Construindo a qualidade social da escola pública

contribuições dos estudantes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5585/eccos.n69.25155

Palavras-chave:

ensino fundamental, escola pública, estudantes, participação estudantil, qualidade social

Resumo

Este artigo apresenta indicadores de qualidade identificados a partir das contribuições dos alunos do Ensino Fundamental das escolas públicas de um município do interior do estado de São Paulo/Brasil, além de resgatar e buscar fortalecer a participação estudantil no debate sobre a qualidade social da escola pública. Para tanto recorreu-se à pesquisa de abordagem qualitativa com base nas respostas de 1.129 alunos do 9º ano do Ensino Fundamental a um questionário com perguntas abertas e, posteriormente, na participação de 40 alunos em uma oficina sobre qualidade da escola pública. A análise e agrupamentos dos dados coletados foram organizados a partir das proposições de Bardin (2009). Segundo os alunos participantes, os aspectos que colaboram para a qualidade social envolvem determinantes externos: infraestrutura, alimentação e financiamento; e internos: práticas pedagógicas, organização do trabalho pedagógico, valores, relações interpessoais, comportamento. Os relatos dos alunos permitiram compreender a sua perspectiva sobre a qualidade da escola e indicaram a potencialidade de suas contribuições quando convidados a participar de processos democráticos que ampliam sua formação para além dos conhecimentos cognitivos exigidos em avaliações em larga escala, possibilitando o desenvolvimento de outras dimensões da formação humana.

CROSSMARK_Color_horizontal.svg

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Regiane Helena Bertagna, Universidade Estadual de Campinas - Unicamp

Pedagoga pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho- UNESP/Rio Claro, Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas 1997, Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas 2003 e Pós Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas 2018 .Atualmente é docente no Departamento de Educação na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/IB/Rio Claro e no Programa de Pós-graduação em Educação UNESP/Rio Claro. Professora na educação básica do Estado de São Paulo (1990-1995). Presidente do Grupo de Avaliação Institucional do Instituto de Biociências da UNESP/Rio Claro (2009-2011). Editora-Chefe da Revista Educação:Teoria e Pratica do Departamento de Educação da UNESP/Rio Claro (2013-2015). Coordenadora do Curso de Pedagogia UNESP/Rio Claro (2016-2017). Vice -lider do Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais (GREPPE - Unesp/Rio Claro) e Líder do grupo de pesquisa - Laboratório de Observação e Estudos Descritivos (LOED/Unesp).Participante da Rede Latino-Americana e Africana de Pesquisadores em Privatização da Educação (RELAAPE - /https://www.rede.fe.unicamp.br/pt-br). Tem experiência na área de Educação com ênfase em Avaliação, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação escolar, avaliação institucional, avaliação de sistemas, politica educacional, privatização da educação, qualidade educacional e pesquisa educacional.

Mara Regina Lemes de Sordi, Universidade Estadual de Campinas - Unicamp

Professora Associada da Faculdade de Educação da UNICAMP, graduada em Enfermagem pela USP-SP (1976) , mestre em Enfermagem pela USP-SP( 1989, doutora em Educação pela UNICAMP( 1993), pós doutora em Educação pela PUC-RJ.=, Livre docente em Avaliação Educacional pela UNICAMP. Pesquisadora no campo da avaliação educacional tanto na educação superior como na educação básica. Coordena o Laboratório de Observação e Estudos Descritivos ( LOED) da Fe Unicamp. Atua como professor permanente no Programa de Pós Graduação em Educação. Tem experiência na área da Educação em Saúde .

Rosangela de Souza Bittencourt Lara, Universidade Estadual de Campinas - Unicamp

Possui graduação em Pedagogia - Faculdades Oswaldo Cruz (2002), graduação em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica (1988) e mestrado em Artes pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2009). Doutoranda da Faculdade de Educação da Unicamp. Atualmente é bolsista da Universidade Virtual do Estado de São Paulo integrando o programa de Formação didático-pedagógica em EaD. Coordenou e ministrou programas de formação de professores e coordenadores pedagógico e de Avaliação Educacional na rede escolar SESI-SP e atuou como diretora de creche no município de São Paulo. Possui experiência com ênfase em Avaliação de Sistemas, Instituições, Planos e Programas Educacionais, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação educacional, formação de coordenadores pedagógicos e professores, relação escola-família e educação infantil.

Referências

ALMEIDA, J. G.; DINIZ, P. M. (Orgs.) Avaliação institucional no ensino fundamental: o que pensam os alunos sobre educação de qualidade. Curitiba: CRV, 2018.https://doi.org/10.26843/v11.n3.2018.542.p362-373. Acesso em: 25 de maio de 2023.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução: Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. 4 ed. Lisboa, Portugal: Edições 70 LDA, 2009.

BELLONI, I. Educação. In: BITTAR, J. (Org.). Governos estaduais: desafios e avanços: reflexões e relatos de experiências petistas. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, 2003.

BERTAGNA, R. H., et al. Avaliação da qualidade social da escola pública: delineamentos de uma proposta referenciada na formação humana. Políticas Educativas, Paraná, v. 13, n. 2, p. 63-86, 2020. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Poled/article/view/107364. Acesso em: 2 out.2020.

BERTAGNA, R. H. Dimensões da formação humana e qualidade social: referência para os processos avaliativos participativos. In: DE SORDI, M. R. L.; VARANI, A.; MENDES, G. S. C. V. (Orgs.). Qualidade(s) da escola pública: reinventando a avaliação como resistência. Uberlândia: Navegando Publicações, 2017, p. 31-46. Disponível em: https://www.editoranavegando.com/qualidade-s-da-escola-publica. Acesso em: 25 de jan.2023.

BUENO, S. F. Pedagogia sem sujeito: qualidade total e neoliberalismo na educação. São Paulo: Annalume Editora, 2003.

CALDART, R. A pedagogia da luta pela terra: o movimento social como princípio educativo. Texto produzido para a 23ª Reunião Anual da ANPED, 2000. Disponível em: http://23reuniao.anped.org.br/textos/te3.PDF. 2005 Acesso em: 22 maio 2023.

CALDART, R. Pedagogia do Movimento Sem Terra. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

FLACH, S. F. Avanços e limites na implementação da qualidade social da educação na política educacional de Ponta Grossa gestão 2001–2004. 2005. 187 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.

FREITAS, L. C. Qualidade negociada: avaliação e contra-regulação na escola pública. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 92, p. 911-933, out. 2005. https://doi.org/10.1590/S0101-73302005000300010. Acesso em: 5 out.2022.

FREITAS L. C. Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério à destruição do sistema público de educação. In: ______. Políticas públicas de responsabilização na educação (Dossiê). Educação & Sociedade, Campinas, v. 33, n. 119, p. 379-404, abr./jun. 2012. https://doi.org/10.1590/S0101-73302012000200004. Acesso em: 2 out.2022.

FREITAS, L. C. Os reformadores empresariais da educação e a disputa pelo controle do processo pedagógico da escola. Educação & Sociedade, Campinas, v. 35, n. 129, p. 1085-1114, 2014. https://doi.org/10.1590/ES0101-73302014143817. Acesso em: 5 set.2022.

HYPÓLITO, A. M.; LEITE, M. C. L. Modos de gestão e políticas de avaliação: entre o gerencialismo e a democracia. In: WERLE, F. O. C. (Org.) Avaliação em larga escala: questões polêmicas. Brasília: Liber Livro, 2012, p. 135-152.

LEITE, D. Reformas universitárias: A avaliação institucional participativa. Petrópolis: Vozes, 2005.

LEITE, D. Dimensões do engajamento estudantil para o contexto brasileiro: a emergência política da participação para a inovação pedagógica na Educação Superior. Educação Por Escrito, Porto Alegre, v. 9, n. 2, p. 170-187, jul.-dez. 2018. http://dx.doi.org/10.15448/2179-8435.2018.2.31563. Acesso em: 15 dez.2022.

OLIVEIRA, R. P.; ARAUJO, G. C. Qualidade do ensino: uma nova dimensão da luta pelo direito à educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 28, p. 5-23, jan./abr. 2005.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS – ONU. Derecho a la educación: preocupaciones, desafíos y oportunidades en relación con los efectos de la crisis de la enfermedad por coronavirus en el derecho a la educación, 2020. Disponível em: https://www.cedhnl.org.mx/bs/secciones/publicaciones/informes-asamblea-general-nacionesunidas/A_HRC_44_39_S_educacion.pdf. Acesso em: 25 set. 2021.

PARO, V. H. Educação para a democracia: o elemento que falta na discussão da qualidade do ensino. Revista Portuguesa de Educação, Braga, Portugal, v. 13, n. 1, p. 23-38, 2000.

PEREIRA M. S. F. A participação dos estudantes no processo de avaliação institucional: contribuições à qualificação da escola. XVI ENDIPE – Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino. Campinas: Junqueira & Marin Editores, 2012, p. 1151-62.

SAVIANI, D. Educação e questões da atualidade. São Paulo: Cortez, 1991.

SAVIANI, D. Escola e democracia no Brasil no século XXI. In: BOTO, C.; SANTOS, V. M.; SILVA, V. B. et al. (Orgs.) A escola Pública em Crise: reflexões, apagamentos e desafios. São Paulo: FEUSP, 2020. 385 p.

SAVIANI, D.; GALVÃO, A. C. Educação na pandemia: a falácia do “ensino” remoto. Universidade e Sociedade/Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior – 2021 – Ano XXXI, nº 67. Disponível em: https://www.andes.org.br/img/midias/0e74d85d3ea4a065b283db72641d4ada_1609774477.pdf. Acesso em: 15 fev.2021.

SILVA, M. A. Qualidade social da educação pública: algumas aproximações. Cadernos Cedes, vol. 29, n. 78, p. 216-226, maio/ago. 2009. https://doi.org/10.1590/S0101-32622009000200005. Acesso em 20 jan.2023.

SORDI, M. R. L. A força das palavras das equipes gestoras como recurso contra-regulatório e os silêncios (in)compreensíveis na AIP. In: SORDI, M. R. L.; VARANI, A.; MENDES, G. S. C. V. (Orgs.) Qualidade(s) da escola pública: reinventando a avaliação como resistência. Uberlândia: Navegando Publicações, 2017, p. 309-332. Disponível em: https://www.editoranavegando.com/qualidade-s-da-escola-publica. Acesso em: 25 jan.2023.

SORDI, M. R. L.; BERTAGNA, R. H.; OLIVEIRA, S. B. Qualidade da escola pública e as políticas neoliberais: que caminhos os estudantes sinalizam? Políticas Educativas, PolEd, Asociación de Universidades Grupo Montevideo, Santa Maria, v. 11, n. 2, p. 117-134, 2018. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Poled/article/view/87295. Acesso em 20 fev. de 2023.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

WERLE, F. O. C.; SCHEFFER, L. S.; MOREIRA, M. C. Avaliação e qualidade social da educação. ETD – Educação Temática Digital, Campinas, v. 14, n. 2, p. 19-37, jul./dez. 2012.

Downloads

Publicado

14.06.2024

Como Citar

BERTAGNA, Regiane Helena; SORDI, Mara Regina Lemes de; LARA, Rosangela de Souza Bittencourt. Construindo a qualidade social da escola pública: contribuições dos estudantes. EccoS – Revista Científica, [S. l.], n. 69, p. e25155, 2024. DOI: 10.5585/eccos.n69.25155. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/25155. Acesso em: 17 jul. 2024.