Pensamento complexo, transdisciplinaridade e ecoformação na transposição das políticas ambientais ao contexto escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/eccos.n66.23334

Palavras-chave:

Políticas públicas, Meio ambiente, Pensamento complexo, Ecoformação, Transdisciplinaridade

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar a interface da tríade conceitual pensamento complexo, transdisciplinaridade e ecoformação em políticas ambientais e sua transposição no contexto escolar. Teoricamente, o estudo está pautado nas contribuições de autores como Morin (2015a, 2015b, 2018, 2019), Nicolescu (2018) e Pineau (2000, 2004) e destaca como iniciativas governamentais a proposta da Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida (COM-VIDA). Metodologicamente, optou-se pelas pesquisas documental e bibliográfica e pela abordagem qualitativa, sendo utilizados, entre as fontes de pesquisa, documentos governamentais como a Base Nacional Comum Curricular. Os resultados evidenciam a relevância de se aderir às poucas políticas públicas comprometidas com o meio ambiente disponíveis atualmente e reitera a necessidade de valorizar iniciativas pautadas por conceitos como o pensamento complexo, a transdisciplinaridade e a ecoformação para sua transposição ao contexto escolar.

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Ribeiro de França, Pontifícia Universidade Católica do Paraná / Secretaria de Estado da Educação - SED

Mestranda do Curso de pós-Graduação Mestrado Profissional em Educação Básica (PPGEB) da Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP, 2022-2024). Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC, 2000-2004). Docente da Escola de Educação Básica Santos Anjos, da Rede Estadual de Ensino de Santa Catarina. Membro do Grupo de Pesquisa Políticas Públicas, Educação, Legislação e Inovação.

Marlene Zwierewicz, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe – UNIARP

Dra. em Psicologia pela UFSC e Doutora em Educação pela Universidade de Jaén - UJA - Espanha

Coordenadora do Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Educação Básica - PPGEB da UNIARP

Levi Hülse, Universidade Alto Vale do Rio do Peixe – UNIARP

Dr. em Direito pela Univali. Docente do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Educação Básica - PPGEB da UNIARP

Referências

ARNT, Rosa Maria. Transdisciplinaridade e educação comunitária: rendas de bilros, rendeiras e bem viver. Educação & Linguagem, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 303-324, jan./jun. 2020. DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1043/el. v23n1p303-324. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/EL/article/view/10758. Acesso em: 6 jan. 2021.

ARTAXO, Paulo. As três emergências que nossa sociedade enfrenta: saúde, biodiversidade e mudanças climáticas. Estudos Avançados, [S. l.], v. 34, p. 53-66, 2020.

BATALLOSO, Juan Miguel; MORAES, Maria Cândida. Contextualización educativa: ética, política y transdisciplinariedad. Educação & Linguagem, São Paulo, v. 3, n. 1 p. 67-97, 2020. DOI: https://doi.org/10.15603/2176-1043/el.v23n1p67-98. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/EL/article/view/10745. Acesso em: 17 maio 2022.

BELASCO, Gabriela Costa et al. Comissão de meio ambiente e qualidade de vida na escola (Com-Vida): uma investigação em documentos oficiais. Holos Environment, 20, n. 1, p. 60-72, 2020. DOI: https://doi.org/10.14295/holos.v20i1.12364. Disponível em: https://www.cea-unesp.org.br/holos/article/view/12364. Acesso em: 20 set. 2022.

BEZERRA, Maria do Carmo de Lima; BURSZTYN, Marcel (org.). Ciência e tecnologia para o desenvolvimento sustentável. Brasília: Ministério do Meio Ambiente; Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis; Consórcio CDS/UnB/Abipti, 2000.

BRANCO, Emerson Pereira; ROYER, Marcia Regina; BRANCO, Alessandra Batista de Godoi. A abordagem da Educação Ambiental nos PCNS, nas DCNS e na BNCC. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 29, n. 1, p. 185-203, jan./abr. 2018. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/5526. Acesso em: 20 set. 2022.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Educação Ambiental: aprendizes de sustentabilidade. Ministério da Educação. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, Cadernos SECAD, 2007.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Política Nacional de Educação Ambiental. Brasília, DF: Presidência da República, 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9795.htm. Acesso em: 9 out. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018.

BRASIL. SIMEC. Ministério da Educação. PAR – Plano de Ações Articuladas. Brasília: MEC, [2021]. Disponível em: https://simec.mec.gov.br/cte/relatoriopublico/principal.php. Acesso em: 25 mar. 2023.

CAPANO, Giuliana; PEDROSO, Daniele Saheb; MACHADO, Michelle Jordão. Ecoformação nos anos iniciais do ensino fundamental: a produção científica entre 2005 e 2021. Ensino & Pesquisa, São Paulo, v. 20, n. 3, p. 34-44, 2022. DOI: https://doi.org/10.33871/23594381.2022.20.3.7192. Disponível em: https://periodicos.unespar.edu.br/index.php/ensinoepesquisa/article/view/7192. Acesso em: 21 abril 2023

CAPRA, Fritjof. Alfabetização ecológica: o desafio para a educação do século 21. In: TRIGUEIRO, André (org.). Meio Ambiente no século 21: 21 especialistas falam da questão ambiental nas suas áreas de conhecimento. 5. ed. Campinas: Armazém do Ipê, 2008. p. 19-33.

DEL CARRATORE, Luís Roberto Rossi. Pesquisa científica em comunicação: uma abordagem conceitual sobre os métodos qualitativo e quantitativo. Comunicação & Inovação, São Caetano do Sul, v. 10, n. 19, p. 29-35, jul./dez. 2009. Disponível em: https://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_comunicacao_inovacao/article/view/899. Acesso em: 20 set. 2022.

FAO et al. El estado de la seguridad alimentaria y la nutrición en el mundo 2022: adaptación de las políticas alimentarias y agrícolas para hacer las dietas saludables más asequibles. Roma: FAO, 2022. DOI: https://doi.org/10.4060/cc0639es. Disponível em: https://www.fao.org/3/cc0639es/cc0639es.pdf. Acesso em: 17 jul. 2022.

GADOTTI, Moacir. Pedagogia da terra: ecopedagogia e educação sustentável. In: TORRES, Carlos Alberto. Paulo Freire y la agenda de la educación latinoamericana en el siglo XXI. Buenos Aires: CLACSO, 2001. p. 81-132.

GARCIA, Áurea da Silva; VARGAS, Icléia Albuquerque de Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola (Com-Vida): o ideal e o real nos processos de participação. REMEA – Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, [S. l.], v. 27, 61-73, jul./dez. 2012. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/3194. Acesso em: 20 set. 2022.

GONSALES, Priscila. Inteligência artificial, educação e pensamento complexo: caminhos para religação de saberes. 2022. Dissertação (Mestrado em Tecnologias da Inteligência e Design Digital) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Tecnologias da Inteligência e Design Digital da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2022.

IPCC. Climate Change 2022: Impacts, Adaptation and Vulnerability. Contribution of Working Group II to the Sixth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. Cambridge: Cambridge University Press, 2022. DOI: https://doi.org/10.1017/9781009325844. Disponível em: https://www.ipcc.ch/report/ar6/wg2/. Acesso em: 2 out. 2022

LOUREIRO, Carlos Frederico B. Trajetória e fundamentos da educação ambiental. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

MALLART, Joan; MALLART-SANZ, Albert. Ecoformação para a escola de hoje. In: ZWIEREWICZ, Marlene; TORRE, Saturnino de la (org.). Escolas criativas: reflexões, estratégias e ações com Projetos Criativos Ecoformadores. Caçador: EdUniarp: Caçador, 2022. p. 86-107.

MATIAS, Salete de. Estratégias transdisciplinares e ecoformadoras de leitura, interpretação e produção textual vinculadas à cocriação de uma biblioteca sustentável. 2021. 105 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Básica) – Universidade Alto Vale do Rio do Peixe, Caçador, 2021.

MENEZES, Geisa Defensor Oliveira; DE MIRANDA, Maria Anália Macedo. O lugar da Educação Ambiental na nova Base Nacional Comum Curricular para o Ensino Médio. Revista Educação Ambiental em Ação, v. 20, n. 75, 2021.

MORAES, Maria Cândida. Além da aprendizagem: um paradigma para a vida. In: MORAES, Maria Cândida; TORRE, Saturnino (org.). Sentipensar: fundamentos pra reencantar a educação. 2. ed. Rio de Janeiro: WAK, 2018. p. 15-55.

MORAES, Maria Cândida. Paradigma Educacional Ecossistêmico: por uma nova ecologia da aprendizagem humana. Rio de Janeiro: WAK, 2021.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 24. ed. Tradução de Eloá Jacobina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2018.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Tradução de Maria D. Alexandre e Maria Alice de Sampaio Doria. 18. ed. Rio de Janeiro: Bertrand, 2019.

MORIN, Edgar. Ensinar a viver: manifesto para mudar a educação. Tradução de Edgard de Assis Carvalho e Mariza Perassi Bosco. Porto Alegre: Sulina, 2015a.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Tradução de Eliane Lisboa. 5. ed. Porto Alegre: Sulina, 2015b.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya. 2. ed. rev. São Paulo: Cortez; Brasília: Unesco, 2011.

MORIN, Edgar; DELGADO, Carlos Jesus. Reinventar a Educação: abrir caminhos para a metamorfose da humanidade. São Paulo: Pala Athena, 2017.

NICOLESCU, Basarab. O manifesto da transdisciplinaridade. Tradução de Lucia Pereira de Souza. 3. ed. São Paulo: Triom, 2018.

OLIVEIRA, Elaine Toná de; ROYER, Marcia Regina. A Educação Ambiental no contexto da BNCC para o Ensino Médio. Interfaces da Educação, [S. l.], v. 10, n. 30, p. 57-78, 2020. DOI: https://doi.org/10.26514/inter.v10i30.3717. Disponível em: https://periodicosonline.uems.br/index.php/interfaces/article/view/3717. Acesso em: 21 set. 2022.

OMS. World mental health report: transforming mental health for all. Genebra, OMS, 2022. Disponível em: https://www.who.int/publications/i/item/9789240049338. Acesso em: 12 out. 2022.

PERALTA Carlos E.; ALVARENGA Luciano J.; AUGUSTIN Sérgio. Direito e justiça ambiental: diálogos interdisciplinares sobre a crise ecológica. Educs, Caxias do Sul, 2014. Disponível em: https://www.ucs.br/educs/livro/direito-e-justica-ambiental-dialogos-interdisciplinares-sobre-o-risco-ecologico/. Acesso em: 20 maio 2022.

PETRAGLIA, Izabel. Educação complexa para uma nova política de civilização. Educar, Curitiba, v. 32, p. 29-41, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/er/n32/n32a04. Acesso em: 21 abr. 2019.

PINEAU, Gaston. Temporalidades na formação. São Paulo: TRIOM, 2004.

PINEAU, Gaston. Temporalidades na formação. Tradução de Lúcia Pereira de Souza. São Paulo: TRIOM, 2000.

PNUD et al. COVID-19 e desenvolvimento sustentável: avaliando a crise de olho na recuperação 2021. Brasília: PNUD; UNICEF; UNESCO; OPAS, 2021. Disponível em: https://www.undp.org/pt/brazil/publications/covid-19-e-desenvolvimento-sustent%C3%A1vel-avaliando-crise-de-olho-na-recupera%C3%A7%C3%A3o-2021. Acesso em: 12 out. 2022.

REIGOTA, Marcos. O que é educação ambiental. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 2009.

RIBEIRO, Olzeni Costa; MORAES, Maria Cândida. Criatividade em uma perspectiva transdisciplinar: rompendo crenças, mitos e concepções. Brasília: Liber Livro, 2014.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa social: métodos e técnicas. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

ROITBERG, Nicole. Ecoformação: um caminho necessário para a cidadania planetária. Revista Missões, [S. l.], fev. 2009. Disponível em: http://www.revistamissoes.org.br/2009/02/ecoformacao-um-caminho-necessario-para-a-cidadania-planetaria/. Acesso em: 29 maio 2022.

SÁ-SILVA, Jackson Ronie; ALMEIDA, Cristóvão Domingos de; GUINDANI, Joel Felipe. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, [S. l.], ano 1, n. 1, p. 1-15, jul. 2009. Disponível em: https://periodicos.furg.br/rbhcs/article/view/10351. Acesso em: 10 set. 2022.

SILVA, Ana Tereza Reis da. Ecoformação: reflexões para uma pedagogia ambiental, a partir de Rousseau, Morin e Pineau. Desenvolvimento e Meio Ambiente, Curitiba, n. 18, p. 95-104, jul./dez. 2008. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v18i0.13428. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/made/article/view/13428. Acesso em: 16 maio 2022.

SOUSA, Angélica Silva; OLIVEIRA, Guilherme Saramago; ALVES, Laís Hilário. A pesquisa bibliográfica: princípios e fundamentos. Cadernos da FUCAMP, [S. l.], v. 20, n. 43, p. 64-83, 2021.

TORRE, Saturnino de la et al. Decálogo sobre transdisciplinaridade e ecoformação. In: TORRE, Saturnino de la; PUJOL, Maria Antonia; MORAES, Maria Cândida (org.). Transdisciplinaridade e Ecoformação: um novo olhar sobre a educação. São Paulo: TRIOM, 2008. p. 19-60.

UNESCO. Relatório mundial das Nações Unidas sobre desenvolvimento dos recursos hídricos 2021: O valor da água: dados e fatos. Paris: UNESCO, 2021. https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000375751_por. Acesso em: 20 maio 2022.

VASCONCELLOS, Wagner Eduardo. Espaços Territoriais Ambientalmente Protegidos e Regime de Consolidação no Código Florestal a Partir da Racionalidade Ambiental de Enrique Leff. In: JH Mizuno (org.). Ministério público e o meio ambiente: desafios para o desenvolvimento sustentável. Leme: JH Mizuno. 2020. p. 541-560.

ZWIEREWICZ, Marlene. Seminário de Pesquisa e Intervenção l. Florianópolis: IFSC, 2014.

Downloads

Publicado

19.09.2023

Como Citar

FRANÇA, Fabiana Ribeiro de; ZWIEREWICZ, Marlene; HÜLSE, Levi. Pensamento complexo, transdisciplinaridade e ecoformação na transposição das políticas ambientais ao contexto escolar. EccoS – Revista Científica, [S. l.], n. 66, p. e23334, 2023. DOI: 10.5585/eccos.n66.23334. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/23334. Acesso em: 13 jun. 2024.