O financiamento da educação nas prefeituras das regiões Costa Verde e Centro-Sul Fluminense durante a Pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/eccos.n67.22478

Palavras-chave:

COVID-19, financiamento da educação, região Centro-Sul Fluminense, região da Costa Verde

Resumo

A presente pesquisa apresentada neste artigo pretendeu analisar a aplicação das receitas do percentual mínimo de impostos para o financiamento da manutenção e do desenvolvimento do ensino pelos governos municipais das regiões Centro-Sul Fluminense e Costa Verde no ano de 2020, em meio à pandemia de COVID-19. Ressalta-se que, nesse ano, as instituições escolares estiveram fechadas para as aulas, posto que, frente à maior pandemia do século XXI, e de acordo com as orientações do Conselho Nacional de Educação, a maioria dos governos municipais dessas regiões adotaram o ensino não presencial como estratégia para a sua manutenção. Esta pesquisa revela que, em 2020, todos os 13 governos municipais analisados aplicaram ilegalmente e indevidamente receitas no ensino. Além disso, nem todos adotaram medidas, do ponto de vista do financiamento, para a implementação do ensino não presencial e os que adotaram aplicaram os recursos em serviços de impressão, o que denota que tais governos tiveram como principal medida para o ensino não presencial a entrega de material impresso. Contudo, a maioria dos governos de tais regiões adotou o ensino remoto, porém não investiram no mesmo, logo tal responsabilidade, sob a perspectiva de seu financiamento,  recaiu para pais, responsáveis, alunos(as) e professores(as).

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Araujo de Souza, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Pós-doutor em Educação pela Universidade Federal de Goiás

Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo

Mestre em Educação, Cultura e Comunicação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Pedagogo pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Referências

ANGRA DOS REIS. Site da Transparência Municipal. Contrato n. 123/2018. Disponível em: https://angra.rj.gov.br/SAPO/_licitacao/adm/contratos/818_115816_contrato%20123-2018%20-%20MATOS%20TEIXEIRA.pd>. Acesso em 22 abr. 2022.

AQUINO, Estela M. L. et al. Medidas de distanciamento social no controle da pandemia de COVID-19: potenciais impactos e desafios no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 25, n. suppl 1, p. 2423-2446, 2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Senado

Federal, 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm>. Acesso em: 18 mar. 2022.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da

educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdF>. Acesso em: 18 mar. 2022.

BRASIL. Decreto n. 6.253, de 13 de novembro de 2007. Dispõe sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - FUNDEB, regulamenta a Lei no 11.494, de 20 de junho de 2007, e dá outras providências. Brasília/DF, 2007b. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6253.htm>. Acesso em: 10 mar. 2022.

BRASIL. Emenda Constitucional n. 14, de 12 de setembro de 1996. Modifica os arts. 34, 208, 211 e 212 da Constituição Federal e dá nova redação ao art. 60 do Ato das Disposições constitucionais Transitórias. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc14.htm. Acesso em: 10 mar. 2022.

BRASIL. Emenda Constitucional n. 53, de 19 de dezembro de 2006. Dá nova redação aos

arts. 7º, 23, 30, 206, 208, 211 e 212 da Constituição Federal e ao art. 60 do Ato das

Disposições Constitucionais Transitórias. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc53.htm>. Acesso em: 10 mar. 2022.

BRASIL. Emenda Constitucional n. 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc95.htm. Acesso em: 10 mar. 2022.

BRASIL. Emenda Constitucional n. 108, de 26 de agosto de 2020. Altera a Constituição Federal para estabelecer critérios de distribuição da cota municipal do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), para disciplinar a disponibilização de dados contábeis pelos entes federados, para tratar do planejamento na ordem social e para dispor sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb); altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias; e dá outras providências. Brasília/DF, 2020a. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 18 mar. 2022.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 119, de 27 de abril de 2022. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias para determinar a impossibilidade de responsabilização dos Estados, do Distrito Federal, dos Municípios e dos agentes públicos desses entes federados pelo descumprimento, nos exercícios financeiros de 2020 e 2021, do disposto no caput do art. 212 da Constituição Federal; e dá outras providências. Brasília/DF, 2022. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 18 mar. 2022.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Resultados do Questionário Resposta Educacional à Pandemia de Covid-19 no Brasil.

Diretoria de Estatísticas Educacionais. 2020b. Brasília/DF, 2020. Disponível em:

<https://download.inep.gov.br/censo_escolar/resultados/2020/apresentacao_pesquisa_covid19_censo_escolar_2020>. Acesso em: 18 mar. 2022.

BRASIL. Lei n. 4.320, 17 de março de 1964. Estatui Normas Gerais de Direito Financeiro para elaboração e contrôle dos orçamentos e balanços da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l4320.htm.>. Acesso em: 18 mar. 2022.

BRASIL. Lei n. 11.494, de 20 de junho de 2007. Regulamenta o Fundo de Manutenção e

Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação -

FUNDEB, de que trata o art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias; altera a

Lei n° 10.195, de 14 de fevereiro de 2001; revoga dispositivos das Leis n° 9.424, de 24 de

dezembro de 1996, 10.880, de 9 de junho de 2004, e 10.845, de 5 de março de 2004; e dá

outras providências. Brasília/DF, 2007a. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11494.htm>. Acesso em: 18 dez. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer nº 5, de 28 de abril de 2020c. Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br>. Acesso em: 18 mar. 2022.

BRASIL. Secretaria do Tesouro Nacional. Orientações para utilização do padrão de Fontes ou Destinações de Recursos por Estados, DF e Municípios. Brasília/DF, 2020d. Disponível em: <https://cdn.tesouro.gov.br>. Acesso em: 20 abr. 2022.

BRASIL. Secretaria do Tesouro Nacional. Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP) 9ª Edição. Brasília/DF, 2021b. Disponível em: <https://www.gov.br/tesouronacional>. Acesso em: 09 de maio 2022.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Primeira etapa do Censo Escolar 2021. Brasília/DF, 2021c. Disponível em: <https://www.gov.br/inep/pt-br/assuntos/noticias/censo-escolar/inep-divulga-dados-da-1a-etapa-do-censo-escolar-2021>. Acesso em: 09 de maio 2022.

CEPERJ. Fundação Centro Estadual de Estatística, Pesquisa e Formação de

Servidores Públicos do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro/RJ, 2022. Disponível em . Acesso em 15 maio 2022.

CNM. Confederação Nacional dos Municípios. Nota em defesa da PEC 13/2021 – Mínimo constitucional em Educação. Publicado em 25 de agosto de 2021. Disponível em: <https://www.cnm.org.br>. Acesso em: 28 de abr. 2022.

DAVIES, Nicholas. Alguns desafios do financiamento da educação. Pedagógica: Revista do programa de Pós-graduação em Educação-PPGE, Chapecó/SC, v. 16, n. 33, p. 249-265, 2014.

DUARTE, Clarice S. A educação como um direito fundamental de natureza social. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, p. 691-713, 2007.

FERRARO, Alceu R. Liberalismos e educação: ou por que o Brasil não podia ir além de Mandeville. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 14, p. 308-325, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FERREIRA JR, Amarilio; BITTAR, Marisa. A educação na perspectiva marxista: uma abordagem baseada em Marx e Gramsci. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 26, p. 635-646, 2008.

FINEDUCA. Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação. Depois da destruição da Amazônia, agora querem acabar com a Educação: A PEC 13/2021 do Senado e o calote à educação premiado. Disponível em: <https://fineduca.org.br/wp-content/uploads/2021/09/Manifestacao_entidades_educacao_PEC13_ok.pdf>. Acesso em: 20 de abr. 2022.

GRAMSCI, Antonio. Quaderni del cárcere. Turim: Giulio Einaudi Editore, 1975. Edição crítica de Valentino Gerratana. v. 1-4.

JULIÃO, Gilson J. O centralismo fiscal da federação brasileira, políticas públicas municipais e seu financiamento por meio do fundo de participação dos municípios uma análise do recurso extraordinário 705.423. Revista de Direito Tributário e Financeiro, Florianópolis, v. 7, n. 1, p. 124-141, 2021.

LAMARÃO, Marco V. O CACS-FUNDEB e a defesa da escola pública-limites e possibilidades. Revista Trabalho Necessário, Niterói, v. 11, n. 16, 2013.

MASSARDI, Wellington de O.; ABRANTES, Luiz A. Dependência dos municípios de Minas Gerais em relação ao FPM. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, Salvador, v. 1, n. 6, p. 173-187, 2016.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2008.

RIO DE JANEIRO (Estado). Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ).

Contas Municipais 2020. Rio de Janeiro, 2022. Disponível em: <http://www.tce.rj.gov.br>. Acesso em: 11 mar. 2022.

RIO DE JANEIRO (Estado). Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ).

Contas do Estado do Rio de Janeiro 2018. Rio de Janeiro, 2022. Disponível em: <http://www.tce.rj.gov.br>. Acesso em: 11 mar. 2022.

SOUZA, Fábio Araujo de. Inativos da educação: despesa da educação? Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Brasília/DF, v. 35, n. 3, p. 1029-1062, 2019.

SOUZA, Fábio Araujo de. O financiamento da educação das prefeituras da região Médio Paraíba na pandemia de Covid-19. Vértices (Campos dos Goitacazes), Campos dos Goytacazes, v. 24, n. 3, p. 862-881, 2022.

SOUZA, Fábio Araujo de. O financiamento da educação das prefeituras da Baixada Fluminense na pandemia de Covid-19. Educação em Revista, Marília/SP, v. 23, n. 1, 2023.

XIMENES, Salomão B. O Conteúdo Jurídico do Princípio Constitucional da Garantia de Padrão de Qualidade do Ensino: uma contribuição desde a teoria dos direitos fundamentais. Educação & Sociedade, Campinas, v. 35, p. 1027-1051, 2014.

Downloads

Publicado

18.12.2023

Como Citar

SOUZA, Fábio Araujo de. O financiamento da educação nas prefeituras das regiões Costa Verde e Centro-Sul Fluminense durante a Pandemia. EccoS – Revista Científica, [S. l.], n. 67, p. e22478, 2023. DOI: 10.5585/eccos.n67.22478. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/22478. Acesso em: 24 fev. 2024.