A contribuição das narrativas orais de histórias para aprendizagem: a visão do professor alfabetizador

Claudia Maria Petchak Zanlorenzi, Paola Helena Muxfeldt Morandi da Silva

Resumo


Diferente da dramatização ou da leitura, o ato de contar histórias é uma rica possibilidade simbólica. As narrativas de histórias para crianças em espaços institucionais, revelam além de práticas pedagógicas pretextais a possibilidade de um espaço para estudo para  a imaginação criativa, a oralidade, entre outros.  Diante disso, qual é a visão do professor sobre a contribuição das narrativas orais para a aprendizagem dos alunos?  O objetivo foi investigar a opinião dos professores sobre a contribuição das narrativas orais para a aprendizagem e quais os aspectos dessa aprendizagem são levantados pelos professores. A pesquisa de cunho qualitativo, a partir de pesquisa bibliográfica e de campo, teve como sujeitos professores da pré escola (infantil 5) e de classes de alfabetização (1º ano) de um município do sul do Paraná. Foi possível verificar quais as possíveis fragilidades e lacunas relacionadas ao trabalho com narrativas orais. 


Palavras-chave


narrativas orais de histórias; aprendizagem; ensino; professores; anos iniciais

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M.; VOLOCHÍNOV, V. Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução de Michel La-hud e Yara Frateschi Vieira. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2006.

BELLO, S. C. Por que devemos contar histórias na escola? In: GIRARDELLO, G. (Org.). Baús e chaves da narração de histórias. 2. ed. Florianópolis: SESC/SC, 2004.

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tra-dução de Sérgio Paulo Rouanet. 7. ed.. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 197-221. (Obras esco-lhidas, v.1).

COELHO, B. Contar histórias uma arte sem idade. 10.ed. São Paulo: Ática, 1999.

GIRARDELLO, G. Voz, presença e imaginação: a narração de histórias e as crianças pequenas. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; Programa de Pós-Graduação em Educa-ção, 2004. Disponível em: http://nica.ufsc.br/index.php/publicacoes/gilka. Acesso: 14 jan. 2021.

GIRARDELLO, G. Voz, presença e imaginação: a narração de histórias e as crianças pequenas. In: FRITZEN C., CABRAL G. S. Infância: imaginação e educação em debate. Campinas-SP: Papirus; 2007. p.39-57.

GIRARDELLO, G. Uma clareira no bosque: contar história na escola. Campinas-SP: Papirus, 2014.

LURIA, A. R. Vigotskii. In: VIGOTSKII, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 15. ed. São Paulo: Ícone, 2017.

MATOS, G. A; SORSY, I. O ofício do contador de histórias: perguntas e respostas, exercícios práti-cos e um repertório para encantar. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

MARCUSCHI, L. A. Da fala para a escrita atividades de retextualização. 4. ed. São Paulo: Cor-tez, 2003.

MARTINS, L. M. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da Psico-logia Histórico – Cultural e da Pedagogia Histórico Crítica. Campinas-SP: Autores Associados, 2013.

MARX, K. Manuscritos-econômicos filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004.

MARX, K; ENGELS, F. A ideologia Alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2017. v. I.

ORTIZ, E. Ler, interpretar e recitar... In: GIRARDELLO, G. (Org.). Baús e chaves da narração de histórias.. 2 ed. Florianópolis: SESC/SC, 2004.

SISTO, C. Textos e pretextos sobre a arte de contar histórias. 2. ed. Curitiba-PR: Ed. Positivo, 2005.

SISTO, C. O misterioso momento: a história do ponto de vista de que ouve (e também vê!). In: GIRARDELLO, G. (Org.). Baús e chaves da narração de histórias. 2 ed. Florianópolis: SESC/SC, 2004.

SODRÉ, N. W. História da Imprensa no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 1999.

TAHAN, M. A arte de ler e contar histórias. 4. ed. Rio de Janeiro: Conquista, 1964.

VIGOTSKI, L.S. O desenvolvimento psicológico na infância. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

VIGOTSKI, L.S. A imaginação e a criança na infância: ensaio psicológico livro para professores. Tradução de Zóia Prestes e Elizabeth Tunes. São Paulo: Expressão Popular, 2018.




DOI: https://doi.org/10.5585/cpg.v20n1.19343

Direitos autorais 2021 Cadernos de Pós-graduação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos de Pós-graduação
e-ISSN: 2525-3514
www.cadernosdepos.org.br

Cadernos de Pós-graduação ©2021 Todos os direitos reservados.

Esta obra está licenciada com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional