A produção de vídeo por pessoas em sofrimento psíquico

Claudia Calheiros da Silva Suruagy, Deise Juliana Francisco

Resumo


Trata-se de pesquisa-intervenção realizada com oficinas de produção de vídeo com usuários em sofrimento psíquico em um Centro de Atenção Psicossocial alagoano e ancora nas discussões entre educação, saúde mental e tecnologia digital de comunicação e informação. A ideia de relacionar esta pesquisa com a educação foi idealizada como forma de agenciar inúmeras possibilidades, buscando colocar o usuário como principal sujeito dentro do processo de construção, colocando em prática os pilares da educação. O objetivo foi analisar a produção de vídeo por usuários em seu potencial de reabilitação psicossocial. Participaram dezessete usuários inicialmente e, depois, cinco usuários trabalharam com a produção de um vídeo. Nas oficinas, os usuários se colocaram como sujeitos de suas aprendizagens, desenvolvendo protagonismo em seu cotidiano, havendo contribuição para o processo de reabilitação psicossocial. Os usuários foram construindo significados inseridos num movimento de reflexão-ação-reflexão.


Palavras-chave


Saúde Mental; Oficinas; Produção de vídeo; Educação;TDIC.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, K.; ROCHA, M. Micropolítica e o exercício da pesquisa intervenção. Referências e dispositivos de análise. Psicologia Ciência e Profissão, v. 4, n. 27, p. 648-663. 2007.

AMARANTE, P. (coordenador). Saúde Mental e atenção psicossocial. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2007.

BRAGA, C. P. A perspectiva da desinstitucionalização: chaves de leitura para compreensão de uma política nacional de saúde mental alinhada à reforma psiquiátrica. Saúde e Sociedade [online]. v. 28, n. 4 [Acessado 29 Junho 2020] , pp. 198-213. Disponível em: . ISSN 1984-0470. https://doi.org/10.1590/S0104-12902019190125.

BRASIL. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Ministério da Saúde (BR). Relatório de Gestão: 2003-2006. Saúde mental no SUS: acesso ao tratamento e mudança do modelo de atenção. Brasília (DF); 2008.

CAVAGNOLI, Murilo; MAHEIRIE, Katia. A cartografia como estratégia metodológica à produção de dispositivos de intervenção na Psicologia Social. Fractal, Rev. Psicol., Rio de Janeiro, v. 32, n. 1, p. 64-71, Apr. 2020. Available from . access on 04 July 2020. Epub Apr 09, 2020. https://doi.org/10.22409/1984-0292/v32i1/5680.

CAVALLINI, Flávia de Macedo. CAPS, ateliês e oficinas: artes no mundo, mundos na arte. Fractal, Rev. Psicol., Rio de Janeiro, v. 32, n. 1, p. 40-45, Apr. 2020. Available from . access on 04 July 2020. Epub Apr 09, 2020. https://doi.org/10.22409/1984-0292/v32i1/5671.

DUBOIS, P., Cinema, vídeo, Godard. São Paulo: Cosac y Naif, 2004.

FERNANDES, C. A pesquisa em sala de aula como instrumento pedagógico: considerações para sua inclusão na prática pedagógica. Diálogos Educacionais em

Revista. Campo Grande, v. 2, n. 2, 2011. Disponível em: Acesso em: 06 abr. 2017.

FRANCISCO, D. Criando laços via recursos informatizados. 2007. 172 f. Tese (Doutorado em Informática na Educação), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

GOHN, M. Educação não formal: direitos e aprendizagens dos cidadãos (ãs) em tempos do coronavírus. Revista Humanidades e Inovação v.7, n.7.7 – 2020.

GUERRA, A. Oficinas em saúde mental: percurso de uma história, fundamentos de uma prática. In. COSTA, C; FIGUEIREDO, A. (org.). Oficinas terapêuticas em saúde mental: sujeito, produção e cidadania. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2004.

KASTRUP, V. Aprendizagem, arte e invenção. Psicologia em Estudo, v. 6, n. 1, p. 17-27, jan./jun. 2001.

MACHADO, D. ; GOTTEMS, L.; PIRES, M. Aprendizagem em saúde mental por meio da produção videográfica: relato de experiência. Texto contexto - enferm., v. 22, n. 4, p.1205-1213, 2013.

MIRANDA, L. Consumo e produção de subjetividade nas TVs comunitárias. Revista do Departamento de Psicologia, v. 19, n. 1, p. 199-214, jan/jun, 2007.

PEREIRA, G.; BARBOSA, M. I. B.; REZENDE FILHO, L. A. C. de. Ouvindo imagens: ensaio sobre uma oficina audiovisual inclusiva de cinema e educação. Pro-Posições, Campinas , v. 30, e20180041, 2019 . Available from . access on 04 July 2020. Epub Dec 02, 2019. https://doi.org/10.1590/1980-6248-2018-0041.

RAUTER, C. Oficinas para quê? Uma proposta ético-estético política para oficinas terapêuticas. In AMARANTE, Paulo (org.). Ensaios: Subjetividade, saúde mental, sociedade Rio de Janeiro: Fiocruz. 2000.

RODRIGUES JR, A. Saberes sensíveis na saúde mental - Contribuições de Reggio Emília para uma pesquisa a/r/tográfica. Aurora: revista de arte, mídia e política, São Paulo, v.12, n.35, p. 87-100, jun.-set.2019.

SIMONDON, G. El modo de existencia de los objetos técnicos. Buenos Aires: Prometeu Libros, 2007.

TRINDADE, C.; BECKER, A. Aprendizagem colaborativa mediada pelo blog do moodle. Anais do VIII Encontro Virtual de Documentação em Software, v. 1, n. 1, junho, 2011. Disponível em: Acesso em: 15 nov. 2017.




DOI: https://doi.org/10.5585/dialogia.n35.16909

Direitos autorais 2020 Dialogia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Dialogia

e-ISSN: 1983-9294
ISSN: 1677-1303
www.revistadialogia.org.br

Dialogia ©2020 Todos os direitos reservados.