O Centro Educacional Unificado (CEU) como lócus da formação docente em vista de uma cidade educadora

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/eccos.n61.22001

Palavras-chave:

centro unificado, educação para as relações étnico-raciais, formação docente, territórios educativos, cidade educadora.

Resumo

Este artigo evidencia o papel desempenhado pelo Centro Educacional Unificado (CEU) na oferta de cursos de formação continuada relacionados à Educação para as Relações Étnico-Raciais, entre os anos de 2013 e 2016. Nele, apresentamos os resultados obtidos a partir da pesquisa exploratória no Diário Oficial da cidade de São Paulo e no Portal da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, tais como a quantidade de vagas oferecidas, os CEUs envolvidos nessa política de formação e a consolidação da parceria entre a Coordenadoria dos CEUs e o Núcleo de Educação Étnico-Racial. Relacionamos os eventos oferecidos nos CEUs à política de formação implementada pela Secretaria Municipal de Educação durante o período analisado, sendo que a pesquisa explicita os CEUs como espaços privilegiados de implementação das políticas de formação centradas nas ações afirmativas. O equipamento CEU emerge como espaço privilegiado para viabilizar a formação de educadores a partir do debate conceitual, mas também possibilita a vivência cultural. Essa perspectiva está em sintonia com a Carta das Cidades Educadoras, a qual defende a promoção da diversidade. Enfatizamos que durante a pesquisa as atividades desvelaram as lutas e conquistas dos povos indígenas e negros. A interculturalidade modifica a cultura escolar e o jeito de professores, educandos, gestores e a comunidade se colocarem nas múltiplas relações interpessoais. Por este aspecto, a escola se torna um espaço de encontro de múltiplos saberes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana de Carvalho Alves Braga, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutora em Educação, Arte e História da Cultura, Mackenzie

Mestre em Integração da América Latina, PROLAM/USP

Licenciada em História e Pedagogia.

Coordenadora Pedagógica na Rede Municipal de Ensino de São Paulo. 

João Clemente de Souza Neto, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Possui graduação em Ciências Sociais pela Faculdade Nossa Senhora Medianeira (1987), mestrado (1992) e doutorado (1997) em Ciências Sociais, e pós-doutorado (2005) em Sociologia Clínica, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. É professor adjunto, pesquisador e orientador no Programa de Pós-Graduação em Educação, Arte e História da Cultura e no Curso de Graduação em Pedagogia da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Membro do Centro de Investigação em Sociologia Económica e das Organizações (Socius - Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa), do Grupo de Pedagogia Social da USP e líder do Grupo de Pedagogia Social da Universidade Presbiteriana Mackenzie, do Instituto Catequético Secular São José, da Associação Civil Gaudium et Spes e da Pastoral do Menor da Região Episcopal Lapa, São Paulo, SP, atua no atendimento e defesa da criança, do adolescente e de famílias em situação de vulnerabilidade social. Com experiência nas áreas de Ciências Sociais e Pedagogia Social, realiza pesquisas nos campos da infância, adolescência e juventude, sobre as temáticas racismo, socialização, inserção social, desvio, práticas sociais, políticas públicas, diversidade cultural, instituições e formação de professores e educadores sociais. É autor de artigos e livros sobre os temas pesquisados, e parecerista em revistas especializadas.

Leandro Alves Lopes, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutorando e Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Atua como orientador pedagógico de 53 núcleos de atendimento nas áreas da Assistência Social (CCA, CJ, NCI, CEDESP e SAICA) e educação (Creches) no Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto.

Referências

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo Estrutural. São Paulo: Jandaíra. Coleção Feminismos Plurais, 2020.

ALVES, Adriana de Carvalho; HADDAD, Claudia Cristina. Educação para as Relações Étnico-raciais: um balanço da formação continuada na RMESP. Poíesis Pedagógica, 17 (1), 44-58, 2020. https://doi.org/10.5216/rppoi.v17i1.59385

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília. Conselho Nacional de Educação, 2004.

CARDOSO, Fernanda Borsatto; GUARANI, Emerson de Oliveira. Agosto Indígena: formação de professores da Rede Municipal de Ensino de São Paulo para a aplicação da Lei nº 11.645/2008. Revista Temporalis [ação], nº 1, v. 19, jan./jun, 2019.

CANDAU, Vera Maria; RUSSO, Kelly. Interculturalidade e Educação na América Latina: uma construção plural, original e complexa. Revista Diálogo Educacional. Curitiba, v. 10, n. 29, p. 151-169, jan./abr, 2020.

DUSSEL, Enrique. Política da Libertação. Passo Fundo: Ifibe, 2014.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança. São Paulo: Paz e Terra, 1994.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GOMES, Nilma Lino. O Movimento Negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Petrópolis/RJ: Vozes, 2017.

GROSFOGUEL, Ramón. Para uma visão decolonial da crise civilizatória e dos paradigmas da esquerda ocidentalizada. In: BERNARDINO-COSTA, J.; MALDONADO-TORRES, N.; GROSFOGUEL, R. Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

GROSFOGUEL, Ramón. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteiras e colonialidade global. In: SOUSA SANTOS, Boaventura de; MENESES, Maria Paula (Orgs.). Epistemologias do Sul. Coimbra: CES, 2010.

MUNANGA, Kabenguele. Educação e diversidade étnico-cultural: a importância da história do negro e da África no sistema educativo brasileiro. In: Relações Étnico-Raciais e Diversidade. Niterói/RJ: Editora da UFF, Alternativa, 2013.

ROGGERO, Rosemary; BIOTO-CAVALCANTI, Patricia Aparecida (2017). Os Centros Educacionais Unificados: uma proposta educacional integradora. Entrevista com a professora Maria Aparecida Perez. Dialogia, São Paulo, n. 25, p. 17-26, jan./abr. 2017. https://doi.org/10.5585/dialogia.N25.7373

SÃO PAULO (SP). Portaria Intersecretarial – SME/SMPIR/ SMDHC/SMC – Nº 01, de 19 de maio de 2014. Constitui a Comissão Organizadora das atividades de formação, difusão cultural e currículo, a seguir relacionadas: Mostra Cultural – agosto Indígena nos CEUs; II Mostra Cultural – Novembro negro nos CEUs; e Mostra Cultural – Dezembro Imigrante nos CEUs.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identidade. Uma introdução às teorias de currículo. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017. 3ª edição, 9ª reimpressão.

SHUMAN, Lee S. Conhecimento e ensino: fundamentos para a nova reforma. Cadernos CENPEC. São Paulo, v.4, n.2. p.196-229, dez. 2014.

PADILHA, Paulo Roberto e SILVA, Roberto da (Orgs.). Educação com qualidade social: a experiência dos CEUs de São Paulo. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2004.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, Eurocentrismo e América Latina. In: A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, 2005. Disponível em: http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/clacso/sur-sur/20100624103322/12_Quijano.pdf.

Downloads

Publicado

28.06.2022

Como Citar

DE CARVALHO ALVES BRAGA, Adriana; DE SOUZA NETO, João Clemente; ALVES LOPES, Leandro. O Centro Educacional Unificado (CEU) como lócus da formação docente em vista de uma cidade educadora. EccoS – Revista Científica, [S. l.], n. 61, p. e22001, 2022. DOI: 10.5585/eccos.n61.22001. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/22001. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê 61 - Cidades Educadoras