Diferença colonial e o currículo cultural da educação física

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/eccos.n67.24336

Palavras-chave:

Cultura, Currículo, Diferença, Educação Física

Resumo

O artigo problematiza o conceito de diferença quando apropriado pelo multiculturalismo crítico, pelos Estudos Culturais e pelo pós-estruturalismo, campos teóricos que subsidiam epistemologicamente o chamado currículo cultural da Educação Física. Discorre sobre a noção de diferença adotada pelo pós-estruturalismo para, então, arriscar uma aproximação com o pensamento decolonial materializado na noção de diferença colonial. A proposta não foi sequestrar o conceito de diferença para fechá-lo numa caixa; desejou-se justamente o oposto, fomentar novos diálogos sem desprezar os discursos e as relações de poder que constituem a diferença pós-estruturalista. Ao mobilizar a discussão latino-americana, é possível destacar que a interlocução entre saberes, memórias, histórias, cosmologias e experiências de coletivos postos na diferença colonial proporciona uma compreensão da diferença para além das questões da linguagem, implicada como uma dimensão ontológica, pois a diferença é algo se vive e se sente, é ser. O  currículo cultural aciona os campos de diferentes maneiras, seja no início da tematização, quando escuta e percebe a significação dos estudantes sobre as práticas corporais, ou durante a caminhada, quando os professores organizam suas ações didáticas. Além disso, os contextos político e econômico são elementos que atravessam e interferem diretamente nas escolas do chamado terceiro mundo

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávio Nunes dos Santos Júnior, Secretaria Municipal de Educação de São Paulo – SME/SP

Licenciado em Educação Física. Mestre em Educação.

Marcos Ribeiro das Neves, Secretaria Municipal de Educação de São Paulo – SME/SP

Licenciado em Educação Física. Mestre em Educação.

Marcos Garcia Neira, Universidade de São Paulo - USP

Licenciado em Educação Física e Pedagogia com Mestrado e Doutorado em Educação, Pós-doutorado em Currículo e Educação Física e Livre-Docência em Metodologia do Ensino de Educação Física. Professor Titular da Universidade de São Paulo, onde exerce a função de Pró-Reitor Adjunto de Graduação (2022-2023). Leciona nos cursos de graduação e pós-graduação da Faculdade de Educação, orienta pesquisas em nível de iniciação científica, mestrado e doutorado; supervisiona pesquisas de pós-doutorado e coordena o Grupo de Pesquisas em Educação Física escolar (www.gpef.fe.usp.br). Investiga a prática pedagógica da Educação Física com apoio da FAPESP e do CNPq, do qual é Bolsista de Produtividade em Pesquisa. Tem experiência com os seguintes temas: Educação Física escolar, Currículo, Formação de professores e Teorias pós-críticas.

Referências

AUGUSTO, Cyndel Nunes. Encontros no cu do mundo: alianças entre os estudos feministas, queer (decolonial) e a Educação Física cultural. 2022. 167f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2022.

BONETTO, Pedro Xavier Russo. A escrita-currículo da perspectiva cultural de Educação Física: entre aproximações, diferenciações, laissez-faire e fórmula. 2016. 238 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, Faculdade de Educação, São Paulo, 2016.

BONETTO, Pedro Xavier Russo; VIEIRA, Rubens Antônio Gurgel; BORGES Clayton César de Oliveira. Educação Física e as filosofias da diferença: encontros com Foucault, Deleuze e Derrida. Revista Brasileira de Educação Física Escolar, Curitiba, ano VII, vol. III, março 2022.

BURBULLES, Nickolas. Uma gramática da diferença: algumas formas de repensar a diferença e a diversidade como tópicos educacionais. In: GARCIA, Regina Leite; MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa. Currículo na contemporaneidade, incertezas e desafios. São Paulo: Cortez, 2012.

CASTRO-GOMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramon. Giro colonial, teoria crítica y pensamento heterárquico. In: CASTRO-GOMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramon (org.). El giro decolonial: reflexiones para uma diversidade epistémica mas allá del capitalismo global. Bogotá: Universidad Javeriana-Instituto Pensar, Universid Central-IESCO, Siglo del Hombre, 2007. p. 79-92.

DERRIDA, Jacques. A escritura e a diferença. 4.ed. São Paulo: Perspectiva. 2009.

DUARTE, Leonardo de Carvalho. Educação Física cultural na Educação Infantil: imagens narrativas produzidas com professoras e crianças nos/dos/com os cotidianos de uma EMEI Paulistana. 2021. 384f. Tese (Doutorado em Educação) Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2021.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2005.

GHERES, Adriana Faria. Currículo cultural de Educação Física e a linguagem corporal: uma intervenção/cartografia a partir da dança. 2019. 125f. Relatório de Pesquisa (Pós-Doutorado) – Universidade de São Paulo, Faculdade de Educação, São Paulo, 2019.

GRAMORELLI, Lilian Cristina; NEIRA, Marcos Garcia. Dez anos de Parâmetros Curriculares Nacionais: a prática da Educação Física na visão de seus atores. Movimento, Porto Alegre, v. 15, n. 4, p. 107-126, out./dez. 2009.

GROSFOGUEL, Ramon. A estrutura do conhecimento nas universidades ocidentalizadas: racismo/sexismo epistêmico e os quatro genocídios/epistemicídios do longo século XVI. Revista Sociedade e Estado, v. 31, n. 31, jan./abr., 2016.

GROSFOGUEL, Ramon. Para uma visão decolonial da crise civilizatória e dos paradigmas da esquerda ocidentalizada. In: BERNARDINO-CISTA, J.; MALDONADO-TORRES, N.; GROSFOGUEL, Ramon. Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Bello Horizonte: Autêntica, 2019, p. 55-78.

KRENAK, Ailton. Antes, o mundo não existia. In: NOVAES, Adauto (org.). Tempo e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

LANDER, Edgardo. Ciências sociais: saberes coloniais e eurocêntricos. In: A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Colección Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autonoma de Buenos Aires, Argentina, 2005. p. 08-23.

LOPES, Alice Casemiro. Teorias pós-críticas, política e currículo. Educação, Sociedade e Cultura, n. 39, 2013, p. 7-23.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Sobre la colonialidade del ser: contribuciones al desarrollo de um concepto. In: CASTRO-GOMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramon (org.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores; Universidad Central, Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos y Pontificia Universidad Javeriana, Instituto Pensar, Bogotá, 2007. p. 127-168.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Analítica da colonialidade e da decolonialidade: algumas dimensões básicas. In: BERNARDINO-COSTA, Joaze; MALDONADO-TORRES, Nelson; GROSFOGUEL, Ramon. Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019. p. 27-54.

MARTINS, Jacqueline Cristina Jesus. Educação Física, currículo cultural e a Educação de Jovens e Adultos: novas possibilidades. 2019. 381 f. Dissertação (Mestrado em Educação). –Universidade de São Paulo, Faculdade de Educação, São Paulo, 2019.

MIGNOLO, Walter. Habitar la frontera: sentir y pensar la descolonialidad. Barcelona: CIDOB y UACI, 2015.

MIGNOLO, Walter. The conceptual triad modernity/coloniality/decoloniality. In: MIGNOLO, Walter; WALSH, Catherine. On decoloniality: concepts, analytics, práxis. Durham: Duke University Press, 2018.

MIGNOLO, Walter. A geopolítica do conhecimento e a diferença colonial. Revista Lusófona de Educação, n. 48, 2020, p. 187-224.

MÜLLER, Arthur. A avaliação no currículo cultural de Educação Física: o papel do registro na reorientação das rotas. 2016. 156 f. Dissertação (Mestrado em Educação). FEUSP, São Paulo, 2016.

NEIRA, Marcos Garcia. Valorização das identidades: a cultura corporal popular como conteúdo do currículo da Educação Física. Motriz, Rio Claro, v.13, n.3, pp.174-180, jul./set. 2007.

NEIRA, Marcos Garcia. Os conteúdos no currículo cultural da Educação Física e a valorização das diferenças: análises da prática pedagógica. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 18, n.2, p. 827-846 abr./jun. 2020.

NEIRA, Marcos Garcia. Análises das representações dos professores sobre o currículo cultural da Educação Física. Interface, Botucatu, v. 14, n. 35, p. 783-795, dez. 2010.

NEIRA, Marcos Garcia; NUNES, Mário Luiz Ferrari. Pedagogia da cultura corporal: crítica e alternativas. São Paulo: Phorte, 2006.

NEIRA, Marcos Garcia; NUNES, Mário Luiz Ferrari. Educação Física, currículo e cultura. São Paulo: Phorte, 2009.

NEIRA, Marcos Garcia; NUNES, Mário Luiz Ferrari. Educação Física cultural: por uma pedagogia da(s) diferença(s). Curitiba: CRV, 2016.

NEIRA, Marcos Garcia; NUNES, Mário Luiz Ferrari. Currículo cultural, linguagem, códigos e representação. In: Epistemologia e didática do currículo cultural da Educação Física. São Paulo: FEUSP, 2022. p. 14-38.

NEVES, Marcos Ribeiro. O currículo cultural de Educação Física em ação: efeitos nas representações culturais dos estudantes sobre as práticas corporais e seus representantes. 2018. 198 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

NUNES, Hugo César Bueno. O jogo da identidade e diferença no currículo cultural da Educação Física. 2018. 157. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de São Paulo, Faculdade de Educação, São Paulo, 2018.

OLIVEIRA, Glaurea Nádia Borges; NEIRA, Marcos Garcia. Contribuições foucaultianas para o debate curricular da Educação Física. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 35, e198117, 2019.

OLIVEIRA JUNIOR, Jorge Luiz. Significações sobre o currículo cultural da Educação Física: cenas de uma escola municipal paulistana. 2017. 156 f. Dissertação (mestrado em educação). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo. A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Coleccion Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina. Setembro, 2005. p. 107-130.

QUIJANO, Anibal. Colonialidad del poder y clasificación social In: CASTRO-GOMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramon (org.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores; Universidad Central, Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos y Pontificia Universidad Javeriana, Instituto Pensar, Bogotá, 2007. p. 93-126.

SANTOS, Ivan Luis. A tematização e a problematização no currículo cultural de Educação Física. 2016. 246 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, Faculdade de Educação, São Paulo, 2016.

SANTOS JUNIOR, Flávio Nunes. Subvertendo as colonialidades: o currículo cultural de Educação Física e a enunciação dos saberes discentes. 2020. 184f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2020.

SILVA, Tomaz Tadeu. Teoria cultural e educação: um vocabulário crítico. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

SILVA, Tomaz Tadeu. Identidade e diferença. A perspectiva dos Estudos Culturais. 7.ed. Petrópolis, RJ. Vozes, 2007.

SILVA, Tomaz Tadeu. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

VIEIRA, Rubens Gurgel. Conceitos em torno de uma Educação Física menor: possibilidades do currículo cultural para esquizoaprender como política cognitiva. 2020. 244f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, 2020.

WILLIAMS, James. Pós-estruturalismo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

Downloads

Publicado

18.12.2023

Como Citar

SANTOS JÚNIOR, Flávio Nunes dos; NEVES, Marcos Ribeiro das; NEIRA, Marcos Garcia. Diferença colonial e o currículo cultural da educação física. EccoS – Revista Científica, [S. l.], n. 67, p. e24336, 2023. DOI: 10.5585/eccos.n67.24336. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/24336. Acesso em: 24 fev. 2024.