Disponível em: https://www.ufrgs.br/gein/wp-content/uploads/2016/10/Educa%C3%A7%C3%A3o-de-crian%C3%A7as-doc%C3%AAncia-e-processos-de-subjetiva%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 20 nov. 2018.

CASTRO, C. M. de. A arte de caçar borboletas (Epílogo-homenagem). In: KOHAN, W. (org.). Devir-criança da filosofia: infância da educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 223-232.

CORAZZA, S. M.; AQUINO, J. G. Dicionário das ideias feitas em educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

CORSARO, W. A. Sociologia da infância. Tradução Lia Gabriele Regius Reis. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2011.

ELLSWORTH, E. Modos de endereçamento: uma coisa de cinema; uma coisa de educação também. Tradução Tomaz Tadeu da Silva. In: SILVA, T. T. da. (org.). Nunca fomos humanos: nos rastros do sujeito. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. p. 7-76.

FOUCAULT, M. Nascimento da Biopolítica. Tradução Pedro Elói Duarte. Lisboa: Edições 70, 2010.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Organização, introdução e revisão técnica de Roberto Machado. 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Tradução Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

KOHAN, W. O. Infância, estrangeiridade e ignorância: (novos) ensaios de filosofia e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

KOHAN, W. O. Filosofia e infância: pontos de encontro. In: KOHAN, W. O.; KENNEDY, D. (org.). Filosofia e infância: possibilidades de um encontro. Petrópolis: Vozes, 1999. p. 59-74.

LARROSA, J. Tremores: escritos sobre experiência. Tradução Cristina Antunes e João Wanderley Geraldi. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

LARROSA, J. A construção pedagógica do domínio moral e do sujeito moral. In: SILVA, T. T. da. (org.). Liberdades reguladas: a pedagogia construtivista e outras formas de governo do eu. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1998. p. 46-75.

MAINARDES, J.; FERREIRA, M. dos S.; TELLO, C. Análise de políticas: fundamentos e principais debates teórico-metodológicos. In: BALL, S. J.; MAINARDES, J. (org.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011. p. 143-172.

ROSA, L. O. da. Continuidades e descontinuidades nas versões da BNCC para a Educação Infantil. 2019. 161 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2019.

SCHÉRER, R. Infantis: Charles Fourier e a infância para além das crianças. Tradução Guilherme João de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.




DOI: https://doi.org/10.5585/eccos.n62.18508

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 EccoS – Revista Científica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

EccoS – Revista Científica

e-ISSN: 1983-9278
ISSN: 1517-1949
www.revistaeccos.org.br

EccoS – Revista Científica ©2022 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional